Portal Fator Brasil 
Página Inicial
PORTAL MÍDIA KIT BOLETIM TV FATOR BRASIL PageRank
Busca: OK
CANAIS

12/08/2009 - 11:21

Elektro: bons resultados marcam o 2º trimestre de 2009

O lucro líquido da companhia cresceu 76,2%.

A Elektro Eletricidade e Serviços S.A. encerrou o 2º trimestre de 2009 com receita líquida de R$ 1,2 bilhão, 8,3% acima do registrado no mesmo período do ano anterior. Este acréscimo deve-se principalmente ao aumento no preço das tarifas em decorrência dos efeitos do reajuste tarifário de 10,91%, em agosto de 2008, e pelo maior consumo de energia pelas classes residencial e comercial, que apresentam tarifas mais elevadas. Tal variação positiva foi parcialmente reduzida pelos efeitos negativos do reconhecimento dos impactos retroativos, referentes ao período de 27 de agosto de 2007 a 26 de agosto de 2009, decorrentes do resultado definitivo da revisão tarifária de agosto de 2007, no valor de R$ 47,9 milhões.

De acordo com a empresa, o impacto referente à revisão tarifária de 2007 decorre da determinação, pela Diretoria da ANEEL, em 4 de agosto de 2009, dos valores definitivos dos parâmetros dos custos operacionais eficientes (“Empresa de Referência”) e Fator X, que haviam sido determinados em caráter provisório em 2007. Este cálculo resultou na redução de 5,55% nos custos operacionais eficientes, e redução do Fator X de 1,3% para 0,4%. Esta diferença, que resultaria em uma redução média de 20,52% nas tarifas da Elektro em 2007, ao invés dos 18,59% provisórios será incluída como componente financeiro negativo no reajuste tarifário de 27 de agosto de 2009. O Ebitda atingiu R$ 361,2 milhões, R$ 31,4 milhões acima do registrado no período de janeiro a junho de 2008. Caso desconsiderado o não recorrente dos resultados definitivos da revisão tarifária de 2007, o Ebitda seria R$ 408,4 milhões.

O lucro líquido da companhia cresceu 76,2%, com R$ 250,7 milhões no 1º semestre de 2009 contra R$ 142,3 milhões do mesmo período de 2008. A reversão de R$ 95,8 milhões na provisão para contingência de PIS e COFINS incidentes sobre receitas financeiras (de acordo com a Lei nº 11.941/09) e a deflação do IGP-M (índice de reajuste da 1ª série da 2ª emissão de debêntures), aliadas ao aumento na receita, foram os principais responsáveis por esse resultado. Excluindo-se os impactos dos itens não recorrentes referentes aos resultados definitivos da revisão tarifária de 2007, e a reversão da provisão de PIS e COFINS, o lucro líquido seria R$ 218,8 milhões.

Entre janeiro e junho de 2009, a Elektro distribuiu 5.342 GWh a clientes finais, superando em 0,9% o primeiro semestre de 2008. A variação é justificada principalmente pelo aumento do consumo residencial e comercial, dadas as altas temperaturas registradas entre janeiro e junho (em média 1 ºC superiores às médias históricas para este período) e pela ampliação do período de férias coletivas na indústria, no início de 2009.

Durante o período, as classes Residencial e Comercial responderam, juntas, por 48,9% do total de volume de energia vendida a clientes finais. Já a classe industrial representou 33,6%.

Nos seis primeiros meses de 2009, a Elektro investiu R$ 126,5 milhões em expansão, melhorias, preservação do sistema elétrico, suporte operacional e Programa de Universalização. Foram 20,5% acima dos investimentos realizados no primeiro semestre de 2008. Em junho de 2009, os indicadores de DEC (Duração Equivalente de Interrupção por Consumidor) e FEC (Freqüência Equivalente de Interrupção por Consumidor) registraram novos recordes na história da Elektro, sendo 8,22 horas e 5,58 interrupções anuais, respectivamente. O índice de Perdas encerrou o período em 6,71%, registrando leve recuperação quando comparado ao mesmo período de 2008, uma vez que a companhia continua investindo na manutenção e aperfeiçoamento de técnicas de recuperação de perdas comerciais.

Em 30 de junho de 2009, o grau de alavancagem da Elektro foi de 41%, patamar bastante prudente que garante uma situação de liquidez confortável para a empresa e que vem se mantendo estável nos últimos anos. No encerramento do exercício de 2008, este valor era de 39%. Em 1º de julho de 2009, foi efetivada a 3ª emissão de debêntures, no valor de R$ 300,0 milhões, com o objetivo de resgate antecipado da 1ª Emissão de Notas Promissórias e pagamento da 1ª parcela de principal e parte da respectiva atualização monetária da 2ª Emissão de Debêntures, com vencimento em setembro de 2009. Após esta operação, o grau de alavancagem da Elektro passa para o patamar ainda prudente de 42%1.

Em 13 de maio de 2009, a Standard & Poor’s elevou o rating de crédito corporativo da Elektro de brAA para brAA+, mesmo rating da 3ª Emissão de Debêntures, e entre os melhores do setor de energia elétrica. O rating da 2ª emissão de debêntures foi elevado de brAA+ para brAAA.

Em Reunião do Conselho de Administração, realizada em 11 de agosto de 2009, foi aprovada a distribuição de dividendos intermediários no montante de R$ 238,1 milhões, a serem pagos em uma ou mais parcelas, conforme disponibilidade de caixa, dentro do exercício social de 2009, precedida(s) de Aviso aos Acionistas publicado para esta finalidade.

A Elektro Eletricidade e Serviços S.A. foi criada em 1998 a partir da privatização do serviço de distribuição da Companhia Energética de São Paulo (Cesp) e fornece energia elétrica para 223 municípios paulistas e cinco municípios sul-mato-grossenses. A Elektro atende mais de 2 milhões de clientes, cerca de 5,5 milhões de pessoas em uma área de 120 mil quilômetros quadrados, marcados pela diversidade socioeconômica e ambiental e pela descontinuidade geográfica.[ www.elektro.com.br] | • Link com gráfico dos resultados

Enviar Imprimir


© Copyright 2006 - 2020 Fator Brasil. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Tribeira

 Consulta inválida: