Portal Fator Brasil 
Página Inicial
PORTAL MÍDIA KIT BOLETIM TV FATOR BRASIL PageRank
Busca: OK
CANAIS

01/04/2012 - 18:20

Troféu “Fator Brasil Premium”: “Sustentabilidade Corporativa, o Desafio”


O desenvolvimento corporativo é uma oportunidade para as empresas inovarem, agregarem valor e diferencial aos seus produtos, procedimentos e serviços, tornando-se mais competitivas. atualmente, o “grande desafio”- é formar empresas sustentáveis.

A sustentabilidade corporativa não é nenhum tipo de assistencialismo ou filantropia, nem mesmo um investimento social isolado. A sustentabilidade é, portanto, a adoção de práticas que fortalecem os negócios de forma integrada. Neste sentido, os recursos ambientais, sociais e econômico-financeiros estão na base desse tripé de sustentação. a utilização destes mecanismos para atender às necessidades do presente, sem comprometer a capacidade das gerações futuras em atender às suas próprias necessidades é o que chamamos de desenvolvimento sustentável.

A sustentabilidade corporativa precisa ser inserida nas organizações em todos os seus processos. porém, se não estiver inserida em sua cultura, dificilmente ela será alcançada. Por esta razão, pode-se dizer que uma empresa que pretende ser sustentável é uma empresa de ótima gestão, que visa à ética, o respeito, a formalidade, a minimização de recursos, principalmente os naturais, já tão escassos.

Além disso, valores como justiça, honestidade, tolerância, liberdade, humanidade e ética, precisam ser considerados nessa busca pela sustentabilidade corporativa. É preciso, também, superar alguns desafios. Os empresários e a sociedade precisam compreender o que é sustentabilidade.

Sendo assim, uma empresa que não pensa em sustentabilidade deixa de ser competitiva. Isto ocorre, principalmente, porque os consumidores estão preocupados em escolher empresas que buscam as melhores práticas entre a empresa e seus funcionários, bem como comunidades.

A sociedade está começando a privilegiar as instituições que preservam o meio ambiente e que adotam, não só medidas compensatórias para minimizar os seus impactos ambientais e sociais, mas que realmente demonstram, por meio de seus relatórios de sustentabilidade, os compromissos assumidos em relação aos riscos que seus negócios representam.

Por tudo isso as organizações têm buscado inserir a sustentabilidade em seus negócios por uma questão de sobrevivência e perenidade. para as empresas, sustentabilidade corporativa é quando se realiza um diagnóstico de suas práticas sob os aspectos sociais, ambientais e econômicos do ponto de vista de seus stakholders. Ou seja, são avaliadas as oportunidades e riscos inerentes aos seus processos em relação ao público-alvo.

Origem: o termo sustentabilidade originou-se durante a década de 1980, com a crescente conscientização dos países em descobrir formas de promover o crescimento de suas empresas sem destruir o meio ambiente, nem sacrificar o bem-estar das futuras gerações. Desde então, o termo se transformou em cenário para causas sociais e ambientais, principalmente no mundo dos negócios, onde prevalece a idéia de que “empresa sustentável é aquela que gera lucro para os acionistas, ao mesmo tempo em que protege o meio ambiente e melhora a qualidade de vida das pessoas com que mantém interações”, lembra Andrew Savitz, autor do livro “ A Empresa Sustentável”.

A partir deste princípio, sustentabilidade corporativa passou a ser mais do que um simples conceito. na realidade passou a ser um fator determinante para o sucesso das empresas. de acordo com Daniel Domeneghetti, especialista em Estratégia Corporativa, Top Management Consulting e Gestão de Ativos Intangíveis, -sustentabilidade corporativa está embasado no “triple bottom line”, termo cunhado pelo cientista social inglês John Elkington, fundador da Sustainability, reconhecida empresa especializada em aconselhamento de negócios sustentáveis, que estuda o assunto há 30 anos.

“A expressão triple bottom line reúne, simultaneamente, o resultado econômico-financeiro, o resultado social e o resultado ambiental – cada vez mais valorizado por acionistas e clientes –, tornando-se um imperativo para o sucesso das corporações”, disse Domeneghetti.

“O balanço social favorece todos os grupos que interagem com a empresa. Aos dirigentes, fornece informações úteis à tomada de decisões sobre programas sociais que a empresa desenvolve. Além disso, o processo de realização estimula a participação dos colaboradores na escolha das ações e dos projetos sociais, intensificando a comunicação interna e a integração nas relações entre dirigentes e o corpo funcional. Aos fornecedores e investidores, informa como a companhia encara as responsabilidades em relação aos recursos humanos e à natureza, o que é um bom indicador da forma como é administrada. Para os consumidores, reflete a postura dos dirigentes e a qualidade do produto ou serviço que oferece, demonstrando o caminho que a empresa escolheu para construir sua Marca. Ao Estado, ajuda na identificação e na formulação de políticas públicas”, continua Domeneghetti.

“Para a maioria das empresas, a Sustentabilidade é inicialmente um ativo de proteção de valor – e não de geração imediata de valor. A geração de valor chega quando a Sustentabilidade impulsiona a Inovação em produtos e serviços e serve de matriz para a entrada da empresa em novos mercados ou para a colocação de novas propostas de valor nos mercados em que compete”, conclui Domeneghetti.

O Centro de Estudos em Sustentabilidade da Fundação Getúlio Vargas, acredita que: “nos últimos anos, vem ocorrendo no Brasil um movimento nesse sentido, com a população se mobilizando em torno da responsabilidade social corporativa e a realização de uma série de atividades sobre o tema. Aos poucos, essa questão tem se tornado uma necessidade, assim como a qualidade – que começou a ser discutida há algum tempo e hoje não é mais um diferencial, mas condição básica. Também não basta dizer que é social ou corporativamente responsável; é preciso sê-lo. Cada vez mais, a responsabilidade social corporativa (RC) tem se tornado condição básica para estar no negócio. Portanto, essa decisão é extremamente estratégica. Atingir os resultados com coerência, no triple bottom line econômico, social e ambiental, é importante desde que de forma sustentável.”

Acreditamos que nenhuma empresa vai perder em ser sustentável, pelo contrário, verá com o tempo uma população educada, uma sociedade compreensiva , e lógico, o resultado será uma melhor convivência neste planeta. É o desafio de todos nós!.

Nesta primeira edição, - com um perfil mesmo de lançamento, o Troféu “Fator Brasil Premium”, priorizou as entidades que de alguma forma estão engajadas através de seus associados na luta pela competitividade mundial, com muita responsabilidade. Empresas e órgãos governamentais que neste mesmo rastro, perseguem o desafio de alcançar as transformações pessoais, corporativos e de gestão.

Na ocasião, a lista de destaques da edição, retirada de uma parceria de anos, são seres humanos da melhor qualidade, profissionais dedicados, aguerridos, formadores de opiniões.

Desculpando por muitos que não entraram, -esta primeira edição ficou pequena para tantos, graças a Deus, nossos brilhantes profissionais cariocas, fluminenses, e brasileiros.

A 'Personalidade' da edição do Troféu “Fator Brasil Premium”: um engenheiro civil, de competência extraordinária, educação extrema, e um grande ser humano -com altíssima sensibilidade.

Aliás, este quesito poderá ser ampliado para 'Personalidades', a partir da próxima edição, já em 2013.

Lembrando sempre que esta primeira edição do evento acontece nos “10 anos”, da Revista, Portal e TV Fator Brasil, com 45 canais de informações corporativas 24 horas, -uma revista técnica que entra na realidade do Rio de Janeiro, Brasil e Exterior, com os últimos boletins de acesso somando 5.1 milhões de page views/mês e 9.3 milhões de ROS/mês.

Muitas empresas já anunciaram em nossas páginas: Apex Brasil | Petrobras [anúncio da 'Capitalização' | Secom (em anúncio para o Ministério Do Meio Ambiente) | Eletrobras | Gerdau | Canal da Globosat “GNT” | TOTVS | Havaianas | Federação das Indústrias do Rio De Janeiro (Firjan) | Federação das Indústrias do Estado da Bahia (Sistema FIEB) | Grupo Zamprogma (hoje, da Usiminas) | Associação Brasileira dos Terminais de Contêiners de Uso Público -Abratec | Associação Brasileira de Cimento Portland (Rio e Espírito Santo) | CEG | Governo do Estado do Rio de Janeiro |Instituto Resseguros do Brasil (IRB) | Royal & SunAlliance Seguros (Brasil) | Hotel InterContinental |Aeroporto Internacional de Cabo Frio | Abeph | A antiga OcenAir, do Grupo Sinergy | Nuclep | Veirano Advogados | Banco Alfa | Grupo Hines | PGS | Antiga “Riopol” (hoje, Braskem Petroquímica) | Enterprise Logistics | Logimex | Hotéis Solar do Cedro | Estaleiro Transnave | Antigo Estaleiro Promar | Eisa -estaleiros Ilha | Tribel | Sindicato Nacional da Indústria da Construção e Reparação Naval e Offshore -Sinaval | Conselho Regional de Engenharia -Crea-RJ | Sindicato Nacional do Oficiais da Marinha Mercante - Sindmar | Lidador | Kabi Indústria e Comércio,entre outros.

A Fator Brasil está e todas as redes sociais e tem matérias copiadas em vários boletins de empresas.

Até agora, alguns destaques por trabalhos realizados: Governo Federal, Câmara Municipal do Rio de Janeiro [duas moções], entre outros reconhecimentos.

O veículo participa e divulga os principais feiras e congressos dos segmentos estratégicos no Brasil, e no mundo.

Para mais informações a nível mundial, mantém parceria com o PR Newswire, entre outros.

Os nossos agradecimentos a todos os parceiros e fontes de informações corporativas pela credibilidade.

Agradecimentos também às Agências de Publicidade, a todos nossos colaboradores de Reportagem, Redação, Web, e os parceiros de Publicidade e Negócios.

E a todos que de alguma forma contribuíram para chegarmos até aqui.

Enfim, em uma noite de quinta-feira, março [29], Outono de 2012, sob a benção da Mostra de Charles Chaplin, o som ao vivo da cantora Rosanna Duarte e o Tecladista Tony Botelho, dezenas de profissionais se reuniram para a entrega do Troféu “Fator Brasil Premium” e a confraternização pelos 10 anos da Fator Brasil [Revista/Portal e TV Fator Brasil].

Evento apresentado pela jornalista e apresentadora de TV, Claúdia Cataldi, com Amanda Marques no apoio do palco.

Acompanhantes e representantes dos agraciados, como o senhor Durval de Barros, superintendente de Comunicações e Relações Institucionais, representando a diretora-geral da Agência Nacional de Petróleo, Gás, Energia e Biocombustíveis -ANP, Maria de Regina Chambriard, o diretor executivo de Petróleo, Gás,Bioenergia e Petroquímica da Abimaq, Alberto Machado Neto, no ato representando o vice-presidente regional da Abimaq, Raul Sanson. Abrilhantando também com a presença a gerente executiva da Abimaq Regional Rio de Janeiro, Patrícia Vieira.

Também no evento, a assistente de marketing da Caixa Econômica Federal, Maria Helena Gomes Barbosa e Marcele Sardinha.

Representando o presidente da Petrobras Transporte S.A - Transpetro, Sérgio Machado, o engenheiro naval e diretor de Transporte Marítimo, Agenor Cesar Junqueira Leite. Sylkya Lara Siqueira de Abreu Lima, do Cerimonial & Protocolo da Transpetro, e a coordenadora de Comunicação da Transpetro,Marina Perin. O executivo Marcos Vieira, representando o presidente executivo do Instituto Aço Brasil -IABr, Marco Polo.

O diretor e professor Theophilo de Azeredo Santos, representando o Dr. Alberto Vieira da Associação e Sindicato dos Bancos do Estado do Rio de Janeiro -ABERJ/SBERJ,

Responsável pela Comunicação e Marketing do Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis – IBP, Tatiana Campos, representando o presidente, João Carlos de Luca.

O diretor de operações da Logistics, Alberto Padilla Lagos, o diretor administrativo-financeiro, Hélio Cabral Moreira da CEDAE, na ocasião, representando o presidente Wagner Granja Victer.

O diretor executivo, Luiz Felipe Camargo, da Associação Brasileira das Empresas do Setor Naval e Offshore – Abenav, no evento, representando o presidente, Augusto Ribeiro de Mendonça Neto.

Ao lado do homenageado, o cônsul honorário da Nicarágua no Rio de Janeiro, o advogado e jornalista, Dr. Washington Luiz Pinto Machado, sua mulher, a embaixadora da Nicarágua no Brasil, Sara Maria Tórrez Ruiz.

Luisa Barbosa, assessora da deputada federal Jandira Feghali (PC do B).

O arquiteto Luiz Gustavo Tavares da Associação Brasileira de Cimento Portland - ABCP/Rio de Janeiro e Espírito Santo

O segundo presidente do Sindicato Nacional dos Oficiais da Marinha Mercante -Sindmar, José Válido, o diretor procurador, Marco Aurélio, as assessoras da presidência Simone Marrek e Bianca Calenzo, a assessora da diretoria Queila Santos e o assessor de imprensa Márcio Arruda.

Elza Caldas, acompanhando o presidente da Associação Brasileira dos Terminais de Contêiners de Uso Público -Abratec, Sérgio Salomão.

O coordenador de Comunicação da CEDAE, Iuri Cardoso.

O gerente de Comunicação do Sebrae/RJ, Fernando Moraes, representando o diretor-superintendente Cezar Vazquez, e membros da assessoria de imprensa da entidade.

E abrilhantando o evento da Fator Brasil, a equipe da diretoria da Investe Rio Cristiane Viturino, Roberta Maia, Luiz Henrique Bevilaqua e Ricardo Figueiró, e a chefe da Assessoria de Comunicação e Marketing, Silvia Cosenza.

A família do presidente da Investe Rio, Maurício Chacur, Conceição Chacur (mulher).

Enviar Imprimir


© Copyright 2006 - 2019 Fator Brasil. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Tribeira

 Consulta inválida: