Página Inicial
PORTAL MÍDIA KIT BOLETIM TV FATOR BRASIL PageRank
Busca: OK
CANAIS

27/10/2018 - 09:22

Com grandes possibilidades de atuação

O Engenheiro Têxtil é um profissional em falta no mercado.

De acordo com a Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), o Brasil possui mais de 30 mil empresas neste setor. Juntas, empregam mais de 1,5 milhão de trabalhadores e geram um faturamento anual de US$ 45 bilhões. Ainda assim, a Engenharia Têxtil é uma área menos conhecida e que até o final do século passado estava mais focada em vestuário e produtos de cama, mesa e banho. Mas, nos últimos anos, as novas aplicações de têxteis passaram a crescer exponencialmente, abrindo novos mercados e aumentando a procura por profissionais com esse conhecimento específico.

Atualmente, o engenheiro têxtil pode atuar em empresas de toda a cadeia têxtil, produzindo e confeccionando polímeros, fibras, fios e tecidos. Além disso, o mercado de tecidos técnicos cresce a cada dia, gerando novas oportunidades de trabalho na indústria automobilística, médica, esportivos, entre outras.

Em parceria com um engenheiro eletricista, também é possível produzir os chamados E-têxteis (tecidos que podem funcionar como eletrônicos e se comportam fisicamente como têxtil), possibilitando a criação de roupas que monitoram batimentos cardíacos ou almofadas capazes de atuar como um controle remoto. As possibilidades são infinitas!

Apesar de todas as possibilidades de atuação, ainda existem poucas faculdades de Engenharia Têxtil no Brasil. Em compensação, o diploma deste curso é reconhecido em todo o Mercosul, o que expande ainda mais as opções de emprego do graduado.

Durante a graduação, o estudante aprende todo o processo de transformação dos têxteis, suas propriedades e características. Também são desenvolvidos e incentivados projetos multidisciplinares em conjunto com outras áreas da engenharia como elétrica, mecânica, civil, química e materiais, para que o egresso esteja apto para lidar com todos os desafios de sua profissão.

Desenvolver tecidos antibacterianos, repelentes a insetos ou com proteção aos raios UV, projetar estruturas que suportem temperaturas extremamente altas ou que resistam a cargas e impactos, trabalhar em materiais que permitam excelência de rendimento em atletas ou que monitorem suas condições físicas são exemplos de alguns dos desafios típicos do engenheiro têxtil atual. No futuro esse tipo de atuação deve se intensificar, pois os têxteis estão se tornando cada vez mais importantes em vários ramos de atividade. A multidisciplinaridade e a relação com outras áreas da ciência serão primordiais no trabalho do engenheiro têxtil.

. Por: Fernando Barros de Vasconcelos – É coordenador do curso de Engenharia Têxtil do Centro Universitário FEI.| Centro Universitário FEI — Com 77 anos de tradição, o Centro Universitário FEI é referência entre as instituições universitárias no Brasil, nas áreas de Administração, Ciência da Computação e Engenharia. A Instituição, com campus em São Bernardo do Campo e na capital paulista, já formou mais de 50 mil profissionais, entre engenheiros, administradores de empresas e profissionais da área de Ciência da Computação, muitos ocupando posições de liderança nas principais empresas do País.

Mantido pela Fundação Educacional Inaciana Pe. Sabóia de Medeiros, o Centro Universitário FEI integra a Rede Jesuíta de Educação e agrega marcas históricas de instituições de ensino de São Paulo: Faculdade de Engenharia Industrial, Escola Superior de Administração de Negócios e Faculdade de Informática.

Os cursos oferecidos são Administração, Ciência da Computação e Engenharia – habilitações em Engenharia Civil; Engenharia de Automação e Controle; Engenharia de Materiais; Engenharia de Produção; Engenharia Elétrica, com ênfase em Eletrônica, em Computadores e em Telecomunicações; Engenharia Mecânica e Engenharia Mecânica com ênfase Automobilística; Engenharia Têxtil; Engenharia Química e Engenharia de Robôs. Oferece ainda cursos de pós-graduação lato sensu nas áreas de Tecnologia e de Administração, entre outros; mestrado em Administração, Engenharia Elétrica, Mecânica e Química; e doutorado em Administração e Engenharia Elétrica.

Enviar Imprimir


© Copyright 2006 - 2021 Fator Brasil. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Tribeira