Portal Fator Brasil 
Página Inicial
PORTAL MÍDIA KIT BOLETIM TV FATOR BRASIL PageRank
Busca: OK
CANAIS

16/08/2019 - 08:32

Combate ao Mercado Ilegal de Combustíveis

Durante o painel "Combustível Legal e suas ferramentas para inibir o mercado ilegal de Combustíveis", que integra o 14º Fórum Internacional de Postos de Serviços, Equipamentos, Lojas de Conveniência e Food Service, o diretor de Planejamento Estratégico e Mercado da Plural (Associação Nacional das Distribuidoras de Combustíveis, Lubrificantes, Logística e Conveniência), Helvio Rebeschini, destacou o que o Movimento Combustível Legal tem feito pelo setor, abordando os problemas atuais que atingem o mercado de combustíveis.

"Apesar do setor nacional de combustíveis ser robusto, com elos muito bem estruturados, tendo sido capaz de, em três dias, abastecer 95% do mercado após a greve dos caminhoneiros no ano passado, há também seu lado vulnerável. Se 30% do tributo do setor for sonegado, temos aí uma concorrência predatória", observou Helvio, enfatizando que setores altamente tributados, como é o caso do de combustíveis, são extremamente sensíveis.

"A raiz dos problemas do setor está na elevada e complexa tributação, no devedor contumaz de tributos, nas fraudes metrológicas e no roubo de cargas e dutos", listou, acrescentando que há déficit de fiscalização, intensa corrupção e um grande senso de impunidade.

"Nossa expectativa é a de que o Movimento Combustível Legal (MCL) esteja começando a alterar esse panorama", declarou o diretor. Ele afirma que a legislação está evoluindo no combate às fraudes, e que o MCL, ao defender penas mais severas aos sonegadores contumazes e ao trabalhar por um mercado mais ético, transparente e leal, está defendendo o consumidor. "Atuamos em diversas frentes para combater as ilegalidades que permeiam o setor".

Experiências de self-service em postos de combustíveis indicam inviabilidade da aplicação do sistema na América Latina

As experiências com o sistema self-service em postos de combustíveis na América Latina mostram que sua implantação não é viável. A opinião foi compartilhada por empresários do setor da Argentina, México e Peru, durante o painel "Revenda Latino-Americana: O cenário da distribuição dos combustíveis no mercado latino-americano, com suas tendências, problemas e pautas" do 14º Fórum Internacional de Postos de Serviços, Equipamentos, Lojas de Conveniência e Food Service, que acontece paralelamente à ExpoPostos & Conveniência 2019.

Com mediação do especialista argentino em distribuição de combustíveis e lojas de conveniência, Claudio Reboredo, o painel teve a participação dos empresários de postos Carlos Gold (Argentina), Renzo Carbone (Peru) e Roberto Diaz (México). Durante a apresentação, ficou claro que há muitas diferenças nos mercados da América Latina por questões políticas, legais, culturais e até trabalhistas. No entanto, a forte presença dos governos no mercado de combustíveis latinoamericano, como um player chave na indústria do setor, é uma das dificuldades para os empresários. "Na Argentina, onde há uma certa liberdade no setor, a política de preços sofre um controle indireto do governo através da YPF, uma das oito petroleiras que atuam no país e que serve como moderadora do mercado", disse Gold.

Reboredo afirma não haver uma "estratégia mágica" para se destacar neste setor do mercado. "Os mercados estão em fases distintas de evolução, sendo complexos, diversos e voláteis. Entender a circunstância da indústria em cada cenário é fundamental".

Mas, mesmo com toda crítica, Reboredo entende que as expectativas de crescimento econômico nos países da América Latina são favoráveis ao negócio. "Existe um grande potencial de crescimento, pois há uma tendência de ampliação da classe média, com a retomada da economia, afinal, trata-se de uma das regiões que mais cresce no mundo e, portanto, a demanda por combustíveis também vai crescer".

Enviar Imprimir


© Copyright 2006 - 2019 Fator Brasil. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Tribeira

 Consulta inválida: