Portal Fator Brasil 
Página Inicial
PORTAL MÍDIA KIT BOLETIM TV FATOR BRASIL PageRank
Busca: OK
CANAIS

02/03/2007 - 09:22

Cedae desbarata “Máfia das Adutoras”


A Assessoria Jurídica da Nova Cedae desbaratou, nesta quinta-feira, durante audiência no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, a “Máfia das Adutoras”, que consistia em uma série de ações fraudulentas cometidas pelo escritório CRFS Assessoria Jurídica contra a Cedae em casos de rompimento de adutoras que resultaram no alagamento de residências.

Segundo o presidente da Nova Cedae, Wagner Victer, o escritório entrava com a mesma ação diversas vezes, utilizando o artifício de mudança do nome do autor da ação, as vezes através da alteração de apenas uma letra neste nome. No caso julgado no VII Juizado Especial Cível, ainda de acordo com Victer, o escritório mudou o nome do autor da ação de “Cleber de Souza Ribeiro” para “Leber de Souza Ribeiro”. “Com isso, os advogados desse escritório fraudavam a distribuição dos processos e entravam com várias ações com o mesmo autor”, informou o presidente.

“Vamos fazer uma auditoria completa nos processos desse escritório. Esta prática é atentatória contra a Justiça, pois os advogados não somente ludibriavam a Companhia, mas também o poder Judiciário”, alertou o diretor jurídico da Cedae e o procurador do Estado, Leonardo Espindola.

Durante a Audiência, no VII Juizado Especial Cível, a juíza de direito, Fernanda Rosado, expediu sentença em que extinguiu o processo contra a Cedae, no qual o autor pedia indenização pelos danos causados pelo rompimento de uma adutora na rua Maria José, em Madureira. A magistrada também considerou que o escritório usou de litigância de má fé e solicitou que fosse enviado um ofício à Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) relatando a atuação dos representantes do CRFS Assessoria Jurídica. Além disso, foram anexadas ao processo cópias do anterior que tem como autor Cleber de Souza Ribeiro.

Também foram anexadas cópias de outro processo em que os representantes entraram com uma nova ação na justiça comum, após ter sido proferida sentença de improcedência pelo XXI Juizado Especial Cível. Assim, o escritório entrou com mesma ação duas vezes.

Enviar Imprimir


© Copyright 2006 - 2019 Fator Brasil. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Tribeira

 Consulta inválida: