Portal Fator Brasil 
Página Inicial
PORTAL MÍDIA KIT BOLETIM TV FATOR BRASIL PageRank
Busca: OK
CANAIS

02/08/2014 - 07:43

PLD é fixado em R$ 809,43/MWh para todos os submercados na segunda semana de agosto

Redução de afluências e de intercâmbio elétrico do Sul para Sudeste, paradas de usinas para manutenção, influenciam o aumento no preço.

São Paulo - A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica - CCEE divulga no dia 1º de agosto (sexta-feira), o Preço de Liquidação das Diferenças - PLD para o período de 2 a 8 de agosto de 2014. O preço médio fixado para todos os submercados foi de R$ 809,43/MWh, 39% superior ao da semana anterior.

A alta no valor do PLD se verifica principalmente em virtude da perspectiva de redução das afluências para o Sistema Interligado Nacional – SIN, e da previsão de parada para manutenção de usinas termelétricas e hidrelétricas.

Devido à atenuação das frentes frias no Sul e Sudeste, a expectativa é que se mantenha a tendência de redução das afluências até o fim de agosto. Pela primeira vez, desde fevereiro, são esperadas vazões menores do que a média histórica mensal para o Sul. Em conseqüência, haverá menor oferta de energia neste submercado e de intercâmbio elétrico para o Sudeste. A previsão é que o limite máximo de envio não seja atingido em nenhum dos patamares de carga. Em virtude dessa expectativa, os preços se equalizaram em todos submercados.

O armazenamento inicial no SIN foi superior ao esperado em 1120 MWmédios, tendo como destaque a região Sudeste. Isto porque nas semanas anteriores - com o Sul apresentando afluências maiores do que a média histórica - houve priorização de transferência de energia para a região. Como reflexo foi possível poupar os reservatórios pela utilização de geração térmica adicional. Já na região Sul, o volume de armazenamento foi menor do que nas semanas anteriores.

O consumo esperado para as regiões Sudeste e Nordeste sofreu redução expressiva, totalizando 659 MW médios. Por outro lado, a expectativa nas regiões Sul e Norte apresentou acréscimo total de 132 MW médios. A tendência é que se mantenha a alta geral do consumo no segundo semestre do ano.

No conjunto, o PLD em todos os submercados se elevou em função da redução nas afluências esperadas ter sido preponderante em relação ao maior armazenamento inicial dos reservatórios e à redução na carga.

A análise detalhada do comportamento do PLD pode ser encontrada no boletim InfoPLD divulgado semanalmente no site da CCEE.

Entenda o PLD -O PLD é o preço de referência do mercado de curto prazo, utilizado para precificar o que foi gerado e o que foi consumido de energia elétrica por todos os participantes do mercado (que operam no âmbito da CCEE).

A CCEE apura mensalmente o total de energia consumido pelos consumidores que compram no Ambiente de Comercialização Livre (ACL) e pelos cativos do Ambiente de Contratação Regulado (ACR). Os contratos negociados no mercado livre,fechados entre o comprador e o vendedor(pelos geradores, comercializadores e consumidores livres e especiais) e pagos bilateralmente, também são registrados na CCEE. Por sua vez, no mercado cativo os contratos são fechados em leilões regulados pelo governo, informações também registradas pela CCEE.

Caso haja mais consumo ou geração do que os montantes contratuais registrados, essas diferenças são liquidadas mensalmente no mercado spot (à vista ou de curto prazo, como também é conhecido). Todos os devedores (subcontratados) pagam em igual proporção para os credores (sobrecontratados).

O valor utilizado para este acerto é o Preço da Liquidação das Diferenças (PLD).O PLDé calculado semanalmente pela CCEE e tem um valor teto e piso, definido pela Aneel. Este ano o teto está em R$ 822,23/MWh e o piso em 15,62/MWh.

Perfil - A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica - CCEE (www.ccee.org.br) é responsável por viabilizar e gerenciar a comercialização de energia elétrica no país, garantindo a segurança e o equilíbrio financeiro deste mercado. A CCEE é uma associação civil sem fins lucrativos, mantida pelas empresas que compram e vendem energia no Brasil. O papel da CCEE é fortalecer o ambiente de comercialização de energia - no ambiente regulado, no ambiente livre e no mercado de curto prazo - por meio de regras e mecanismos que promovam relações comerciais sólidas e justas para todos os segmentos do setor (geração, distribuição, comercialização e consumo). A CCEE atua em conjunto com outras instituições e órgãos governamentais que compõem a governança do setor para assegurar um modelo sustentável de energia no país, capaz de estimular o crescimento da economia do Brasil e, ao mesmo tempo, garantir um preço acessível ao consumidor.

Enviar Imprimir


© Copyright 2006 - 2020 Fator Brasil. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Tribeira

 Consulta inválida: