Página Inicial
PORTAL MÍDIA KIT BOLETIM TV FATOR BRASIL PageRank
Busca: OK
CANAIS

29/01/2008 - 07:30

Davos 2008: líderes mundiais pedem ação para atingir as metas do milênio

Gordon Brown, Bill Gates, Bono Vox, Rainha Rania, Ban Ki-moon, Klaus Schwab, Umaru Musa Yar’Adua e John Chambers divulgam declaração conjunta.

Davos, Suíça - Durante a reunião Anual 2008 do World Economic Forum, em Davos alguns líderes globais divulgaram uma declaração conjunta prometendo que este será o ano de virada na luta contra a pobreza. O mundo enfrenta uma “emergência por desenvolvimento”, declararam todos. “Prometemos trabalhar em conjunto para ajudar o mundo a cumprir com sua agenda e com as Metas do Milênio.”

Os líderes que conduziram a convocação para toda a sociedade agir incluem Ban Ki-moon, Secretário Geral da ONU, Umaru Musa Yar’Adua, presidente da Nigéria, Gordon Brown, Primeiro-Ministro do Reino Unido, Vossa Majestade Rainha Rania Al Abdullah da Jordânia William H. Gates III, Presidente Executivo da Microsoft, Klaus Schwab, Fundador e Presidente Executivo do World Economic Forum, Bono Vox, músico e membro da DATA (Dívida, AIDS, Comércio e África, em inglês), e John T. Chambers, Presidente Executivo e CEO da Cisco.

“Estamos aqui hoje apenas para dizer algo em alto e bom som: Não sob nossa guarda!”, afirma o Secretário Geral da ONU, Ban Ki-moon. “Eu falo em nome aqueles que são mais vulneráveis às mudanças climáticas e por aqueles que sofrem com a mais extrema pobreza. Que 2008 seja o ano de virada”, comenta.

“Todos nós concordamos que este é o momento de passar de promessa para performance... Vamos transformar nossos compromissos em ação pelas crianças de todo o mundo”, completa a Rainha Rania.

“Este é um pacto moral e não um contrato jurídico. Para darmos um passo adiante, é necessário usar esse acordo e transformá-lo em contratos oficiais”, afirma Bono. “Graças às lideranças africanas e ao cancelamento de dívidas, 29 milhões de crianças vão agora para a escola”, ressalta.

“Para nós africanos, atingir as Metas do Milênio é um dever sagrado”, afirma o presidente da Nigéria, Umaru Musa Yar’Adua. “Um dos nossos maiores desafios na África é a falta de infra-estrutura, que é uma das chaves para atingir as Metas do Milênio. Eu agradeço essa iniciativa da comunidade global.”

“Estou certo que, aqui em Davos, dizemos a verdade: é necessário uma emergência por desenvolvimento e devemos convencer a todos a tomarem medidas para alcançarmos as Metas do Milênio em 2015”, ressalta o Primeiro-Ministro britânico, Gordon Brown.

“Este chamado para todos agirem se encaixa na idéia de capitalismo criativo”, afirma Bill Gates. “Nós podemos ter mais progressos e é importante fazer parte dessa iniciativa”, completa o executivo. “Eu desafio as empresas a se unirem aos governos e às ONGs para renovarem os esforços”, declara Chambers. “É o poder da inovação colaborativa que faz diferença”, destaca.

Declaração conjunta diz: “Na reunião do milênio, em 2000, a comunidade internacional – diversos líderes mundiais, organismos internacionais, de quase todos os países – prometeu não poupar esforços para atingir sete principais objetivos, chamados de Metas do Milênio.

Passado metade do tempo até 2015, fizemos progressos vitais: . 3 milhões de crianças a mais sobrevivem todos os anos | . 2 milhões de pessoas agora recebem tratamento contra a AIDS | . Mais 41 milhões de crianças estão na escola | . 2 milhões de vidas são salvas todos os anos com vacinação básica | . Poliomielite, Lepra e Tétano neonatal estão a ponto de serem eliminados | . As economias africanas cresceram em média 6% ao ano nos últimos três anos e estão prontas para um desenvolvimento ainda mais acelerado mais nos próximos.

Este progresso inspira todos nós a fazer mais. Sabemos que podemos fazer a diferença. Mas, ainda enfrentamos desafios enormes – uma emergência por desenvolvimento: .72 milhões de crianças ainda não vão à escola e muitos dos que freqüentam as salas de aula recebem educação de baixa qualidade | . Metade das nações em desenvolvimento sofre com a falta de saneamento básico. Caso a tendência se mantenha, a meta de saneamento não será batida em quase 600 milhões de pessoas. | . Mais de meio milhão de mulheres ainda morrem todos os anos por complicações que podem ser tratadas e prevenidas relacionados ao parto ou pós-nascimento | . Mais de 33 milhões de pessoas são soropositivas e mais de um milhão morrem de malária todos os anos, incluindo uma criança a cada 30 segundos | . 980 milhões de pessoas ainda vivem com menos de US$ 1 por dia.

Ou seja, sem um extraordinário esforço, nós vamos fracassar no cumprimento das Metas do Milênio. O ano de 2008 é crítico. Se não voltarmos a ação, vamos falhar. Hoje, aqui em Davos, nós endossamos o comprometimento para trabalhar e tornar 2008 o ano da virada na luta contra a pobreza. Estamos felizes por unir forças aos 19 países e a 21 empresas do setor privado que agora assinam O Chamado para Ação das Metas do Milênio. E prometemos trabalharmos juntos para ajudar o mundo voltar a cumprir as Metas do Milênio.

Nós sabemos que só teremos sucesso se os governos, o setor privado, grupos religiosos, a sociedade civil e as ONGs trabalharem juntos.

E para catalizar, inspirar e focar as nossas atividades nesta coalização além das fronteiras – e para medir os progressos das promessas feitas para 2015 – hoje concordamos que a comunidade mundial deve estabelecer alguns propósitos para 2010 em direção às metas de 2015, incluindo: . Mais 75 milhões de pessoas retiradas da extrema pobreza na África | . Mais 25 milhões de crianças nas escolas | . Mais 4 milhões de vidas infantis salvas | . Mais 35 milhões de nascimentos feitos por pessoas com as habilidades médicas exigidas entre hoje e 2010 | . Mais 70 milhões de pessoas com acesso à água potável.

Uma série de reuniões internacionais durante este ano vão identificar o que mais nós precisamos para atingir esses resultados e concordamos em concretizar os seguintes planos:

Na primavera, o setor privado vai se reunir e anunciar novas medidas para ajudar a alcançar as Metas do Milênio.

Em junho, os líderes europeus vão definir o que a União Européia pode fazer para acelerar progresso em direção às MetasIn July, the Japan G8 Summit will focus on development and climate change.

Em julho, a reunião do G8 no Japão será voltada para discutir o aquecimento global e o desenvolvimento: Em setembro, na ONU – e pela primeira vez – governos, empresas, organizações da sociedade civil, ONGs e grupos religiosos vão se reunir para marcar qual é a metade do caminho para as Metas do Milênio, analisar o progresso e decidir quais são os passos adicionais que a comunidade internacional deve tomar para acelerar as ações.

E os italianos concordaram em levar isso adiante em 2008 com seu G8 - O mundo testemunha uma emergência por desenvolvimento e é necessário criar um esforço global para voltarmos a cumprir com as Metas do Milênio. Nos comprometemos a nos reunir e duplicar nossos trabalhos.” Mais de 2.500 participantes de 88 países estão reunidos em Davos, entre os quais 27 chefes de estados ou governos, 113 ministros de governo, junto com líderes religiosos, da mídia e chefes de organizações não-governamentais. Cerca de 60% dos participantes são líderes do mundo dos negócios vindo de empresas associadas do Forum - 1,000 das maiores empresas globais em todos os setores econômicos.

Presidentes conjuntos da reunião de Davos 2008: Tony Blair, primeiro ministro do Reino Unido (1997-2007), Membro do Conselho de Fundação do World Economic Forum; presidente Conjunto da Reunião Anual 2008 do World Economic Forum.

James Dimon, presidente e CEO, JPMorgan Chase & Co., EUA; presidente Conjunto da Reunião Anual 2008 do World Economic Forum.

K.V. Kamath, diretor geral e chief executive Officer, ICICI Bank, India; presidente Conjunto da Reunião Anual 2008 do World Economic Forum.

Henry Kissinger, presidente, Kissinger Associates, EUA; presidente Conjunto da Reunião Anual 2008 do World Economic Forum.

Indra K. Nooyi, pesidente e CEO, PepsiCo, EUA;presidente Conjunto da Reunião Anual 2008 do World Economic Forum.

David J. O’Reilly, presidente e CEO, Chevron Corporation, EUA; Presidente Conjunto da Reunião Anual 2008 do World Economic Forum

Wang Jianzhou, executivo Principal, China Mobile Communications Corporation, República Popular da China; presidente Conjunto da Reunião Anual 2008 do World Economic Forum

Todos os participantes da Reunião Anual do World Economic Forum 2008 podem assistir às respostas à Pergunta de Davos, e são incentivados a responder diretamente para perguntas do público no primeiro quiosque de vídeo da YouTube montado no Centro de Congressos em Davos. Algumas das melhores contribuições serão utilizadas durante sessões chaves do programa.

Perfil - O World Economic Forum é uma organização internacional independente compromissada em melhorar as condições do mundo, envolvendo lideranças para estruturar agendas locais, regionais e globais.

Incorporada como uma fundação em 1971, e sediada em Genebra na Suíça, o World Economic Forum é imparcial, não tem fins lucrativos e não está ligado a interesses políticos, partidários ou nacionais. | www.weforum.org

Enviar Imprimir


© Copyright 2006 - 2021 Fator Brasil. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Tribeira