Página Inicial
PORTAL MÍDIA KIT BOLETIM TV FATOR BRASIL
Busca: OK
CANAIS

28/11/2009 - 08:53

HIV: informação como aliada

Publicação direcionada a quem vive com o HIV completa dez anos e reforça importância de parcerias público-privadas para enfrentamento da epidemia.

Atualmente, 180 mil pessoas lutam diariamente contra a aids no Brasil, enfrentando o complicado tratamento e o preconceito ainda presente. Há dez anos, estes muitos homens, mulheres e crianças ganharam um novo aliado. Em 1999 surgia a revista Saber Viver, direcionada especialmente a quem vive com o HIV. Em suas páginas, dicas sobre tratamento e alimentação, informações sobre direitos e novas pesquisas e, principalmente, o relato de quem vive esta realidade mostram que é possível viver – e ser feliz – com o vírus da aids. Hoje em sua 45ª edição, a revista possui tiragem de 90 mil exemplares, distribuídos gratuitamente em unidades de saúde e ONG/Aids de todo o país, desde grandes centros urbanos a pequenas cidades do interior.

A coordenadora da Associação Comunicação e Saúde, que publica a Saber Viver, Silvia Chalub, explica que a criação da revista foi balizada por uma pesquisa que revelou que muitos soropositivos se sentem profundamente solitários e conversam sobre a doença exclusivamente com o médico.

“A certeza de que era preciso colocar um foco de luz sobre a saúde e não sobre a doença impulsionou o projeto. Quando damos voz a quem tem o HIV, fica claro que é fundamental trabalhar a autoestima e o autocuidado. Muitas pessoas evitam por anos o teste diagnóstico e só procuram o serviço de saúde quando estão doentes. O medo do preconceito interfere no tratamento, pois muitos soropositivos não tomam os remédios na presença de outras pessoas, às vezes nem dos próprios familiares. Discriminação no trabalho, dificuldades nos relacionamentos e tendência ao isolamento também são comuns. A informação é o melhor antídoto para o preconceito”, Silvia destaca.

O sucesso da revista nestes dez anos pode ser medido pelo aumento de sua tiragem – que passou de 6 mil exemplares, em 1999, para 90 mil, em 2005 – e, é claro, pelo depoimento de leitores, profissionais de saúde e colaboradores. “A Saber Viver influenciou a minha vida desde a sua criação. A seção Passo a Passo, que explica como tomar os medicamentos, ajuda a organizar a terapia, a tomar o remédio certo na hora certa. Além disso, ao longo destes anos, a revista se tornou importante ferramenta de denúncia e militância contra o estigma da aids”, declara Cazu Barroz, que estrelou a primeira capa da Saber Viver.

Parcerias e reconhecimentos - A seriedade e comprometimento da publicação no enfrentamento da epidemia são reconhecidos por todos os atores sociais que participam desta história. Além dos pacientes e profissionais de saúde, organizações não-governamentais, laboratórios farmacêuticos e o governo apóiam a iniciativa. O psicanalista George Gouvea, vice-presidente do Grupo Pela Vidda do Rio de Janeiro, resume: “A Saber Viver veio preencher lacunas numa época em que o conhecimento sobre aids ainda era superficial, interferindo positivamente na vida das pessoas com HIV. Foi um impulso para fortalecer a luta contra aids, agora multiplicado por dez. Nas consultas de aconselhamento, indicamos a publicação como fonte segura de informações e de estímulo à autoestima. É um instrumento estratégico para adesão ao tratamento e a melhoria da qualidade de vida”.

Desde o ano 2000 a revista recebe patrocínio do Departamento de DST/Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde. “A Saber Viver tem um significado muito importante na história da epidemia de Aids no Brasil. A revista chegou devagarzinho, ocupando grupos de ajuda mútua, serviços de saúde e hoje é um espaço único de protagonismo para as pessoas que vivem com HIV. Seus dez anos são motivo de orgulho para todos nós”, reconhece o diretor adjunto do Departamento Nacional de DST/Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, Eduardo Barbosa.

Grandes laboratórios de medicamentos anti-aids – como Abbott, Bristol, Merck, Roche e United Medical – também apostam no potencial das publicações como canais de comunicação com pacientes e profissionais de saúde. “A United Medical se solidariza com a epidemia e se preocupa com a aceitação social da doença. Por isso, através da Saber Viver investimos em comunicação adequada em HIV/Aids, com informação qualificada, linguagem acessível e isenta de estigmas e preconceitos”, revela a gerente de produto em virologia da empresa, Vânia Lopes.

Público segmentado - Para contemplar a diversidade de públicos envolvidos no enfrentamento da aids, a Saber Viver investe em publicações diferenciadas. Antenada às tendências da epidemia, a editora já providenciou edições especiais para jovens e mulheres e sobre temas emergentes, como as co-infecções HIV/ tuberculose e HIV/ hepatites virais.

Em 2005, uma pesquisa de mercado promovida pela Saber Viver revelou que muitos profissionais de saúde utilizam a revista em sua rotina, indicando-a a pacientes e descobrindo em suas páginas novas e valiosas informações. Para suprir esta demanda, foi lançada a Saber Viver Profissional de Saúde, direcionada a psicólogos, enfermeiros, farmacêuticos, assistentes sociais, médicos e outros profissionais dedicados ao atendimento de pessoas vivendo com HIV.

.Revista Saber Viver completa dez anos em 2009 e reforça importância de parcerias público-privadas para enfrentamento da epidemia | www.saberviver.org.br | http://www.todoscontraopreconceito.com.br

Enviar Imprimir
© Copyright 2006 - 2017 Fator Brasil. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Tribeira