Portal Fator Brasil 
Página Inicial
PORTAL MÍDIA KIT BOLETIM TV FATOR BRASIL PageRank
Busca: OK
CANAIS

23/12/2014 - 09:13

Destaques do balanço energético do Rio de Janeiro 2014 – Ano Base 2013

1) Petróleo e gás natural – reservas e produção: . Em 2013, as reservas provadas de petróleo do Brasil atingiram 2,479 bilhões de metros cúbicos, dos quais 79,6% (1,974 bilhão de metros cúbicos) estavam localizados no litoral do Estado do Rio de Janeiro. Em 1980, as reservas fluminenses representavam 44,9% das reservas brasileiras de petróleo.

. Dos 117,446 milhões de metros cúbicos de petróleo produzidos no Brasil em 2013, 84,6 milhões de metros cúbicos – 1,458 milhão de barris diários – foram extraídos no Rio de Janeiro. Isso representou 72% do total de petróleo produzido no país. Já em 1980, o Rio respondia por somente 15,7% da produção nacional.

. A Refinaria Duque de Caxias (Reduc), da Petrobras, capaz de processar 242.158 barris/dia de petróleo, respondeu por 11% da capacidade total de refino do Brasil em 2013. No ano passado, a capacidade de refino da planta foi plenamente utilizada, e 40% da carga processada na Reduc foi proveniente de importação.

. As reservas provadas de gás natural do Rio de Janeiro atingiram 257,192 bilhões de metros cúbicos em 2013, ante as reservas de 458,163 bilhões de metros cúbicos do país. Percentualmente, o Rio respondeu por 56,1% das reservas provadas de gás natural do Brasil – o maior percentual da série histórica iniciada em 1980.

. A produção de gás natural no estado em 2013 foi de pouco mais de 10 bilhões de metros cúbicos – 35,5% do total de gás produzido no Brasil. A relação reserva/produção (tempo estimado para que as reservas provadas sejam completamente produzidas) do estado subiu de 21,8 anos, em 2010, para 25,7 anos, no ano passado. Já no Brasil, essa relação caiu de 18,4 anos para 16,3 anos.

2) Energia elétrica – geração: . A capacidade nominal das centrais elétricas de serviço público instaladas no Rio de Janeiro somaram 7.441,6 megawatts em 2013. Desse total, 56,4% são de termelétricas convencionais (a gás natural); 27%, de térmicas nucleares (Angra 1 e 2); 16,2%, de hidrelétricas e pequenas centrais hidrelétricas (PCHs); e 0,4%, de energia eólica (Gargaú, em São Francisco do Itabopoana, no Norte Fluminense).

. Dos 44.838 gigawatts-hora (GWh) gerados no ano passado nas centrais elétricas de serviço público, pouco mais da metade (22.880,5 GWh) foram oriundos de térmicas a gás natural. As termonucleares (Angra 1 e 2) produziram 14.640,2 GWh (32,6%); as hidrelétricas, 7.253,5 GWh (16,2%), e a usina eólica Gargaú, 63,8 GWh (0,1%). Eletronuclear (32,7%), Petrobras (31,5%), EDF (14,3%) e Light (11,2%) foram as principais geradoras de energia elétrica no estado em 2013.

- Somando os autoprodutores, que produziram 8.904,7 GWh, a geração de energia elétrica no Rio de Janeiro em 2013 correspondeu a 91,3% da demanda estadual de eletricidade, incluindo as perdas na transmissão e na distribuição. Em 2012, essa geração correspondeu a 83,1%.

. O consumo elétrico, incluindo os autoprodutores de eletricidade e as perdas, foi de 58.840,1 GWh. O setor residencial liderou o consumo, com 13 mil GWh (27,1% do total). Logo atrás ficou o setor industrial (incluindo autoprodutores de eletricidade), com 12.540 GWh (25,9%).

3) Etanol: . Em 2013, a produção de etanol (anidro e hidratado) do Rio de Janeiro foi de 82,2 milhões de litros, o que correspondeu a 6,9% do consumo final energético de etanol no Estado no mesmo ano.

. Quanto ao bagaço de cana, foram produzidas 760,5 mil toneladas em 2013. Todo esse volume foi utilizado para consumo próprio do setor sucroalcooleiro, para geração de calor e de energia elétrica.

. A produção sucroalcooleira do Rio de Janeiro está concentrada no Norte Fluminense.

4) Lenha: . Em 2013, foram produzidas 126,9 mil toneladas de lenha no estado, das quais apenas 8,7% foram destinadas às carvoarias para transformação em carvão vegetal.

. A maior parte da lenha produzida no Estado foi direcionada ao consumo, com destaque para o segmento residencial (34,0% do total) e para as indústrias química (33,3%) e de cerâmica vermelha (29,1%). | Site: [www.riocapitaldaenergia.rj.gov.br].

Enviar Imprimir


© Copyright 2006 - 2020 Fator Brasil. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Tribeira

 Consulta inválida: