Portal Fator Brasil 
Página Inicial
PORTAL MÍDIA KIT BOLETIM TV FATOR BRASIL PageRank
Busca: OK
CANAIS

31/10/2012 - 06:48

83% das empresas brasileiras contam com iniciativas de redução de emissão de gases de efeito estufa

Relatório do Carbon Disclosure Project (CDP) mostra que número de grandes corporações do País que adota iniciativas de redução de emissão de gases de efeito estufa cresceu 124% desde 2008.

São Paulo – O Carbon Disclosure Project (CDP), organização não governamental sem fins lucrativos que detém o maior banco de dados corporativo do mundo sobre mudanças climáticas, acaba de lançar o relatório “CDP Investor Brasil 2012”. A publicação traz dados e análises sobre a emissão de Gases de Efeito Estufa (GEE) e sobre como as mudanças climáticas vêm sendo tratadas nas 52 empresas brasileiras que responderam ao questionário. Os resultados do relatório mostram uma preocupação cada vez maior das empresas com as mudanças climáticas. De 37% das empresas entrevistadas no relatório feito pelo CDP no Brasil em 2008, o número de companhias que conta com iniciativas de redução de emissão de GEE passou para 83% este ano.

Para chegar a estes resultados, o CDP enviou um questionário a 80 grandes empresas brasileiras, tendo como referência o índice iBrX, que foram convidadas a relatar suas emissões e ações frente às mudanças climáticas. Dessas empresas, 65% responderam ao CDP 2012 (52 contra 54 em 2011); 22 empresas (28%) declinaram ao convite e outras 7% não deram qualquer retorno.

A partir da análise de dados coletados, nota-se uma evolução nas respostas do questionário em relação aos anos anteriores. Os principais resultados do relatório foram: . 81% das empresas declararam que as mudanças climáticas estão integradas à sua estratégia de negócios. No entanto, apenas 19% dos participantes afirmam que decisões corporativas levam em consideração o tema para sua tomada de decisão;

.54% das empresas apresentam incentivos para executivos responsáveis pela gestão de GEE, como avaliação de resultados, por exemplo

. Os cinco riscos das mudanças climáticas mais relatados pelos respondentes foram físicos (mudança nos padrões de precipitação e nos extremos de precipitações e secas), legais (incerteza quanto a novas regulamentações e regulamentos ambientais gerais, incluindo o planejamento) e comportamentais (reputação junto ao público);

. Uma das perguntas feitas aos participantes questionava se elas enxergavam oportunidades de negócios nas mudanças climáticas e, em caso positivo, quais eram estas oportunidades. Reputação aparece entre as oportunidades mais reportadas (citada por 31% dos respondentes), juntamente com alteração do comportamento do consumidor (44%), que passa a procurar empresas mais sustentáveis e produtos ecologicamente corretos;

. A quase totalidade das respondentes relatou suas emissões. Para tal reporte, 69% das empresas utilizam a metodologia do Programa Brasileiro do GHG Protocol. Também foram citados o GHG Protocol (33%) e o ISO 14064-1 (25%). Importante ressaltar que a maior parte das companhias utiliza mais de um método;

. 40% das empresas definem as metas de redução de emissões. Além disso, foram reportadas 334 iniciativas de redução. Entre as empresas que detalharam suas iniciativas, somente 15% mencionaram que suas ações em relação ao tema são inovadoras;

. Vale destacar também que 21% das empresas possuem orçamento dedicado a Pesquisa & Desenvolvimento (P&D) de baixo carbono.

Segundo Fernando Eliezer Figueiredo, diretor do CDP Brasil, as metas para controle de emissão de carbono existem, mas ainda estão aquém do ideal. “As empresas brasileiras podem e devem assumir um comportamento mais abrangente de redução de GEE. É fundamental que se separe o crescimento de uma empresa da geração de poluentes. Na verdade, é justamente o contrário que acontece. Há uma correlação entre um melhor desempenho nas bolsas de valores e a preocupação com as mudanças climáticas: empresas com melhor planejamento sustentável tendem a economizar recursos e crescer mais”, comentou o diretor do CDP Brasil.

Melhores respostas-Para oferecer subsídios tanto para empresas quanto para investidores conduzirem sua estratégia rumo à economia de baixo carbono, o CDP implementou a sua metodologia de pontuação (scoring) de respostas no Brasil a partir desta edição. As declarações das companhias são pontuadas nos quesitos Disclosure e Performance. A primeira se refere a respostas claras e completas. Também se avalia nesta categoria a abrangência nas explicações, que devem incluir oportunidades e riscos relacionados à mudança climática, às melhores práticas de gestão para avaliação e à compreensão de emissões de GEE. A empresa com melhor resposta desta categoria foi a Vale.

Já a categoria Performance pode ser compreendida como uma ferramenta para reconhecer as empresas que estão tomando as medidas mais efetivas para amenizar as mudanças climáticas. A melhor pontuação desta categoria foi do Itaúsa.

É importante mencionar que a pontuação de cada empresa não será divulgada nesta edição. Apenas as próprias respondentes e os investidores signatários do CDP Brasil terão acesso aos dados.

As listas das dez empresas que receberam maiores pontuações nas categorias Disclosure e Performance foram, em ordem alfabética:

Empresas com maiores pontuações:BM&F Bovespa |Braskem S.A. |Cia Energética de São Paulo – CESP |CPFL Energia S.A.|Companhia Energética Minas Gerais – CEMIG |EDP – Energias do Brasil S.A.|CPFL Energia S.A. |Itaúsa Investimentos – Itaú S.A. |EDP - Energias do Brasil S.A. | JBS S.A. |Itaúsa Investimentos Itaú S.A. |Marfrig Alimentos S.A. |JBS S.A. |Petróleo Brasileira S.A. – Petrobras|Marfrig Alimentos S.A.|Santander Brasil|Vale|Santander Brasil.

Relatório completo no site https://www.cdproject.net/en-US/WhatWeDo/Pages/Brazil.aspx.

O Carbon Disclosure Project (CPD) é uma organização independente sem fins lucrativos, que detém o maior banco de dados corporativos sobre mudanças climáticas do mundo. Essas informações são coletadas em nome de mais de 656 investidores institucionais com U$78 trilhões de ativos sob gestão. No Brasil, o projeto opera desde 2006, convidando um grupo de 80 empresas (tendo como referência o índice iBrX) a fazerem seu reporte climático por meio da plataforma global do CDP.[ http://www.cdproject.net e www.cdp].

Enviar Imprimir


© Copyright 2006 - 2019 Fator Brasil. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Tribeira

 Consulta inválida: