Página Inicial
PORTAL MÍDIA KIT BOLETIM TV FATOR BRASIL PageRank
Busca: OK
CANAIS

20/02/2013 - 07:30

Não rerrefino do OLUC traz prejuízos ambientais


Lubrificantes Fenix realiza o serviço de coleta em postos autorizados e rerrefino de óleo, sendo referência de empresa sustentável.

Paulínia (SP)- Os processos de rerrefino do OLUC (Óleo Usado ou Contaminado) evoluem ano a ano, tanto quanto os processos de coletas do resíduo, realizados exclusivamente por agentes autorizados através da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis). Se em 1993 11,46% de óleo lubrificante usado era coletado, em 2011 a prática alcançou um percentual de 35,90%.

Entre 2007 e 2011, período de vigência da Portaria MMA/MME nº 464/2007, enquanto o volume comercializado de óleo lubrificante acabado cresceu 26%, o volume coletado de OLUC passou de 272 milhões de litros para 405 milhões de litros, o que corresponde a um crescimento de 49%. Apesar da boa estatística, é necessário estar atento à quantidade de OLUC desviado do processo de rerrefino (processo de descontaminação e cuidados com o OLUC que resgata as propriedades inerentes do óleo base, deixando-o apto novamente para uso), pois o desvio do resíduo pode contaminar o Meio Ambiente.

O OLUC tem características tóxicas e perigosas para os Ecossistemas e saúde humana se não descartado de forma correta. A prática tecnicamente recomendada e eficiente para a regeneração e recuperação do resíduo e seus componentes é o rerrefino. Portanto, quem compra óleo queimado, tais como algumas caldeiras, olaria, fundições e lubrificantes de moto-serras deixam de trabalhar a conscientização ambiental e adquirem o resíduo para reutilizá-lo sem rerrefiná-lo cometendo crime ambiental grave cuja multa pode chegar a R$50 milhões, se autuado. Para que se tenha um comparativo dados da Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) alertam que um único litro de óleo é capaz de esgotar o oxigênio de 1milhão de litros de água.

Dados do MMA (Ministério do Meio Ambiente) e MME (Ministério de Minas e Energia) apontaram que, em 2011, o país conseguiu resgatar para rerrefino 405.109.934, em litros de OLUC. O valor equivale a 35,81% do volume coletado, muito próximo a meta nacional, estimada pelo percentual mínimo anual definido pela portaria Interministerial MMA/MME nº 464/2007, de 35,90%. Os indicativos dos Ministérios demonstram ainda que o estado de São Paulo coletou, em 2011, 38,80% do OLUC. A Lubrificantes Fenix, de Paulínia, está entre as empresas habilitadas para fazer coletas em todo território nacional. Mensalmente são recolhidos pela Fenix cerca de três milhões de litros de OLUC. Deste volume 1,8 milhão de litros são revertidos para óleo em estágio básico, através do rerrefino. Outros 300 mil litros da empresa se transformam em subprodutos, (óleos mais finos) e 900 mil restantes (compostos por água e resíduos originados dos aditivos) são encaminhados às empresas que os utilizam como elementos de composição do cimento.

Com a redução da destinação inadequada do óleo lubrificante usado ou contaminado, a cadeia produtiva brasileira de óleo lubrificante básico se torna mais eficiente e, consequentemente, os impactos ambientais e a saúde humana são menores.

Fenix-A Lubrificantes Fenix está instalada em uma área de 20 mil metros quadrados em Paulínia-SP e tem se tornado um exemplo de cuidados e preocupação com o reuso de OLUC (Óleo lubrificante usado/contaminado). A empresa tem como propósito aprimorar as técnicas do rerrefino e consolidar a marca como referência no mercado, além de contribuir com ações que preservam o Meio Ambiente.

Assim a Fenix trabalha há 26 anos, investindo no desenvolvimento de altas tecnologias em equipamentos e processos de produção, na ampliação de sua frota, em unidades de tratamento de efluentes industriais, laboratório físico-químico, tancagem de armazenamento com capacidade para mais de 3 milhões de litros, além de uma equipe de mais de 190 colaboradores comprometidos com resultados e melhorias ao Meio Ambiente.

O gestor industrial da área de engenharia, Rodrigo de Campos Domene, 34, é formado em Engenharia Química pela Universidade Metodista de Piracicaba/SP, com pós- graduação em administração de empresas pela Fundação Getúlio Vargas. Na empresa Lubrificantes Fenix/Ecofenix (Paulínia-SP) Rodrigo é responsável, principalmente, pela equipe de gestão de todos os processos operacionais, além de gerenciar os contatos com agentes externos e o organograma da empresa na ausência da diretoria. Rodrigo está na empresa Fenix desde 1991 e, desde então, viaja pelo mundo, anualmente, para agregar e conhecer novas tendências em relação ao rerrefino de lubrificantes e demais temas correlacionados. Rodrigo está apto a atender os profissionais da imprensa/mídia para falar, principalmente sobre: processos de logística reversa, procedimentos de coleta e destinos do OLUC (óleo usado e/ou contaminado), e rerrefino deste óleo: benefícios e condições favoráveis ao Meio Ambiente.

Atividades realizadas, na Fenix, pelo gestor: . Gestão de pessoas |. Desenvolvimento de indústria multi-propósito |. Desenvolvimento de processos químicos para a indústria moderna |.Participar do processo de implantação da ISO 14001; |.Responsável pelo planejamento da produção envolvendo cálculos de capacidade de máquinas, número de funcionários envolvidos no processo produtivo, custos de produção, ociosidade e estoque gerado no período. Além das atribuições citadas, compartilha com a diretoria no desenvolvimento do processo organizacional, fornecendo informações que venham a enriquecer os planejamentos estratégicos realizados pela Lubrificantes Fenix/Ecofenix. [www.lubfenix.com.br] e redes sociais.

Enviar Imprimir


© Copyright 2006 - 2021 Fator Brasil. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Tribeira