Página Inicial
PORTAL MÍDIA KIT BOLETIM TV FATOR BRASIL PageRank
Busca: OK
CANAIS

23/09/2016 - 10:52

Saiba quem demitir

A situação do país impulsiona o índice do desemprego, mas será que são as pessoas ideias que estão sendo demitidas.

Nos dias atuais, não é mais novidade a crescente onda de desemprego em nosso país, pois, com uma economia instável as empresas buscam cada vez mais se reestruturar de forma que consigam produzir mais e melhor com um quadro de funcionários menor.

Segundo o IBGE, a população desocupada no Brasil chegou a 11,8 milhões de pessoas em julho. No acumulado nos sete primeiros meses de 2016, o país perdeu 623 mil empregos formais. A taxa de desemprego subiu para 11,6% no trimestre encerrado em julho e atingiu o maior nível já registrado pela série histórica da Pnad Contínua do IBGE. Com isso, o desemprego no Brasil é o 7º maior do mundo em termos percentuais.

Diante desse cenário, o setor de Recursos Humanos tem o desafio de analisar a influência que a situação de desemprego causa no clima organizacional, tendo em vista que a ameaça da perda de renda assusta muito em qualquer ambiente, causando impactos emocionais e psicológicos, que afetam o rendimento de todos na organização, como insegurança, medo, queda da autoestima, frustração, estresse, culpa e ansiedade.

É de suma importância trabalhar o clima organizacional nesse momento, pois, um ambiente como esse reflete diretamente nas ações da empresa, podendo dificultar ainda mais o andamento dos negócios.

Para evitar que o clima organizacional fique desagradável e haja as perdas citadas acima, é fundamental que o processo de redução de quadro de funcionários seja programado, devendo seguir alguns cuidados básicos que visam a diminuição do impacto que irá gerar sobre os empregados que permanecerem na empresa.

Além disso, para esse momento de crise, é imprescindível para as empresas saber o papel que cada colaborador desempenha, pois a demissão de uma pessoa errada pode acarretar inúmeros problemas para a instituição. A demissão em massa gera muitos impactos na organização, podendo ocorrer: .Perda de liderança | . Queda na produção | . Perda de familiaridade entre as unidades | . Redução do trabalho em equipe |. Aumento de conflitos | . Estresse organizacional.

A reestruturação inadequada no quadro de funcionários podem trazer também outros prejuízos como: Perda de Experiência; Perda do espírito empreendedor; Perda de Agilidade, Perda na Comunicação e Imagem externa abalada junto a clientes e parceiros.

Por isso, é imprescindível implantar na organização ações preventivas, corretivas e de manutenção para diminuir o impacto das demissões:

1. Processo de Feedback Individual – É importante que a empresa possua um processo de feedback e registro do mesmo, implantado para que os colaboradores saibam como anda seus rendimentos e também para saber quem demitir quando a decisão for tomada pela empresa.

2. Processo de Feedback Organizacional – Comunicar a empresa como anda o mercado, sua atuação e seus clientes é importante para transparência e para evitar fofocas dentro da organização.

3. Participação dos funcionários na gestão da crise – Após compartilhar a situação e havendo nela a necessidade de redução de custos, incentive os colaboradores a participar de reuniões de brainstorm (onde os funcionários dão ideias inovadoras para o negócio), visando otimizar os recursos da empresa, buscar novas linhas de negócio, enfim, criar o sentimento de todos juntos no mesmo barco.

4. Tenha critérios bem definidos – Saber o porque está demitindo é fundamental para compartilhar com a empresa a decisão.

5. Decisão Compartilhada com a Liderança – Todos os lideres da empresa devem saber o porquê a empresa está demitindo para que se possa replicar a verdade aos demais e evitar rádio peão.

6. Respeito e Elegância durante o desligamento – Não importa o motivo do desligamento o profissional deve ser tratado com respeito, nunca desligar por email, telegrama, ou restrição de acesso à empresa. É fundamental nunca criar o clima de que o funcionário está sendo expulso da empresa, isso evita que os demais projetem o que pode ser feito com os que ficaram. O Processo de desligamento em massa gera muita expectativa e inevitavelmente irá mexer nas estruturas físicas e emocionais da empresa, porém se for conduzida com organização, transparência e respeito aos funcionários o processo poderá ser superado com mais rapidez e eficiência, pois esse é objetivo final, sair desse processo mantendo a empresa sustentável e forte em sua atuação.

. Por: Carlos André, Formado em Administração de Recursos Humanos e Pós Graduado em Desenvolvimento Gerencial pela Fundação Getúlio Vargas (SP). Diretor de Operações da DP Expert Consultoria e Terceirização de Serviços RH.

Enviar Imprimir


© Copyright 2006 - 2021 Fator Brasil. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Tribeira