Página Inicial
PORTAL MÍDIA KIT BOLETIM TV FATOR BRASIL PageRank
Busca: OK
CANAIS

17/04/2018 - 08:14

Delta Air Lines anuncia resultados financeiros do primeiro trimestre de 2018

A Delta Air Lines anunciou os resultados financeiros do primeiro trimestre de 2018. Os destaques desses resultados, incluindo métricas GAAP e ajustadas, estão apresentados abaixo e incorporados nesse informativo.

O lucro líquido ajustado do primeiro trimestre de 2018 foi de US$ 676 milhões, um aumento de US$ 104 milhões em relação ao mesmo período do ano anterior, com o recorde de receitas neutralizado pelo aumento nos preços de combustível e outros custos, incluindo a quantia de US$ 44 milhões do impacto causado pelo inverno rigoroso.

"Os funcionários da Delta garantiram um sólido trimestre e nossa receita recorde foi resultado direto do ótimo serviço e da alta confiabilidade operacional proporcionado aos nossos clientes. É uma honra reconhecer esse excelente trabalho com US$ 183 milhões destinados a participação nos lucros em 2018", disse Ed Bastian, CEO da Delta. "Seguimos firmes em nosso plano para aumentar os lucros em 2018 por meio de crescimento de primeira linha, melhorando nossos custos e estabelecendo parcerias internacionais."

Receitas — A receita operacional ajustada da Delta foi de US$ 9,8 bilhões no primeiro trimestre de 2018, um aumento de 8%, ou US$ 715 milhões, em relação ao ano anterior. Essa receita é um recorde do primeiro trimestre do ano para a empresa, resultado de melhorias nos negócios da Delta, incluindo um aumento de 23% na receita de transporte de carga e um aumento de US$ 78 milhões na receita total de fidelidade. A iniciativa Branded Fares da Delta movimentou US$ 421 milhões em receita de upsell no período, um aumento de 23% em relação ao ano passado.

O total de receitas unitárias, excluindo as vendas de refinaria (TRASM), aumentou 5% durante o período, com moeda estrangeira contribuindo com pouco mais de 0,5 pontos de benefícios. Este é o quarto trimestre consecutivo de crescimento ano a ano, com todas as regiões geográficas apresentando resultados positivos.

"Este é o melhor momento das receitas da Delta desde 2014, com receitas domésticas unitárias positivas, melhorias em todas as nossas entidades internacionais, forte demanda por viagens corporativas e aumentos de dois dígitos em nossas receitas de fidelidade", disse Glen Hauenstein, presidente da Delta. "Com as nossas sólidas iniciativas comerciais, implementadas com o serviço Delta líder do setor, esperamos manter esse ritmo e atingir o crescimento anual da receita total de 4% a 6% para o ano todo."

Orientação para o segundo trimestre de 2018— Para o segundo trimestre de 2018, a Delta espera que o crescimento sólido da receita e a melhoria nos custos neutralizem o impacto do aumento dos preços de combustíveis. A empresa também se beneficiará com a redução nas taxas contábeis e fiscais.

Desempenho de custos — O total de despesas operacionais ajustadas no primeiro trimestre de 2018 aumentou US$ 817 milhões, devido ao aumento nos preços de combustível, investimentos em salários e participação nos lucros dos funcionários, além de aumento nas despesas com desvalorização.

As despesas ajustadas de combustível aumentaram US$ 317 milhões, ou 20% em relação ao primeiro trimestre de 2017, já que o aumento ano a ano nos preços de combustível foi atenuado pelas perdas de hedge no ano anterior e melhor eficiência do combustível. O preço do combustível por galão ajustado da Delta no primeiro trimestre de 2018 foi de US$ 2,01, incluindo US$ 0,05 de benefícios para a refinaria.

O valor de CASM-Ex aumentou 3,9% no primeiro trimestre de 2018 em relação ao mesmo período do ano passado, devido aos aumentos nos salários de abril de 2017 e à desvalorização acelerada causada pela aposentadoria de aeronaves. Os custos unitários também tiveram a pressão de cerca de 1 ponto devido ao impacto do inverno rigoroso e do câmbio. A Delta espera neste período o maior aumento do ano nas despesas não relacionadas a combustível.

"Esperamos um aumento no custo unitário de 1% a 3% no segundo trimestre de 2018, com os resultados de investimentos no nosso pessoal e nos nossos negócios realizados no ano passado", disse Paul Jacobson, diretor financeiro da Delta. "Depois da pressão da desvalorização da aposentadoria de frotas e os benefícios das nossas iniciativas de melhorias upgauging e One Delta no final do ano, seguimos nossa meta de custo unitário para o ano todo de 0% a 2%."

A despesa não operacional ajustada não teve mudança na comparação ano a ano no primeiro trimestre de 2018, pois a melhoria de US$ 62 milhões nas despesas de planos de pensão foi compensada por custos de juros mais altos e a sazonalidade dos ganhos de parceiros de joint venture. A empresa espera que a despesa não operacional ajustada para o ano de 2018 apresente uma redução de US$ 200 milhões a US$ 250 milhões em relação a 2017, devido à redução nas despesas de planos de pensão.

As despesas com impostos caíram US$ 117 milhões no primeiro trimestre de 2018, principalmente devido à redução na alíquota de imposto da Delta de 34% para 23%.

Fluxo de caixa e retorno a acionistas — A Delta gerou US$ 1,3 bilhão em fluxo de caixa operacional, com o caixa sazonal parcialmente compensado pelo pagamento de US$ 1,1 bilhão de participação nos lucros aos funcionários e uma contribuição voluntária de US$ 500 milhões de pensão no primeiro trimestre de 2018, completando o financiamento para o ano inteiro. A Delta gerou US$ 173 milhões de fluxo de caixa livre durante o trimestre, após o investimento de US$ 1,2 bilhão nos negócios, principalmente em compras e aprimoramentos de aeronaves.

No primeiro trimestre de 2018, a Delta devolveu US$ 542 milhões aos acionistas, que se referem a US$ 325 milhões em recompras de ações e US$ 217 milhões em dividendos.

Destaques estratégicos — No primeiro trimestre de 2018, a Delta atingiu vários marcos em seus cinco pilares estratégicos principais.

Cultura e pessoas — Nomeada uma das Empresas Mais Admiradas pela revista Fortune pelo quinto ano consecutivo. Nomeada uma das 100 Melhores Empresas para Trabalhar de 2018 pela Fortune, pelo segundo ano consecutivo.

Confiabilidade operacional — Garantiu 52 dias sem cancelamentos nas linha principal e 19 dias sem cancelamentos em todo o sistema, um aumento de 9 dias em relação ao primeiro trimestre de 2017.

Atingiu desempenho sem atraso (A0) nas linhas principais de 74,2% no primeiro trimestre de 2018, um aumento em relação ao desempenho de 73,5% do ano passado.

Rede e parcerias —Aumentou a eficiência por meio da estratégia de upgauging, que aumentou o número de assentos domésticos em 3,4%, com 0,9% a mais no número de embarques no período. Como parte de renovação da sua frota, a Delta colocou mais 43 Boeing 737-900 e Airbus A321 em operação, colocando mais 105 aeronaves AVOD em sua frota em relação ao ano passado.

Recebeu as aprovações finais das autoridades reguladoras para uma nova parceria de joint venture com a Korean Air, oferecendo uma das redes de rotas mais abrangentes no mercado transpacífico.

Experiência e fidelidade do cliente — Registrou um aumento de dois dígitos em despesas de marcas conjuntas, ajudando a garantir US$ 85 milhões de valor incremental do contrato da Delta com a American Express no primeiro trimestre de 2018. As novas aquisições de cartões bateram recorde no período, após o recorde de 2017 com mais de 1 milhão de aquisições de cartões.

Implementou uma experiência de check-in mais integrada nos 32 Delta Sky Clubs, com a instalação de dispositivos portáteis com embaixadores da marca. A Delta instalou a tecnologia de check-in CLEAR em 50 Delta Sky Clubs, simplificando ainda mais o processo de check-in para os membros do CLEAR.

Balanço de investimentos — Fez a contribuição voluntária de US$ 500 milhões para o plano de pensão e encerrou o trimestre com um passivo não financiado de US$ 6,3 bilhões, uma redução de US$ 642 milhões a partir do final de 2017.

Mudanças nas normas de contabilidade — No dia 1º de janeiro, a Delta adotou uma série de novas normas contábeis, incluindo o novo padrão de reconhecimento de receita, que gerou 0,5 ponto de margem e US$ 0,05 por ação de pressão no primeiro trimestre de 2018. Isso representa substancialmente todo o impacto da margem e lucro relacionado às novas normas contábeis de 2018.

Os períodos anteriores apresentados aqui foram reformulados para refletir a adoção desses novos padrões. Além disso, a Delta fez as seguintes alterações em sua demonstração de resultados:

A Delta deixou de desagregar a receita de passageiros por operadoras principais e regionais.

As despesas de negócios auxiliares foram consolidadas em apenas um item de despesas operacionais.

As despesas de combustível das transportadoras regionais são agora relatadas nas despesas de combustível de aeronaves e impostos relacionados, e não nas despesas da transportadora regional.

Resultados do primeiro trimestre de 2018— Itens especiais do trimestre consistem principalmente em ajustes de marcação de mercado em hedges de combustível da refinaria e ganhos/perdas não realizados em investimentos.

Enviar Imprimir


© Copyright 2006 - 2022 Fator Brasil. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Tribeira