Portal Fator Brasil 
Página Inicial
PORTAL MÍDIA KIT BOLETIM TV FATOR BRASIL PageRank
Busca: OK
CANAIS

25/03/2015 - 08:20

CPFL Renováveis: Ebtda aumenta 17,8% e registra R$ 663,5 milhões em 2014

Com a entrada de operação de novos projetos, a companhia encerra o ano com acréscimo de 22,5% na receita líquida.

A CPFL Energias Renováveis S. A. (CPRE3), empresa líder no Brasil no segmento de energias renováveis com projetos em operação comercial, registrou receita líquida de R$ 369,4 milhões no 4T14 e de R$ 1,2 bilhão no acumulado de 2014, com crescimentos, respectivamente, de 10,5% em relação ao 4T14 e 22,5% em comparação com o ano de 2013.

“Mesmo com um ano desafiador e difícil para o setor elétrico brasileiro, encerramos 2014 com uma companhia maior e mais robusta. A nossa geração de energia, distribuída em 80 usinas das quatro fontes renováveis (eólica, PCHs, biomassa e solar) atingiu 4,2 GWh, registrando um crescimento de 31,9% na geração de energia em relação a 2013”, afirma André Dorf, presidente da CPFL Renováveis. “E, embora as condições hidrológicas desfavoráveis verificadas em 2014 tenham afetado negativamente nosso resultado, o Ebitda da companhia alcançou R$ 209,3 milhões no quarto trimestre e R$ 663,5 milhões em 2014, com crescimentos de 19,2% e 17,8%, respectivamente”, acrescenta.

Se fossem excluídos gastos extraordinários como GSF (Generating Scaling Factor, que indica o déficit de energia das hidrelétricas), Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs) fora do Mecanismo de Realocação de Energia (MRE) e compra de energia para suprir lastro de contratos devido a revisão do cronograma de obras, o Ebitda ajustado teria alcançado R$ 213,4 milhões no quarto trimestre e R$ 810,5 bilhões no acumulado do ano, com margens respectivas de 57,8% e 65%.

Evolução do Ebitda e do Ebitda ajustado (R$ MM) - Já o resultado líquido da companhia ficou negativo em R$ 65,2 milhões no 4T14, ante um lucro líquido de R$ 27,8 milhões no mesmo período de 2013. Desconsiderando os gastos extraordinários, os resultados dos períodos teriam sido um prejuízo de R$ 25,9 milhões no 4T14 ante um lucro líquido de R$ 100,9 milhões no 4T13 (sem considerar eventuais efeitos de impostos). No acumulado de 2014, o prejuízo ficou em R$ 167,4 milhões ante R$ 55 milhões em 2013. Da mesma maneira, se não forem considerados os gastos extraordinários, os resultados dos dois exercícios teriam sido um lucro líquido de R$ 14,9 milhões em 2014 ante um lucro líquido de R$ 119,6 milhões em 2013 (sem considerar eventuais efeitos de impostos).

(1) O Ebitda corresponde ao lucro líquido antes: (i) das despesas de depreciação e amortização; (ii) do imposto de renda e contribuição social (tributos federais sobre a renda); e (iii) do resultado financeiro, conforme Instrução CVM Nº 527, de 04 de outubro de 2012.

(2) Energia contratada dos projetos em operação - O ano foi marcado pela incorporação dos ativos de DESA – que passou a ser contabilizada no resultado financeiro e operacional a partir do dia 1º de outubro de 2014 e acrescentou 330,8 MW de capacidade contratada, a conclusão da aquisição dos parques eólicos de Rosa dos Ventos (fevereiro) e a entrada em operação comercial dos complexos eólicos Atlântica (março), Santa Clara (abril) e Campo dos Ventos II, Eurus e Macacos I (dezembro). Com isso, o parque gerador em operação alcançou 1,8 GW de capacidade, distribuído em 80 ativos.

Em 2014, a CPFL Renováveis gerou 4,2 GWh de energia, um aumento de 31,9% em relação ao ano de 2013. A geração de energia eólica no ano cresceu 77,5%, alcançando 2,3 GWh. Já a geração hidrelétrica a partir de PCHs diminuiu 20,3% no período, atingindo 949,6 MWh. No entanto, no quarto trimestre, a produção das pequenas centrais hidrelétricas teve um aumento de 4,7% (13,3 GWh) em comparação com o mesmo período de 2013, em razão da incorporação de três PCHs da DESA (Novo Horizonte, Figueirópolis e Ludesa).

No acumulado de 2014, a geração a partir de usinas de biomassa bateu em 1 GWh, registrando um crescimento de 37,6% em relação ao ano anterior.

O investimento líquido da CPFL Renováveis chegou a R$ 204,8 milhões em 2014, ante R$ 803,8 milhões em 2013. A redução deve-se à conclusão de diversas obras durante o exercício de 2013 e início do exercício de 2014.

Ao término de 2014, a empresa contava com quatro novos projetos em construção, que adicionarão 336 MW ao seu portfólio nos próximos três anos: PCH Mata Velha, complexos eólicos Campo dos Ventos e São Benedito, parque eólico Morro dos Ventos II e complexo eólico Pedra Cheirosa. Além disso, a CPFL Renováveis possui pipeline de projetos a serem desenvolvidos de cerca de 4 GW.

“A execução dos projetos ao longo de 2014 e as novas iniciativas de crescimento da companhia seguem a evolução e o potencial da geração de energia a partir de fontes renováveis na matriz elétrica brasileira”, afirma Dorf. Em seu entender, a situação de liquidez da CPFL Renováveis se mantém sólida, com um saldo de caixa de R$ 1,1 bilhão em 2014 e um perfil de endividamento adequado à estratégia de crescimento, com prazos longos e custos competitivos.

CPFL Renováveis- Maior empresa do Brasil no segmento de geração de energia elétrica a partir de fontes renováveis, a CPFL Energias Renováveis S.A. (CPRE3) tem um portfólio de 80 empreendimentos de geração nas quatro fontes: pequenas centrais hidrelétricas (PCHs), parques eólicos, usinas termelétricas a biomassa e usina solar, tecnologia em que foi pioneira no Estado de São Paulo. Ao final de 2014, eles totalizavam uma capacidade de geração de 1,8 GWh. A CPFL Renováveis tem ações listadas no Novo Mercado da BM&FBovespa, o mais alto segmento de governança corporativa desde 2013.

Enviar Imprimir


© Copyright 2006 - 2020 Fator Brasil. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Tribeira

 Consulta inválida: