Portal Fator Brasil 
Página Inicial
PORTAL MÍDIA KIT BOLETIM TV FATOR BRASIL PageRank
Busca: OK
CANAIS

22/08/2011 - 10:02

Porto do Rio de Janeiro terá o maior cais contínuo de contêineres do Brasil


Investimentos dos terminais cariocas chegarão a R$1,2 bilhão.

Os terminais de contêineres e de roll-on roll-off do Porto do Rio de Janeiro - arrendados pelas empresas Libra Terminais, dos grupos Borges/Canoilas, e MultiRio e MultiCar, da FINK e Gávea – terão as obras de expansão iniciadas ainda este ano e, em futuro próximo, o Porto do Rio passará a ter o maior cais contínuo de contêineres do Brasil. As três empresas investirão R$1,2 bilhão, em empreendimento conjunto, para ampliar suas capacidades de operação. Os projetos foram aprovados neste mês de agosto pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ).

Em 2010, os terminais de contêineres movimentaram 400 mil contêineres de 20 pés e o de veículos movimentou 243 mil veículos. Com a expansão, a capacidade dos terminais cariocas subirá para dois milhões de TEUs anuais, até 2020 - aumento superior a 700% e o de veículos crescerá 34%. Se hoje são movimentados nove milhões de toneladas/ano nos dois terminais cariocas, a expectativa é de que, com a expansão, até 2018, as operações alcancem um total de 25 milhões de toneladas/ano.

Segundo o diretor-presidente da Companhia Docas do Rio de Janeiro, Jorge Luiz de Mello, “a expansão do porto ocorrerá em conjunto com a criação do Arco Rodoviário, que facilitará o acesso rodoviário aos terminais.” Mello destacou ainda que os projetos de expansão dos terminais só foram possíveis porque está sendo finalizado o trabalho de dragagem no Porto do Rio de Janeiro, executado pela Secretaria de Portos (SEP): “A dragagem aumentou a profundidade nos terminais de contêineres de 13m para 15m, permitindo assim a atracação de navios com capacidade de até oito mil contêineres. Antes era possível receber apenas navios de até cinco mil contêineres”.

Projeto Integrado MultiRio e MultiCar visa atender à crescente demanda- Para implementar o projeto integrado de expansão da MultiRio/MultiCar no Porto do Rio de Janeiro, a MultiTerminais estima investir R$492 milhões, entre obras civis e equipamentos. Com a ampliação, o Terminal de Contêineres MultiRio terá sua capacidade aumentada para 1.000.000 TEU/ano. Já o Terminal de Veículos MultiCar vai ampliar a capacidade de movimentação de 243.000 veículos/ano para 326.000 veículos/ano.

O cais do Terminal de Contêineres da MultiRio passará de 533m para 800m de comprimento. Os dois berços terão capacidade de receber a atracação de navios Super Post Panamax (embarcações de 300 a 347 metros de comprimento com capacidade acima de 8.000 TEUs). Serão construídos também um novo Armazém de Carga Geral, Armazém de Carga IMO e Armazém para Conferência Aduaneira totalizando uma área de 15.400m². As obras contemplam ainda novas edificações de apoio como o prédio de Administração Geral, oficinas, refeitório, um novo gate, que terá 10 pistas (o gate atual comporta 6 pistas), entre outras.

No Terminal de Veículos MultiCar, o cais será prolongado de 180m de comprimento para 360m, além da construção de Dolfin. Será construído também um edifício-garagem (92.022m²), com capacidade para 7.000 veículos. Os investimentos incluem a aquisição de novos equipamentos como 30 RTGs e cinco portêineres para atender à nova capacidade do Porto. O Terminal da MultiRio, portanto, terá um total de seis portêineres Super Post Panamax para a operação de navios.

Projeto da Libra Terminais Rio será dividido em três fases- A Libra Terminais vai investir R$423,2 milhões em obras de expansão, somados a um investimento de cerca de R$340 milhões em equipamentos, tecnologia e instalações. O projeto está dividido em três grandes fases, sendo que a primeira delas será subdividida em duas etapas, considerando assim a seguinte estrutura do projeto: Fase I – etapas A e B, Fase II e Fase III.

Na Fase I-A, orçada em R$ 40,8 milhões e com previsão de término no 2º semestre de 2012, o cais será ampliado em 120 metros, totalizando 665 metros de extensão total, possibilitando a atracação simultânea de dois navios post panamax da 4ª geração. Essa ampliação é muito importante, pois caso não fosse feita, poderia aumentar o tempo médio de permanência dos navios no porto em até 60% a partir de 2013.

A Fase I-B consiste num aterro de 39.865 m², investimento fundamental para acompanhar o aumento da movimentação. Esta obra, que possui um custo estimado de R$ 82 milhões, estará operacional no final de 2015. Ao final das obras da fase I, a capacidade máxima de movimentação do Terminal passará de 214 mil para 428 mil contêineres/ano, e sua área total crescerá de 136 mil m² para 185 mil m².

Na segunda fase do projeto serão construídos mais 135 metros lineares de cais, totalizando 800 metros de cais total. Com esta dimensão, a Libra Terminais Rio poderá operar simultaneamente dois navios super post panamax (5ª geração).

Essa fase terá um custo de execução estimado em R$ 44,4 milhões e irá garantir a manutenção do tempo de espera médio para atracação em patamares reduzidos. Além disso, a capacidade máxima de movimentação passará a ser de 470.000 contêineres/ano.

Com a Fase III, a retro área do Terminal será expandida em 54 mil m², a um custo estimado de R$ 256 milhões, garantindo à Libra Rio uma capacidade de armazenagem de 1.000.000 TEU/ano, transpondo assim possíveis limitações operacionais. Acompanhando essas obras de expansão, serão realizados investimentos de cerca de R$ 340 milhões em recursos na modernização e ampliação do parque de equipamentos operacionais, armazéns e sistemas informatizados, assim como construção de prédios de apoio. Dentre os investimentos previstos, destaca-se a aquisição de novos portêineres e transtêineres, que permitirão ao Terminal operar navios a uma produtividade média superior a 60 movimentos/h.

Terminal de granéis sólidos no porto de Itaguaí com investimentos estimados em R$ 1,5 bilhão- O edital de licitação para arrendamento do terminal de granéis sólidos no porto de Itaguaí sairá no próximo mês de setembro, adianta o diretor presidente da Companhia Docas do Rio de Janeiro (CDRJ), Jorge Luiz de Mello. “A aprovação do TCU deve durar de uma a três semanas”, diz.

O terminal terá capacidade de movimentar 25 milhões de toneladas de minério por ano, com potencial para atingir até 44 milhões. “E já existe sondagens de diversas empresas interessadas em arrendar o terminal, o que deve tornar o processo licitatório bastante disputado”, analisa o diretor presidente.

A área de 245,4 mil metros quadrados a ser licitada no porto de Itaguaí será um terminal público destinado à movimentação de granéis sólidos e é conhecida como "área do meio" por estar situada entre os terminais da Vale e da CSN.

Quando anunciar o processo licitatório, os interessados terão 60 dias para apresentar a proposta. A conclusão do processo, até a declaração do vencedor deve levar entre quatro e seis meses. Quem vencer a licitação para arrendamento da área por 25 anos, renovável por mais 25, terá de investir cerca de R$ 1,5 bilhão, segundo estimativas da CDRJ, já que o conceito do projeto é "greenfield", ou seja, o arrendatário será responsável pela superestrutura e pela infraestrutura. A instalação deve estar concluída entre três e quatro anos.

Enviar Imprimir


© Copyright 2006 - 2019 Fator Brasil. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Tribeira

 Consulta inválida: