Portal Fator Brasil 
Página Inicial
PORTAL MÍDIA KIT BOLETIM TV FATOR BRASIL PageRank
Busca: OK
CANAIS

28/11/2012 - 08:38

”Pauta Quente” vai de Orlando Silva, o Repórter das Multidões

O Bloco Carnavalesco Pauta Quente – que reúne os jornalistas de Niterói e amigos – vai lançar seu enredo 2013 no dia 9 de dezembro, um domingo, a partir das 14h, no clube Fluminense de Natação e Regatas, na Ponta d’Areia. O homenageado do próximo Carnaval será Orlando Silva, que foi repórter de O Dia, Última Hora, entre outros veículos de comunicação do Estado.

A Executiva do bloco, no meio do ano, já imaginava fazer uma homenagem a Orlando, que se afastou do convívio dos amigos nos últimos tempos, desde que ficou cego. Antes que o bloco o localizasse, a morte chegou primeiro e o levou. Agora, Pauta Quente fará uma homenagem póstuma. Também no domingo, dia 9, os jornalistas vão lembrar os sete anos de falecimento de Ivan Costa, que foi, por duas vezes, enredo do bloco – uma quando vivo (“Ivan, o Terrível!”) e outra já falecido. Mas não será um dia de tristeza. Haverá uma roda de samba de primeira, com canja de vários sambistas e em especial do cantor e compositor Zé Katimba, que fez agora em novembro 80 anos de idade A entrada é gratuita e a cerveja gelada cada um compra no bar do clube. O Fluminense fica na Rua Silva Jardim, perto do Mercado de Peixes.

Eis a sinopse de “Orlando Silva, o Repórter das Multidões”: ele foi da mesma época de Orlando Silva, o Cantor das Multidões. Para amigos, virou Orlando Silva, o Repórter das Multidões. Era umvvapaixonado pela vida. Baixinho, magrinho e negro, estava sempre de terno bem alinhado, desde o tempo em que era contínuo de jornal. “Euvtenho só o da passagem no bolso, mas imponho respeito”, costumava falar. Brilhava bailando na gafieira Estudantina.vCerta vez, se apaixonou por uma garota das boates da Praça Mauá. Ele saía da Redação e ia direto pra Mauá, à sua procura. De repente, a mulher sumiu. Ninguém tinha informação sobre ela. Dias depois, apareceu uma garota assassinada na área da Mauá. Orlando foi lá fazer a matéria. Nem a Polícia tinha qualquer pista sobre a identidade do “presunto”.

De volta à Redação, Orlando foi logo dizendo: “Vamos furar todo mundo. Só nós temos o ‘boneco’ da vítima!”. No dia seguinte, saiu na primeira página do jornal a foto 3x4 da garota sumida. Realmente, Orlando furou todo mundo e quase foi furado à faca. É que a “Namoradinha da Mauá” reapareceu, invadiu a Redação do jornal, querendo esfaquear Orlando. A turma do deixa disso evitou a tragédia. A única coisa que o nosso repórter conseguia falar era: ”Você sumiu; pensei que tivesse morrido!”.

Outra vez, Orlando foi fazer uma matéria na cadeia. Com livre trânsito na área policial, saiu de lá com um bilhete. “Anistia”, estava escrito. Orlando percebeu logo: eram presos políticos que, misturados a presos comuns, pediam para passar para fora dos porões da ditadura um grito de liberdade. Orlando cumpriu o seu papel e passou a mensagem adiante. Tempos depois, a Lei da Anistia foi assinada.

Era um iluminado. Na cobertura da morte de Luz del Fuego, foi o único repórter que perdeu o barco da Marinha que procurava o corpo na Baía de Guanabara. Dias depois, a Marinha suspendeu a busca e todos voltaram à terra. Orlando, para recuperar o tempo perdido, foi lá para a área, em outro barco. Eis que surge boiando o corpo de Fuego, tendo como única testemunha Orlando Silva. O Repórter das Multidões, anos mais tarde, perdeu a visão, recolheu-se às memórias e quase não mais saía de casa. Agora, em 2012, morreu, encontrando uma outra luz de vida. Pauta Quente vai pra avenida iluminado por Orlando Silva, o Repórter das Multidões.

Enviar Imprimir


© Copyright 2006 - 2019 Fator Brasil. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Tribeira

 Consulta inválida: