Página Inicial
PORTAL MÍDIA KIT BOLETIM TV FATOR BRASIL PageRank
Busca: OK
CANAIS

12/08/2020 - 08:27

Petronas estabelece novos critérios de segurança para equipes da planta

Para a organização, além de manter a equipe em trabalho remoto engajada e coesa, outro grande desafio da pandemia é garantir a saúde e a segurança do time operacional.

Com grande parte das empresas brasileiras adotando o trabalho remoto como consequência da pandemia da Covid-19, levantou-se o debate sobre como será a realidade dos escritórios corporativos no futuro. Mas, do ponto de vista da indústria, qual a melhor forma de adaptar a estrutura das organizações ao novo contexto? Com esse desafio em mente, a Petronas Lubricants International (PLI), subsidiária da Petronas, empresa nacional de petróleo da Malásia, estabeleceu de forma global comitês de crise gerenciais e de diretoria para preparar a empresa, estabelecer prioridades, coordenar a comunicação com stakeholders e reduzir os impactos do cenário à operação da companhia.

— O conceito de trabalho remoto ganhou força como nunca antes, e isso também foi um fato indiscutível para a Petronas - 80% dos colaboradores da nossa matriz, em Contagem (MG), migraram para o home office para garantirmos a saúde de todos — comenta Sérgio Masid, Gerente de Health, Safety, Security and Environment (HSSE) da Petronas. — Em contrapartida, outro grande desafio reside nos casos em que o público operacional precisa se manter na planta. Essa equipe requer um cuidado ainda mais rigoroso para preservação da saúde e respeito às medidas apontadas por órgãos mundiais de saúde no combate ao novo coronavírus — completa.

Adaptação da planta — Para Masid, o fator principal tem sido estabelecer uma boa comunicação com toda a equipe. Desde o princípio da pandemia, a Petronas divulgou comunicados diários sobre a situação e, com a intensificação do contexto, os informativos foram ampliados e tiveram como foco prevenção e higiene, cuidados no manuseio de compras, uso correto dos equipamentos de proteção e indicações sobre a importância do respeito ao distanciamento físico. — Tivemos ainda a presença da equipe de RH e da diretoria nas áreas operacionais para disseminação de diretrizes globais da empresa no enfrentamento à crise — afirma.

Outras medidas importantes se deram na adaptação dos espaços e práticas operacionais. Além da disponibilização de álcool 70% em toda a planta, distribuição de máscaras e protetores faciais e intensificação na higienização dos espaços comuns, a Petronas adotou uma estratégia incisiva de sinalização: há barreiras físicas e marcações no solo de toda a planta e áreas comuns para demarcar o distanciamento seguro, bem como placas com o número máximo de pessoas permitidas em ambientes específicos.

Para maior proteção dos empregados e contratados trabalhando em nossa fábrica, foram implantadas medidas como: vacinação contra gripe de todos os funcionários e contratados; revisão do transporte utilizado pelos funcionários, garantindo o distanciamento dentro dos veículos e a utilização de veículos de aplicativos ou taxis para evitar o uso de transporte público; verificação de temperatura na entrada da planta, horários diferenciados para almoço, garantindo maior controle sobre o distanciamento das pessoas; separação dos turnos de trabalho, garantindo tempo suficiente para que uma sanitização eficiente seja realizada nas áreas operacionais e vestiários.

Além disso, um controle da saúde dos colaboradores é essencial. Assim, uma pesquisa de saúde rotineira foi criada para os funcionários e qualquer pessoa que apresente o mínimo sintoma de gripe ou qualquer outro sintoma que possa sugerir a infecção pelo vírus é mantida em casa e monitorada atentamente.

— Eliminamos também o uso da biometria no acesso às plantas, preparamos um ambiente restrito para motoristas de caminhões tanques e disponibilizamos termômetros para aferição da temperatura dos colaboradores — acrescenta Masid. Para garantir que as medidas sejam respeitadas, a Petronas realiza a fiscalização regular do uso do material de proteção e de respeito às recomendações entre a equipe e funcionários de empresas terceirizadas.

Trabalho remoto engajado — Com a equipe em trabalho remoto, é preciso criar maneiras de manter a equipe coesa e engajada. — Naquele momento, era necessário acolher de maneira mais próxima, ainda que virtualmente, os nossos colaboradores, alguns dos quais viviam esse formato de trabalho pela primeira vez — comenta Tatiana Villefort, diretora de Recursos Humanos da Petronas, Américas. — Precisávamos propiciar momentos de escuta ativa, que também trouxessem um viés informativo e de desenvolvimento, e que oferecesse todo o suporte necessário — completa.

Surgiram, então, as "Lives com o RH". Até agora, foram 13 sessões de uma hora e meia, envolvendo todas as lideranças e colaboradores administrativos da empresa, divididos por função e área de atuação. Os encontros abordaram percepções individuais acerca da pandemia e das novas condições de trabalho, além de dicas sobre produtividade, autodesenvolvimento e desenvolvimento de carreira. Informações sobre cuidados com a saúde física e emocional e as medidas de segurança adotadas até então pela Petronas também foram reforçadas. | www.pli-petronas.com

Enviar Imprimir


© Copyright 2006 - 2021 Fator Brasil. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Tribeira