Página Inicial
PORTAL MÍDIA KIT BOLETIM TV FATOR BRASIL PageRank
Busca: OK
CANAIS

03/12/2014 - 08:36

Consumo de energia no mercado livre cresce 1,04% em outubro

No entanto, o comparativo anual aponta queda de -3,62% em relação a outubro de 2013, refletindo o impacto do custo da energia no setor produtivo e o cenário econômico adverso.

São Paulo – O Índice Setorial Comerc, estudo mensal que avalia os dados de consumo de energia elétrica das 540 unidades sob administração da empresa no mercado livre de energia, revela que, em outubro de 2014, o consumo de energia no mercado livre cresceu 1,04% em relação ao mês anterior. No comparativo anual, o consumo de energia registrou queda de -3,62% em relação a outubro de 2013, reflexo das fortes quedas de consumo de energia registradas nos setores de Siderurgia, Veículos e Autopeças, e Eletroeletrônicos.

O aumento do consumo de energia no comparativo mensal pode estar relacionado ao maior número de dias úteis em outubro de 2014 em relação ao mês precedente. Além disso, observa-se uma melhor dinâmica do setor de Comércio e Varejo, como informa a última resenha da Empresa de Pesquisa Energética (EPE). Segundo o órgão, o setor de Comércio e Serviços teve aumento de 6,1% no consumo de energia em setembro, com evolução em todas as regiões do país. Este fato condiz com os resultados setoriais do Índice Comerc, que mostram, em outubro de 2014, o setor de Comércio e Varejo com um aumento de 4,69% no seu consumo de energia.

No comparativo anual, fica evidente a dificuldade do setor industrial em recuperar os níveis produtivos de 2013. Uma vez mais, o consumo de energia foi negativo em outubro, -3,62%, após leve recuperação em setembro (0,85%). Importante ressaltar que o número de dias úteis em outubro de 2014 foi igual ao de 2013, ou seja, os dados têm a mesma base de comparação. Os resultados do comparativo anual estão em linha com a última resenha da EPE, que afirma: “O menor dinamismo de setores eletrointensivos tem causado impacto significativo no mercado de energia elétrica industrial. (...) O consumo industrial caiu 4,7% [em setembro], ainda impactado pelo setor eletrointensivo e os correlacionados e refletindo a desaceleração da economia”. Essas conclusões se alinham ao histórico do consumo de energia do Índice Comerc, em seu comparativo anual (abaixo), que mostra a queda perene do consumo de energia em 2014 sobre os patamares de 2013. Em outubro, chama a atenção a redução brusca do consumo de energia no setor siderúrgico, que regrediu -19,04% em outubro de 2014 em relação ao mesmo período de 2013, contribuindo decisivamente para a queda do Índice Geral do mês.

Comparativo setorial -No comparativo setorial mensal, os setores produtivos que mais aumentaram o seu consumo de energia foram os de Veículos e Autopeças (4,74%) e Comércio e Varejo (4,69%). Destacou-se negativamente o setor de Papel e Celulose (-6,28%). No comparativo anual, conforme mencionado anteriormente, o destaque negativo é o setor de Siderurgia, cujo consumo de energia caiu -19,04% em outubro de 2014 em relação ao mesmo período de 2013, seguido dos setores de Veículos e Autopeças (-8,43%) e Eletroeletrônicos (-7,29%). O setor de embalagem, por outro lado, é o único com aumento mais expressivo do consumo de energia, com 4,31%.

Detalhamento do consumo setorial -Os quadros abaixo revelam o histórico do consumo de energia nos setores produtivos analisados pelo Índice Comerc, nas bases comparativas mensal e anual. Na análise mensal, o setor de siderurgia volta a cair (-0,12%), após ter registrado aumento do consumo de energia em setembro. O mesmo vale para o setor de Papel e Celulose, que caiu -6,28% em outubro, anulando a evolução de 5,25% registrada em setembro. Interessante registrar a retomada do setor de Comércio e Varejo, que cresce pelo terceiro mês consecutivo: 2,09% (agosto), 5,76% (setembro) e 4,69% (outubro).

No comparativo entre outubro de 2014 em relação ao mesmo mês de 2013 (anual), alguns setores são críticos e estão longe dos patamares de consumo de energia observados no ano passado. O setor de Veículos e Autopeças retraiu seu consumo pelo sétimo mês consecutivo: em outubro, caiu -8,43% em relação ao mesmo período de 2013. Outro setor de destaque negativo é o de Siderurgia e Metalurgia, que em outubro registrou a sexta e mais expressiva queda do consumo de energia – despencou -19,04%. Isso reflete o impacto do custo da energia na atividade produtiva do setor, uma vez que o insumo é fundamental para a produção siderúrgica. Outro setor crítico é o de Têxtil, Couro e Vestuário, que reduziu seu consumo de energia em nove dos dez meses avaliados em 2014. Em outubro, voltou a cair -4,96%, após recuperação observada em setembro, quando registrou aumento de 1,53% no consumo de energia.

Perfil - A Comerc Energia foi fundada em 2001 e é formada por duas empresas: a Comerc Gestão e a Comerc Trading. A Comerc Gestão é a maior gestora independente de energia elétrica do Brasil, responsável por gerir 13% da carga de energia de consumidores livres. O objetivo da empresa é maximizar a redução do custo de energia elétrica e atender plenamente as necessidades do cliente no curto, médio e longo prazo, por meio da elaboração de estratégias de posicionamento e de estruturas de gerenciamento de energia. A gestora também administra 3.300 MW de potência de geração (produtores independentes e auto produtores), buscando a criação de valor para o cliente por meio de estratégias de comercialização rentáveis, seguras e eficientes.

A Comerc Trading está entre as 10 maiores do país por montante de energia comercializada. Entre as comercializadoras independentes, a Comerc está na liderança. A empresa faz parte da aliança internacional Energy Experts, juntamente à norueguesa Bergen Energi, à norte-americana Delta Energy e à australiana Energy Advice. O grupo oferece soluções globais em gerenciamento e estruturação de estratégias de contratação de energia elétrica para consumidores multinacionais. [www.comerc.com.br].

Enviar Imprimir


© Copyright 2006 - 2020 Fator Brasil. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Tribeira