Página Inicial
PORTAL MÍDIA KIT BOLETIM TV FATOR BRASIL PageRank
Busca: OK
CANAIS

03/04/2014 - 08:13

Ford revela o trabalho de aerodinâmica por trás do novo Mustang


Com o novo Mustang a Ford reinventou o seu emblemático "pony car", combinando o caráter esportivo e de linhas arrojadas com uma sofisticada tecnologia aerodinâmica que melhora o desempenho e a economia de combustível.

"Apesar da clássica grade em forma de boca de tubarão e da postura mais agressiva, o novo Mustang tem uma aerodinâmica que reduz a resistência do ar e aumenta a economia de combustível, ao mesmo tempo em que mantém o carro firme na pista em velocidades mais altas", diz Dave Pericak, engenheiro-chefe do Mustang. "Nosso time venceu o desafio de criar um Mustang ainda mais elegante sem precisar recorrer a um formato de gota sem personalidade."

Design e performance são dois atributos essenciais que fizeram o Mustang conquistar milhões de fãs em todo o mundo. O desempenho de um carro pode ser melhorado com o aumento da potência do motor ou com a redução da quantidade de trabalho a ser realizado. O novo Mustang faz as duas coisas, com uma motorização mais eficiente e um design elegante, que corta o ar com menor esforço. Um vídeo sobre esse trabalho (em inglês) pode ser visto neste link.

Conforme a velocidade aumenta, maior é o papel da aerodinâmica no desempenho do veículo. A força necessária para cortar o ar aumenta exponencialmente com a velocidade, de modo que o dobro da velocidade requer oito vezes mais potência só para superar o arrasto. Por isso, pequenas mudanças podem ter um grande impacto no desempenho e na economia de combustível.

"No novo Mustang, dedicamos cerca de duas vezes mais tempo a simulações aerodinâmicas e testes de túnel de vento que no modelo anterior", diz Carl Widmann, gerente de engenharia aerodinâmica. "Grandes avanços na nossa capacidade computacional de análise da dinâmica de fluidos permitiram testar mudanças no projeto e dar o retorno ao estúdio em menos de 48 horas para que pudessem experimentar diferentes propostas de estilo."

Gerenciamento de ar -Embora não pareça, as rodas girando são uma fonte importante de arrasto aerodinâmico. Mas cobri-las com saias para suavizar o fluxo de ar não cai bem, especialmente em um carro de performance como o Mustang. Por isso, o time de aerodinâmica da Ford adotou uma abordagem diferente para o Mustang e criou as primeiras "aero curtains" da marca: aberturas nas extremidades da frente do carro que canalizam o ar para a superfície externa da roda e do pneu. Essa parede de ar em alta velocidade funciona como uma saia para reduzir o arrasto, deixando as belas rodas de liga leve à mostra.

Além de ajudar a definir a identidade visual do Mustang, a grade fornece a entrada de ar para resfriar o motor. Deixar o ar entrar no compartimento do motor em vez de fazê-lo fluir por fora da carroceria aumenta o arrasto. Por isso, cada um dos três motores do Mustang vem com uma grade única, que permite apenas a entrada de ar necessária para o motor.

A grade com fechamento ativo do Mustang com motor 2.3 EcoBoost reduz o arrasto em velocidades mais altas e aumenta a economia de combustível. Quando o resfriamento extra não é necessário, as aletas podem fechar completamente a grade. Até as suas nervuras foram cuidadosamente moldadas para reduzir a resistência e o ruído do vento.

Carro "plantado"-Com uma velocidade máxima de 250 km/h no Mustang GT V8, é imprescindível ter uma dirigibilidade precisa e confiável. Divisores e barreiras de ar sob o para-choque dianteiro ajudam a minimizar a passagem de ar sob o carro. O Mustang GT tem também duas aberturas no capô que contribuem para manter a dianteira colada na pista.

A resistência total do ar é resultado da combinação da área frontal e do coeficiente de arrasto. Embora tenha uma lateral traseira mais larga, a linha de teto mais baixa contribui para reduzir a área frontal do Mustang. Junto com o coeficiente de arrasto menor, a força total de arrasto do novo carro é reduzida em impressionantes 3%, com maior aderência e menor ruído de vento na cabine. Em rodagem na estrada, 3% menos de arrasto representam 1% mais de economia de combustível.

Enviar Imprimir


© Copyright 2006 - 2021 Fator Brasil. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Tribeira