Página Inicial
PORTAL MÍDIA KIT BOLETIM TV FATOR BRASIL PageRank
Busca: OK
CANAIS

14/04/2016 - 07:58

Sommelier Daniel Wolff — 500 Anos de Reinheitsgebot : o que você sabe sobre a lei de pureza alemã?

Sommelier Daniel Wolff, é fundador da rede Mestre-Cervejeiro.com, explica a polêmica lei bávara de 1516

O que você conhece sobre a lei de pureza alemã, que completa 500 anos em 2016? Você sabia, por exemplo, que o nome moderno de hoje, "Reinheitsgebot" - que se pode traduzir como "exigência de pureza" -, foi dado apenas no século XX? Ou, ainda, que quando promulgada em 23 de abril de 1516, pelo então Duque da Baviera Guilherme IV, a regra valia apenas para a Baviera - e portanto não se aplicavam a cervejas alemãs produzidas em outras regiões?

Quando criada, a norma permitia apenas a utilização de água, cevada e lúpulo na fabricação da cerveja bávara. No século XX, além de ganhar um nome, a regulamentação foi atualizada para incluir a levedura - descoberta como protagonista da fermentação apenas no século XIX, com Louis Pasteur. E, ainda, ?permitiu-se a utilização de outros cereais além da cevada, como por exemplo o trigo, ingrediente base das tão apreciadas Weissbier. “Outras modificações sofridas pela lei no século passado - por ser considerada protecionista pela união européia, e para adaptação ao mercado moderno -, foram: a liberação do uso de açúcar na fabricação, como é comum nos estilos belgas de cerveja, assim como a limitação do uso de nutrientes para as leveduras, a adição de gás carbônico (sem ser apenas através da fermentação) e do tratamento dos insumos, como por exemplo a reutilização de leveduras”, afirma Daniel Wolff, sommelier de cervejas e fundador da rede Mestre-Cervejeiro.com.

Alguns dados históricos, porém, mostram que um dos motivos por trás da criação da Reinheitsgebot talvez não tenha sido apenas a preocupação com a qualidade da cerveja, mas também uma manobra econômica. ?”Permitindo apenas cevada na fabricação, o duque Guilherme IV, da casa Wittelsbach - dinastia que governou a Bavária entre 1323 e 1918 -, dava um golpe na família do Palácio Eggenberg, que detinha ??o monopólio da produção das cervejas de trigo. ?Além disso, a maior parte do texto explicativo da lei é sobre controle de preços”, pontua Daniel.

?Há indícios também de escassez de trigo na região ?na época, e ?o cereal deveria ser economizado para utilização ?na fabricação de pães?.? Além disso, as cervejas eram produzidas ?com "gruit"? - mistura de ervas utilizada para temperar e conservar a cerveja, ?cujo direito de distribuição? e concessão de permissão de uso era da Igreja Católica. Instituir o lúpulo ?como insumo que deveria ser utilizado para esse fim ?também foi ?uma das supostas razões para a criação da lei, como forma de controlar a produção das cervejarias e diminuir o poder econômico da Igreja.

“Seja pelo motivo que for, a promulgação da lei de pureza foi um marco importante para a história da cerveja. Porém poucos sabem, ainda, o que exatamente é essa celebração. Por isso, aproveitaremos os 500 anos da Reinheitsgebot para lançar em abril uma campanha nas lojas focando em informação, com fatos e curiosidades sobre a lei, e é claro, muitas cervejas de estilos alemães para serem degustadas. Além disso, postaremos em nosso site videos com curiosidades sobre a data e, ainda, características das cervejas alemãs, com dicas de serviço - copo ideal, temperatura e harmonização. Queremos cada vez mais participar ativamente da educação cervejeira no pais”, finaliza Wolff.

Enviar Imprimir


© Copyright 2006 - 2021 Fator Brasil. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Tribeira