Portal Fator Brasil 
Página Inicial
PORTAL MÍDIA KIT BOLETIM TV FATOR BRASIL PageRank
Busca: OK
CANAIS

13/07/2019 - 11:22

Consumo de gás no Brasil cai 8,4% em maio

Com menor demanda de térmicas, diz Abegás.

Rio de Janeiro — O consumo de gás natural no Brasil em maio somou 54,45 milhões de metros cúbicos/dia, queda de 8,4% ante mesmo mês de 2018, principalmente devido ao menor uso do insumo para geração termelétrica, disse nesta sexta-feira a Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás).

Na comparação com abril, o consumo de gás cresceu 4,67%, enquanto no acumulado do ano houve um avanço de 1,77%, segundo levantamento da associação, feito com concessionárias em todas as regiões.

A demanda das usinas térmicas, segundo maior segmento consumidor de gás do país, atrás apenas da indústria, recuou 32,4% ante o mesmo mês de 2018. Na comparação com abril, no entanto, houve uma alta de 20,1%, em meio ao final do período de chuvas na região das hidrelétricas.

Já o consumo industrial avançou 5,91% ante maio do ano passado e cresceu 1,33% em relação a abril.

Em nota, o presidente executivo da Abegás, Augusto Salomon, destacou o avanço do consumo industrial.

“É verdade que, em maio, a base de comparação é com os números de 2018, então impactados pela greve dos caminhoneiros. Mas crescimento de 3,32% no acumulado da indústria (acima do PIB até aqui) mostra que essa evolução tem consistência”, disse Salomon.

Uma histórica greve de caminhoneiros no Brasil em maio passado, contra os elevados preços do diesel, impactou severamente a economia naquele mês, chegando a reduzir significativamente a produção industrial.

“Nossa expectativa é que, com as medidas certas para o setor de gás, esse crescimento possa ser ainda mais sólido no futuro”, afirmou Salomon.

O governo apresentou no final de junho um programa para abertura do mercado de gás natural no Brasil sob promessas de aumentar a concorrência e reduzir os preços do insumo — o ministro da Economia, Paulo Guedes, falou em um corte de custos de 40% em um período de até dois anos. | Reuters.

Enviar Imprimir


© Copyright 2006 - 2019 Fator Brasil. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Tribeira

 Consulta inválida: