Página Inicial
PORTAL MÍDIA KIT BOLETIM TV FATOR BRASIL PageRank
Busca: OK
CANAIS

03/12/2014 - 08:30

Vanderlei Cordeiro de Lima receberá o Troféu Adhemar Ferreira da Silva

Há dez anos, brasileiro foi o responsável por um dos momentos mais emocionantes da História Olímpica, em Atenas 2004 Responsável por um dos momentos mais emocionantes da História Olímpica, o maratonista Vanderlei Cordeiro de Lima foi escolhido pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB) para receber o Troféu Adhemar Ferreira da Silva, que homenageia atletas que carregam consigo os valores positivos do esporte. Dez anos após conquistar o bronze em Atenas 2004, após ser derrubado por um expectador enquanto liderava a maratona dos Jogos Olímpicos, Vanderlei receberá a láurea na cerimônia do Prêmio Brasil Olímpico no dia 16 de dezembro, no Theatro Municipal, no Rio de Janeiro.

Nascido em 4 de julho de 1969, Vanderlei Cordeiro de Lima saiu das estradas de terra da pequena Cruzeiro do Oeste, interior do Paraná, para ganhar o mundo. Levando o Brasil ao topo nas principais maratonas do planeta, Vanderlei teve uma carreira recheada de glórias e superação. Além das vitórias no esporte, é exemplo de conduta pessoal. Sua atitude em persistir na maratona dos Jogos Olímpicos de Atenas rendeu ao brasileiro uma honraria dada a poucos atletas, a medalha Pierre de Coubertin, destinada àqueles que demonstram elevado grau de esportividade e espírito olímpico durante a disputa dos Jogos. Agora, o medalhista de bronze olímpico receberá do COB o Troféu Adhemar Ferreira da Silva e entrará em mais um grupo seleto de notáveis do esporte olímpico brasileiro, que reúne, entre outros, Nelson Prudêncio, Maria Lenk, Joaquim Cruz e Torben Grael.

“Este prêmio é um reconhecimento muito grande por tudo que fiz na minha carreira, pela minha historia no esporte e vem coroar também o que venho praticando desde que a encerrei. Tento retribuir um pouco do que o esporte me deu. Esta homenagem do COB é um agradecimento a tudo aquilo que o esporte pôde me proporcionar. É muito gratificante e faz com que realmente eu olhe para frente e veja um futuro promissor. Gostaria que todos os atletas pudessem se dedicar a promover o esporte ao encerrarem suas carreiras. Todos os valores que tenho vêm da minha família e do esporte”, declarou Vanderlei.

Em Atenas 2004, Vanderlei vivia um sonho no berço dos Jogos Olímpicos. Líder da maratona que fechava os Jogos, faltando sete quilômetros para o fim da prova, foi covardemente derrubado pelo irlandês Cornelius Horan. Neste momento, não desistiu. Ajudado a se levantar pelo grego Polyvios Kossivas, que assistia a corrida, Vanderlei conseguiu terminar a competição na terceira colocação. Sua entrada no estádio Panathinaikos fazendo o famoso “aviãozinho”, sob a ovação do público grego é um momento épico da história do esporte olímpico brasileiro.

“É algo que jamais pude planejar na minha vida. O esporte fez muito mais por mim do que eu poderia imaginar. Ele me proporcionou condições de tomar aquela atitude e transformar algo negativo em positivo. Quem me conhece sabe que eu poderia ter aquela reação. Aquela atitude é a imagem do Vanderlei. Gostaria de agradecer a todos que fizeram parte da minha carreira e me ajudaram a chegar aonde cheguei. Clubes, patrocinadores, meus primeiros treinadores e ao meu grande parceiro, Ricardo D´Angelo. Todos fizeram grande diferença na minha carreira”, destacou único latino-americano a receber do Comitê Olímpico Internacional a medalha Pierre de Coubertin.

No mesmo ano dos Jogos de Atenas, Vanderlei foi a grande estrela do Prêmio Brasil Olímpico, ao conquistar os prêmios de Melhor Atleta do Ano, Personalidade Olímpica do Ano e Melhor Atleta do Atletismo. Além disso, na ocasião, reencontrou o grego que o ajudou na maratona de 2004 e ainda recebeu a Medalha Pierre de Coubertin no palco do Theatro Municipal.

Além da medalha olímpica em Atenas, Vanderlei conquistou o ouro no Pan de Winnipeg 99 e Santo Domingo 2003 e os títulos das maratonas de Reims 94, Tóquio 96, e São Paulo 2002, entre outros diversos resultados de destaque.

“Vanderlei Cordeiro de Lima é um herói olímpico nacional e um cidadão exemplar. Nada mais justo que o COB homenageá-lo com um prêmio concedido a atletas que ultrapassam a barreira do esporte para inspirar a todos. Sua atitude nos Jogos Olímpicos de Atenas é um marco para o esporte olímpico, nos emociona até hoje e nunca será esquecida”, comentou Carlos Arthur Nuzman, presidente do COB.

O Troféu Adhemar Ferreira da Silva foi criado pelo COB em 2001 como forma de homenagear atletas e ex-atletas que representem os valores éticos, esportivos e morais que marcaram a trajetória de Adhemar, um exemplo de eficiência técnica, esportividade, companheirismo, sentido de coletividade e respeito ao próximo, entre outros.

Os Homenageados até hoje: 2001 - Nelson Prudêncio – Atletismo | 2002 - João Gonçalves Filho - Natação e Pólo Aquático | 2003 - Amaury Antonio Pasos – Basquete | 2004 - Maria Lenk – Natação | 2005 - Agberto Guimarães – Atletismo | 2006 - Aída dos Santos – Atletismo | 2007 - André Gustavo Richer – Remo | 2008 - João Havelange - Natação e Pólo Aquático | 2009 – Joaquim Cruz – Atletismo | 2010 – Eder Jofre – Boxe | 2011 – Bernard Rajzman – Vôlei | 2012- Hortência – Basquete | 2013 – Torben Grael – Vela.

Melhores do Ano - Oscar do esporte brasileiro, o Prêmio Brasil Olímpico 2014 chega à sua 16ª edição prestando homenagens ainda em outras categorias: Melhor Atleta do Ano, Atleta da Torcida, Troféu Adhemar Ferreira da Silva, Melhores Atletas dos Jogos Escolares da Juventude e Troféu COI, entre outras premiações.

Os seis atletas mais votados pelo colégio eleitoral do Prêmio Brasil Olímpico 2014 que concorrem ao prêmio de Melhor Atleta do Ano são: Ana Marcela Cunha (maratona aquática), Mayra Aguiar (judô) e Martine Grael e Kahena Kunze (vela), no feminino; Arthur Zanetti (ginástica artística), Marcus Vinicius D´Almeida (tiro com arco) e Tiago Splitter (basquete), no masculino.

Para o prêmio de Atleta da Torcida, nova categoria do Prêmio Brasil Olímpico, o COB selecionou atletas ou duplas que marcaram o esporte brasileiro em 2014, seja por sua performance, exemplo de superação, conquista inédita ou por suas atitudes e condutas. A definição do vencedor desta categoria será feita pelo público, que já pode votar através das mídias sociais, Facebook e Twitter, utilizando hashtags que devem conter #EuVotoPBO e o nome do atleta.

Concorrem ao prêmio Atleta da Torcida: Cesar Cielo (natação), Diego Hypolito (ginástica artística), Isaquias Queiroz (canoagem velocidade), Marcus Vinícius D’Almeida (tiro com arco), Matheus Santana (natação), Tiago Splitter (basquete), Aline Ferreira (luta), Flavia Saraiva (ginástica artística), Larissa e Talita (vôlei de praia), Martine Grael e Kahena Kunze (vela), Mayra Aguiar (judô) e Sheilla Castro (vôlei). [www.cob.org.br].

Enviar Imprimir


© Copyright 2006 - 2021 Fator Brasil. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Tribeira