Página Inicial
PORTAL MÍDIA KIT BOLETIM TV FATOR BRASIL PageRank
Busca: OK
CANAIS

18/12/2020 - 07:54

Cervejarias artesanais: desafios do mercado passam pela digitalização

A digitalização da linha de produção é o melhor caminho para se diferenciar em um mercado que tem crescido exponencialmente nos últimos anos. Segundo dados da Associação Brasileira de Cerveja Artesanal (Abracerva), o país ultrapassou em meados de 2019 a marca de mil produtores da bebida registrados na entidade, sendo que 111 novas fábricas receberam autorização em apenas 150 dias, uma média de 22 novas cervejarias por mês. Para se ter uma ideia, em 2009, o país tinha um total de 255 indústrias ativas, número que foi praticamente quadruplicado em 10 anos.

Os números da Abracerva dão a dimensão da grande concorrência que há no segmento e aumentam a importância em ter uma produção flexível para atender as diferentes demandas do consumidor, e também manter a qualidade e padrão das cervejas dentro de um portfólio diversificado, onde é comum uma mesma empresa produzir vários tipos da bebida no mercado. Dentro desse contexto, é primordial para os fabricantes que as linhas de produção sejam digitalizadas, pois só assim a empresa gerenciará todas as atividades com agilidade, precisão e qualidade nos processos.

Os desafios gerados pela pandemia mostram o quão necessário é implementar novas tecnologias para gerar maior flexibilidade na linha de produção para atender os movimentos do mercado. Durante os primeiros meses da crise houve uma queda brusca no consumo de cerveja em garrafas de 600 ml e 1 litro por conta do fechamento de bares e restaurantes. Em um primeiro momento, passando a maior parte do tempo dentro de casa, os consumidores optaram pelo consumo das chamadas long necks (garrafas com 350ml, em média), e nos últimos meses o que se viu foi o aumento da demanda por cervejas de lata. Essas mudanças ocorreram em um curto espaço de tempo e obrigaram uma rápida adaptação das atividades por parte dos fabricantes da bebida, e as empresas com linhas de produção modernas e digitalizadas levaram grande vantagem sobre as concorrentes.

Evitar problemas na qualidade do produto é outro benefício que se obtém com o uso de tecnologias. Por meio de um processo chamado CIP (Cleaning in Place), é feita toda a limpeza interna das tubulações, filtros, tanques e equipamentos da linha de produção entre a fabricação de diferentes tipos de cerveja. Além disso, sensores monitoram os níveis de oxigenação, pH e de álcool de acordo com o processo estabelecido, identificando assim qualquer alteração no produto. Qualquer grau alcoólico em uma cerveja cujo rótulo indica 0% de álcool, por exemplo, pode gerar diversos problemas para a fabricante.

Essas variações são facilmente identificadas por sistemas de controle que fazem todo o gerenciamento de dados e informações que há dentro de uma cervejaria. A Siemens, por exemplo, conta com uma solução denominada BRAUMAT, sistema modular e escalável, que visa atender desde as microcervejarias até as grandes plantas. Essa solução garante transparência de dados, flexibilidade da produção e qualidade do produto por meio de um sistema de gerenciamento eficaz dos processos em uma cervejaria. A solução possibilita ainda a geração de relatórios de maneira rápida e simplificada, respaldada pela norma ISA S88 (batch). Além disso, a Siemens tem tradição na oferta de sistemas inteligentes para o segmento com ampla atuação entre as cervejarias no mundo todo.

Além de se diferenciar em relação à concorrência, se adaptar aos movimentos do mercado e manter a qualidade na linha de produção, a digitalização será essencial também para as cervejarias estarem prontas para absorverem as novas tendências para esse mercado, como a maior demanda por produtos customizados e fabricados para ocasiões específicas: como casamentos, festas e eventos corporativos. Essa novidade pode se tornar mais um desafio para as plantas que não tiverem uma linha de produção moderna. Já as que têm a digitalização como uma aliada, será uma excelente oportunidade.

. Por: Celso Souza, Consultor Técnico para Alimentos e Bebidas da Siemens; Daniel Marques, Gerente Corporativo de Contas Alimentos e Bebidas da Siemens e Christian Marcatto, Consultor de Automação Especialista para o Segmento de Alimentos e Bebidas da Siemens.

Enviar Imprimir


© Copyright 2006 - 2021 Fator Brasil. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Tribeira