Página Inicial
PORTAL MÍDIA KIT BOLETIM TV FATOR BRASIL PageRank
Busca: OK
CANAIS

20/01/2021 - 07:10

Pfizer-BioNTech e Moderna devem gerar US$ 14,7 bilhões até 2023, aponta Finaria

Receita de vendas das vacinas para Covid-19.

O ano de 2021 deve se tornar um ano e tanto para as empresas farmacêuticas que lideram a corrida das vacinas Covid-19, com receitas significativas na linha. Como alguns dos participantes mais importantes do mercado, os gigantes farmacêuticos Pfizer e Moderna devem assumir a maior parte das vendas de vacinas em 2021.

De acordo com dados apresentados por Finaria.it, as vendas das vacinas BioNTech-Pfizer e Moderna Covid-19 devem gerar US$ 14,7 bilhões em receitas até 2023.

Receita de vendas da vacina Moderna Covid-19 atingirá US$ 3,5 bilhões em 2021 — O apelo por vacinas e tratamentos Covid-19 ficou mais alto do que nunca, com os países em todo o mundo enfrentando a força total da segunda onda da pandemia.

Em 11 de janeiro, havia mais de mil medicamentos e vacinas em desenvolvimento contra a doença coronavírus, revelaram os dados da Pharma Intelligence. Mais de 60% deles ainda estavam na fase pré-clínica. Porém, três candidatos estavam em fase de pré-inscrição, um candidato inscrito e outros dez lançados.

Em 02 de dezembro de 2020, o Reino Unido se tornou o primeiro país ocidental a aprovar qualquer vacina Covid-19 quando autorizou a candidata Pfizer-BioNTech. As primeiras doses foram entregues a idosos britânicos em 08 de dezembro de 2020. Os Estados Unidos seguiram quando os americanos receberam as vacinas iniciais em 14 de dezembro. A vacina também recebeu aprovação de emergência no Canadá e aprovação condicional na União Europeia.

Os dados do Evaluate Vantage mostram que a vacina Covid-19 da cooperação BioNTech-Pfizer deve gerar mais de US$ 3,1 bilhões em vendas durante 2021. No entanto, esse número deve cair para menos de US$ 1,4 bilhão em 2022 e continuar caindo nos próximos anos.

A desvantagem significativa da vacina BioNTech-Pfizer é a necessidade de armazenamento ultrafrio. Muitos países não têm a logística necessária da cadeia de frio e muito provavelmente não a terão nos próximos anos. Em 2023, as vendas da vacina BionTech-Pfizer Covid-19 devem gerar US$ 914 milhões, quase 3,5 vezes menos do que em 2021.

A vacina Covid-19 desenvolvida pela Moderna Therapeutics, empresa de biotecnologia sediada em Massachusetts, em colaboração com o National Institutes of Health, deve gerar mais de US$ 3,5 bilhões em receita este ano, US$ 400 milhões a mais do que a vacina BioNTech-Pfizer.

Esta vacina foi aprovada nos Estados Unidos, Reino Unido, União Europeia, Canadá e Israel. As estatísticas mostram que a receita anual de vendas da vacina Moderna Covid-19 deve permanecer em torno de US$ 2,9 bilhões nos próximos dois anos.

Vacina AstraZeneca/ Oxford lidera no número de doses solicitadas — Embora a Pfizer e a Moderna estejam definidas para a maior parte das vendas de vacinas de 2021, os dados de Bloomberg mostram que a AstraZeneca é o fabricante de medicamentos com o maior número de doses da vacina Covid-19 encomendadas.

No início de 2021, havia acordos de pré-compra de quase três bilhões de doses para a vacina AstraZeneca / Oxford. Uma de suas maiores vantagens é a capacidade de ser armazenada em temperaturas médias de geladeira, enquanto outras vacinas precisam de armazenamento ultrarrefecido.

Embora ainda esteja na fase III dos testes clínicos e sem aprovação, a vacina da Novavax é a segunda maior em número de pedidos em todo o mundo ou quase 1,3 bilhão. As estatísticas mostram que a vacina BioNTech-Pfizer atingiu 816 milhões de doses encomendadas na semana passada. Gamaleya, Sanofi / GSK e Moderna seguiram, com 727 milhões, 712 milhões e 441 milhões de pedidos, respectivamente.

Em 10 de janeiro de 2021, um total de 25,8 milhões de doses da vacina Covid-19 foram administradas em todo o mundo. As estatísticas mostram que a China respondeu por quase um terço desse número, com nove milhões de doses de vacina. Os Estados Unidos ficaram em segundo lugar, com mais de 8 milhões de doses administradas na semana passada. O Reino Unido, Israel e os Emirados Árabes Unidos seguem com dois milhões, 1,8 milhões e um milhão de doses, respectivamente. | Jastra Kranjec/Londres.

Enviar Imprimir


© Copyright 2006 - 2021 Fator Brasil. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Tribeira