Portal Fator Brasil 
Página Inicial
PORTAL MÍDIA KIT BOLETIM TV FATOR BRASIL PageRank
Busca: OK
CANAIS

11/01/2008 - 11:33

Carnaval limpo: prefeitura vai coibir a venda de espuma

Uma boa notícia para quem quer brincar o carnaval limpo: os foliões estarão livres de uma vez por todas daquela incômoda espuma tóxica que atravessa o samba. A prefeitura do Rio vai coibir a venda ilegal dos tubos de spray de espuma nos blocos e bailes de carnaval.

Representantes de blocos carnavalescos, das subprefeituras e da Prefeitura se reuniram hoje de manhã na sede da Riotur para tratar de detalhes operacionais dos eventos nos dias de carnaval.

Ficou estabelecido que a Guarda Municipal e o departamento de Controle Urbano vão reprimir a utilização da espuma e das garrafas de vidro, nos dias de folia.

O diretor de operações da Riotur, Bruno Mattos, lembrou que a lei municipal 4563 proíbe a comercialização da espuma em aerosol. Os ambulantes que desobedecerem à lei terão o material apreendido. E os comerciantes que venderem os tubos de espuma serão notificados, podendo perder o alvará. A Riotur pedirá ao departamento de Controle Urbano que faça blitzes, a partir de amanhã, nos mercados populares da cidade -onde a espuma normalmente é vendida- para reprimir a comercialização ilegal do produto.

"A espuma irrita quem está brincando o carnaval, além de ser fabricada com material tóxico, podendo provocar irritações nos olhos e na pele. Vamos ter bom senso e brincar o carnaval respeitando o direito dos outros. A prefeitura faz um apelo aos pais que não comprem as espumas para os filhos, é prejudicial e ilegal. É muito melhor brincar o carnaval com os tradicionais confetes e serpentinas. A prefeitura vai coibir também a venda de bebidas em garrafas de vidro nos blocos e bailes porque representam um perigo enorme nos eventos de massa. As pessoas podem se cortar. O objetivo é evitar os acidentes", afirmou o diretor de operações da Riotur, Bruno Mattos.

Enviar Imprimir


© Copyright 2006 - 2019 Fator Brasil. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Tribeira

 Consulta inválida: