Portal Fator Brasil 
Página Inicial
PORTAL MÍDIA KIT BOLETIM TV FATOR BRASIL PageRank
Busca: OK
CANAIS

12/11/2011 - 09:29

AES Brasil investe R$ 350 milhões no terceiro trimestre

Até setembro, investimento acumulado é de R$ 918 milhões.

São Paulo – A AES Brasil encerrou o terceiro trimestre do ano com volume de investimentos de R$ 350 milhões nas empresas do grupo – 27% maior que o realizado no mesmo período de 2010. O total de investimento nos nove meses do ano é de R$ 918 milhões, 43% superior em comparação ao registrado de janeiro a setembro do ano passado. As empresas da AES Brasil somarão cerca de R$ 1,2 bilhão em investimentos em seus negócios em 2011, o que representa aumento de 9% ao montante do ano passado.

As companhias do grupo receberam vários reconhecimentos no trimestre. Pela terceira vez, a AES Eletropaulo é uma das empresas Mais Admiradas pela Carta Capital. A AES Sul recebeu o Prêmio Iberoamericano de Qualidade, que reconhece a excelência da gestão das organizações em um contexto internacional. Já a AES Tietê recebeu dois prêmios Abrasca - Criação de Valor, concedido às empresas que tiveram melhor performance nos últimos três anos em sustentabilidade nos resultados, em controle de riscos e transparência e atuação socioambiental, e melhor Relatório Anual entre as empresas de capital aberto com receita abaixo de R$ 2 bilhões.

Resultados no trimestre -A receita líquida da AES Brasil foi de R$ 3,6 bilhões e cresceu 5,4%, em comparação ao terceiro trimestre de 2010. O lucro líquido foi de R$ 565 milhões e o Ebitda foi de R$ 1,2 bilhão.

A AES Brasil é formada pelas empresas AES Eletropaulo, AES Tietê, AES Uruguaiana e AES Sul.

AES Eletropaulo fecha terceiro trimestre com R$ 205 milhões em investimentos: R$ 530 milhões foram investidos de janeiro a setembro- Ampliando o seu programa de qualidade na prestação do seu serviço e no atendimento ao cliente, a AES Eletropaulo investiu R$ 205 milhões na manutenção da rede, expansão do sistema e serviços ao cliente de julho a setembro deste ano – 33% a mais que o realizado no mesmo período de 2010. O acumulado até setembro é de R$ 530 milhões, 38% superior ao investido no mesmo período do ano passado.

Expansão - Neste trimestre, a AES Eletropaulo iniciou a construção da subestação Sertãozinho, com capacidade de 80 MVAs, beneficiando mais de 80 mil clientes nas cidades de Santo André, São Bernardo, Mauá e Ribeirão Pires, no ABCD, além de novas indústrias às margens do Rodoanel. A subestação será concluída no fim de 2012.

A concessionária também adicionou 10 MVA na capacidade da subestação Silvestre, em São Bernardo do Campo atendendo a mais de 37 mil clientes.

De janeiro a setembro, foram investidos R$ 124,9 milhões em obras de expansão, com destaque para a energização de duas subestações digitalizadas (Helena Maria e Germânia) e para a ampliação de capacidade de outras três subestações (Ibirapuera, Tiradentes e Capuava), totalizando 258 MVA adicionais e beneficiando mais de 1,2 milhão de clientes.

Manutenção Preventiva- No terceiro trimestre, a AES Eletropaulo investiu R$ 56,6 milhões em manutenção preventiva ante R$ 42,2 milhões, entre julho e setembro do ano passado. Nos primeiros nove meses deste ano, o montante foi de R$ 164,5 milhões, 79,5% superior ao mesmo período de 2010.

De janeiro a setembro, a distribuidora fez manutenção preventiva e modernização de rede, o que inclui inspeção do sistema, troca de postes, cabos e equipamentos, em 4.190 mil km. Também realizou 186 mil podas. Até o fim de 2011, mais de 5 mil km de rede terão passado por manutenção preventiva.

A distribuidora também continua a instalação de equipamentos de automação. Serão instalados 10 mil seccionalizadores e 3 mil religadores até dezembro de 2012, agilizando o restabelecimento de energia e reduzindo o número de clientes afetados em uma ocorrência.

Distribuidora destina R$ 242 milhões a plano de ação até 2012-Com foco na melhoria contínua dos serviços e da satisfação dos clientes, a AES Eletropaulo está destinando R$ 122 milhões para aumento das turmas de emergência. Esse montante é adicional ao plano de ação de R$ 120 milhões, anunciado em julho para incremento nas equipes de eletricistas para atuar em manutenção, podas e construção, além de ampliação de serviços de atendimento ao cliente. No total, R$ 242 milhões estão destinados à evolução da qualidade da prestação de serviço da concessionária no biênio 2011-2012.

Novos eletricistas- Em dezembro, todos os 580 eletricistas adicionais contratados para manutenção, construção e poda estarão em campo. Até o momento temos: . 276 novos eletricistas já capacitados |.304 eletricistas em conclusão de treinamento neste mês.

Mais equipes de emergência- Durante o verão, as equipes de emergência, que hoje somam 1.059 eletricistas ganharão reforço de mais 360 eletricistas.

Em dias mais críticos, os serviços comerciais (construção, ligação, religação, poda, entre outros) serão suspensos e essas equipes também poderão ser direcionadas ao atendimento de emergências, o que significa mais 996 eletricistas em campo. Com isso, o total de eletricistas na rua pode chegar a 2.415.

Canais de atendimento - Em setembro, 150 posições de atendimento para o call center, adicionais às 400 existentes, entraram em operação. Com a ampliação, o tempo médio de espera foi reduzido de 50 para 11 segundos.

Outras 300 posições de atendimento, que ficarão de stand by para situações de emergência, já estão disponíveis. No total, a AES Eletropaulo contará com 850 posições de atendimento em dias com maior volume de ligações.

Para que o call center possa funcionar 24 horas, foram treinados 2.600 atendentes para essa nova estrutura.

O serviço de SMS também aumentou sua capacidade: passou de 50 mil torpedos para 100 mil mensagens por dia.

Até o fim de novembro, a capacidade do atendimento eletrônico (Unidade de Resposta Automática - URA) aumentará em 27 vezes, passando de 2 mil chamadas por hora para 54 mil chamadas por hora.

Indicadores - Os índices de DEC e FEC da AES Eletropaulo apresentaram redução de 14% e 11%, respectivamente, se comparados ao terceiro trimestre de 2010. O DEC registrado no período foi de 10,30 (10 horas e 50 minutos), contra 19 horas da média nacional e 12 horas na média da região Sudeste. O FEC foi de 5,42 vezes – a média Brasil ficou em 12 vezes e a da região Sudeste em sete vezes.

Mercado - O mercado total da AES Eletropaulo encerrou o terceiro trimestre com alta de 4,3% em relação ao mesmo período de 2010. O volume total atingiu 11.404 GWh no período, com destaque para o consumo dos clientes das classes comercial e residencial.

Já o desempenho do mercado cativo, cuja participação no mercado total é de 82%, apresentou acréscimo de 4,4% em relação ao terceiro trimestre do ano passado, totalizando 9.307 GWh.

Entre janeiro e setembro deste ano, o mercado total na área de concessão da AES Eletropaulo apresentou crescimento de 5%. Esse resultado foi impulsionado pelo acréscimo de 6,4% na classe residencial e pelo bom desempenho da classe comercial, que apresentou evolução de 5,2%.

.Comparação do Consumo (Gwh):

Resultados no trimestre - A AES Eletropaulo registrou receita líquida de R$ 2,6 bilhões, alta de 3,9% em relação ao terceiro trimestre de 2010. O lucro líquido registrado no período foi de R$ 348 milhões, 6,1% superior ao mesmo período do ano passado. Já o Ebitda foi de R$ 642 milhões, 6,6% a mais do que o registrado entre julho e setembro de 2010.

AES Tietê investe 57% a mais no terceiro trimestre: geradora investiu R$ 46 milhões de julho a setembro. Modernização da usina Nova Avanhandava será concluída este mês

Entre julho e setembro de 2011, os investimentos da AES Tietê somaram R$ 46 milhões, aumento de 57% em relação ao mesmo período de 2010. No acumulado dos nove meses, o total de investimentos é de R$ 119 milhões, o que representa 70% do previsto para o ano, que é de R$ 169 milhões.

Dando sequência ao programa de modernização das usinas, um total de R$ 31,5 milhões foi investido em Nova Avanhandava, Caconde e Ibitinga.

A usina Nova Avanhandava será a primeira, das três usinas, a ser concluída e a última turbina será liberada ainda em novembro.

As duas unidades geradoras da usina Caconde também estão sendo modernizadas. A primeira delas será concluída no início de 2012 e a segunda, no final do mesmo ano. Já a modernização na usina Ibitinga será iniciada em dezembro de 2011 e deve durar um ano.

O plano de modernização ainda inclui a operação das usinas por telecomando. Limoeiro e Euclides da Cunha, já modernizadas, contam desde o começo deste ano com o sistema. Até o final de 2011, Nova Avanhandava e Bariri também passarão a ser operadas remotamente, a partir do Centro de Operações da Geração da AES Tietê (COG), em Bauru. Em 2012, estão previstas as migrações das usinas Caconde e Ibitinga.

Expansão - O projeto Termo São Paulo, termelétrica a gás natural que será instalada no município de Canas, em São Paulo, teve sua licença ambiental prévia aprovada em outubro de 2011 e será inscrita, no final de novembro, para participar do leilão A-3, previsto para março de 2012, devido à indisponibilidade de gás, anunciada pela Petrobras para o leilão A-5.

A usina terá capacidade de geração de aproximadamente 550 MW, potência suficiente para atender a uma cidade de 5 milhões de pessoas. O local foi escolhido por reunir condições ideais para a instalação de uma termoelétrica movida a gás natural: proximidade do gasoduto, de linhas de transmissão de energia e de um rio. O investimento previsto é de R$ 1,1 bilhão.

No terceiro trimestre de 2011, foram investidos R$ 3,7 milhões em projetos de PCHs, e de janeiro a setembro deste ano, R$ 14,1 milhões. Em julho de 2011 entrou em operação a PCH São Joaquim, localizada no rio Jaguari-Mirim, em São João da Boa Vista, no Estado de São Paulo, com capacidade de 3MW. Também situada no Jaguari-Mirim, a PCH São José, com capacidade de 4 MW, tem sua operação prevista para início de 2012.

Geração - No terceiro trimestre de 2011, o volume de energia gerado pelas usinas da AES Tietê foi de 3.174,3 GWh, o que representa 105% da garantia física. No acumulado do ano até setembro, a energia gerada pela AES Tietê foi de 10.159 GWh, volume que alcançou 126% da energia assegurada.

Reservatórios - Ao final de setembro de 2011, o nível dos reservatórios das usinas da AES Tietê era de 65%, desempenho superior ao observado no mesmo período do ano anterior, quando este percentual foi de 43%. A afluência de chuvas dos últimos meses contribuiu para a manutenção dos reservatórios das usinas durante o terceiro trimestre de 2011 em níveis mais elevados que no ano passado. Destaque para a usina de Água Vermelha que, além de ter sido favorecida pelas boas afluências no período, foi menos despachada pelo ONS.

Venda de energia - A energia faturada permaneceu estável no terceiro trimestre de 2011, se comparada ao terceiro trimestre de 2010. Nos nove meses deste ano, houve redução de 3,2%, na comparação ao mesmo período do ano anterior.

No terceiro trimestre de 2011, as vendas para a AES Eletropaulo totalizaram 3.010,6 GWh, 2,9% acima do volume vendido no terceiro trimestre de 2010. Nos nove meses deste ano, as vendas para a AES Eletropaulo somaram 8.044,5 GWh, ou seja, 72,4% da quantidade a ser entregue por meio do contrato bilateral no total do ano, o que significa redução de 6,2% em relação ao mesmo período de 2010. A variação deve-se à sazonalidade do contrato, que varia a cada ano.

No volume de energia faturada, por meio da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), foi registrada redução de 24% na comparação com o terceiro trimestre de 2010, resultado de menor volume de energia liquidada no MRE (Mecanismo de Realocação de Energia), parcialmente compensado pelo maior volume de energia secundária liquidada no spot. No acumulado do ano, o volume faturado pela CCEE apresentou aumento de 1,3% se comparado aos nove meses de 2010. A variação é resultado da combinação entre o maior volume do mercado spot e a redução das vendas no MRE.

Já as vendas em contratos bilaterais superaram em 74,9% o volume registrado no terceiro trimestre do ano passado. Nos nove meses de 2011, houve aumento significativo de 60,9% em relação ao mesmo período de 2010, reflexo da busca por novas oportunidades de mercado.

Resultados no trimestre - A AES Tietê registrou, no terceiro trimestre de 2011, lucro líquido R$ 228 milhões, aumento de 15% na comparação com o terceiro trimestre de 2010. A receita líquida foi R$ 519 milhões, acréscimo de 10% na mesma comparação com o ano passado. O Ebitda, no período, foi de R$ 405 milhões, 14% maior.

AES Sul investe R$ 75 milhões no terceiro trimestre: até setembro, foram investidos R$ 207 milhões |. Foi concluída a linha de subtransmissão Santa Maria-São Gabriel.

As obras e melhorias realizadas pela AES Sul no terceiro trimestre de 2011 representaram R$ 75 milhões em investimentos, 7% a mais em relação ao mesmo período do ano passado. De janeiro a setembro, o acumulado soma R$ 207 milhões.

Obras - A AES Sul investiu R$ 24,4 milhões na linha de sub transmissão Santa Maria 3 x São Gabriel, na Região Central do RS. Com 96 km de extensão, essa obra funciona como alternativa em caso de interrupção de energia na linha São Gabriel, beneficiando os habitantes dos municípios Santa Margarida do Sul, Vila Nova do Sul, Dilermando de Aguiar e Cacequi.

Ampliação da SE – Sapiranga

Já em Sapiranga, na Região Metropolitana, a AES Sul destinou R$ 2,9 milhões no aumento de 25 MVA de potência de energia, beneficiando mais de 140 mil moradores da cidade e, também, de Campo Bom e Araricá.

Construção Novo Hamburgo 2

A concessionária concluiu também a construção da Subestação Novo Hamburgo 2 e respectiva linha de sub transmissão. Essa obra foi projetada para atender à demanda por energia elétrica para os próximos 10 anos no município. O investimento de R$ 7,5 milhões terá, ainda, uma segunda linha que será interligada com a Subestação São Leopoldo, criando novas fontes de alimentação não só para Novo Hamburgo, como para São Leopoldo, Campo Bom e Estância Velha, na Região Metropolitana, beneficiando 550 mil pessoas.

Manutenção - No terceiro trimestre, a AES Sul investiu R$ 32,8 milhões em manutenção preventiva, 32% a mais do que o registrado no mesmo período do ano passado, quando foram destinados R$ 24,8 milhões. De julho a setembro de 2011, cerca de 2 mil km de rede passaram por manutenção preventiva, e outros 230 km foram reformados. A distribuidora substituiu ainda 7.459 postes e realizou mais de 116 mil podas no período.

Indicadores- Os índices de DEC e FEC da AES Sul apresentaram redução de 25% e 13%, respectivamente, se comparados ao terceiro trimestre de 2010. O DEC registrado no período foi de 11,08 (horas); contra 19 horas da média nacional. O FEC foi de 9,6 vezes – a média Brasil ficou em 12 vezes.

Eficiência Energética - Com um investimento de R$ 862 mil, a AES Sul iniciou a instalação de 150 coletores solares em casas de clientes de baixa renda. Os coletores aquecem a água do banho, proporcionando redução no consumo de energia elétrica entre 30% e 40%. As famílias também estão recebendo chuveiros mais econômicos.

Resultados no trimestre- A receita líquida da AES Sul no terceiro trimestre de 2011 foi de R$ 493 milhões, 9% superior em comparação ao mesmo período em 2010. O lucro líquido do período foi de R$ 50 milhões, uma elevação de 435% comparado ao mesmo período de 2010 e o Ebitda de R$ 126 milhões, aumento de 71%.

O aumento do lucro líquido no trimestre da AES Sul refere-se, principalmente, ao crescimento de 4,9% do consumo de energia do mercado cativo, no qual se destacou a alta de 6,7% na classe residencial. Outro fator para o resultado do lucro foi o reajuste tarifário de abril de 2011, que alcançou 7,56%. Além disso, houve queda de 14,7% do custo médio de energia em função do atraso das térmicas relativas ao 6º leilão de energia elétrica.

Resultados da AES Uruguaiana - A AES Uruguaiana paralisou suas atividades, em abril de 2009, em função da suspensão de contrato de fornecimento de gás pela YPF.

Os resultados do terceiro trimestre de 2011 em comparação a 2010 são:
Receita Líquida................................... Ebitda …....................................... Lucro Líquido
R$ 1 mil ….....................................R$ 3,6 milhões …................................R$ 15,6 milhões

A venda da AES Atimus para a TIM, no valor de R$ 1,6 bilhão, anunciada no dia 8 de julho e concluída em 31 de outubro, deve ter impacto de aproximadamente R$ 457 milhões no lucro líquido da AES Eletropaulo no 4º trimestre.

Os resultados do terceiro trimestre de 2011 em comparação a 2010 são:
Receita Líquida................................ Ebitda...................................... Lucro Líquido
R$65 milhões | 21%,................41 milhões |19,5%....................R$20 milhões |2,8%.

Enviar Imprimir


© Copyright 2006 - 2020 Fator Brasil. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Tribeira

 Consulta inválida: