Portal Fator Brasil 
Página Inicial
PORTAL MÍDIA KIT BOLETIM TV FATOR BRASIL PageRank
Busca: OK
CANAIS

28/08/2015 - 07:22

Cedae inicia principal intervenção na Marina da Glória


"Tatuzinho" vai fazer perfuração e assentamento de tubulação.

A Cedae iniciou esta semana a principal etapa do projeto olímpico na Marina da Glória. Trata-se da implantação da galeria de cintura (tubulação para captar efluentes lançados em galerias de águas pluviais), que visa livrar aquela importante raia de competição esportiva de todo e qualquer tipo de lançamento clandestino na Baía de Guanabara. Nesta fase estão sendo feitos a perfuração e o assentamento da tubulação. Para isso está sendo usado equipamento conhecido como “tatuzinho” pela semelhança com o shield, utilizado nas obras do metrô, em versão menor.

Os coletores que compõem o sistema de captação em tempo seco estão sendo implantados pelo método não destrutivo, ou seja, sem abertura de valas e sem necessidade de interdições no trânsito. De tecnologia alemã, o “tatuzinho”, que tem capacidade para perfurar grandes distâncias entre poços, será usado para interligar dois sistemas desse projeto, que será concluído até dezembro deste ano.

— A tubulação percorrerá cerca de um quilômetro - da esquina das ruas Teixeira de Freitas com Mestre Valentim até pouco antes da Avenida Presidente Antônio Carlos, ao longo da Avenida Beira Mar. A galeria de cintura captará todos os efluentes lançados nas galerias de águas pluviais, inclusive possíveis efluentes lançados por ligações clandestinas, encaminhando-os para a rede coleta da Cedae — destacou o presidente da Cedae, Jorge Briard.

Com a conclusão dos serviços, eventuais lançamentos clandestinos de esgotos nas galerias de águas pluviais serão direcionados à nova elevatória da Marina da Glória, que terá capacidade para bombear até 450 litros por segundo para o interceptor oceânico e, na sequência, ao emissário submarino de Ipanema.

Enviar Imprimir


© Copyright 2006 - 2019 Fator Brasil. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Tribeira

 Consulta inválida: