Portal Fator Brasil 
Página Inicial
PORTAL MÍDIA KIT BOLETIM TV FATOR BRASIL PageRank
Busca: OK
CANAIS

14/05/2011 - 11:23

Grupo Light: redução das perdas, crescimento do consumo e da receita líquida impactam positivamente os resultados no 1T11

Consumo cresce de 3,4% em relação ao mesmo trimestre do ano passado, apesar de temperatura mais baixa no início de 2011.

Pelo quarto trimestre consecutivo a Light Serviços de Eletricidade S.A., concessionária de distribuição de energia elétrica do Grupo Light, reduziu o indicador de perdas não técnicas sobre o mercado de baixa tensão. As perdas totais da Light SESA, nos 12 meses encerrados em março de 2011 tiveram uma redução de 0,74 pontos percentuais em relação ao mesmo índice de março de 2010. As perdas exclusivamente comerciais apresentaram uma redução de 1,3 pontos percentuais na comparação entre os mesmos períodos.

Além dos processos convencionais de recuperação de energia, como negociação de débitos com os clientes com fraude constatada, a Light está atuando em várias frentes e adotando novas tecnologias de modo a reduzir ainda mais as perdas em sua área de concessão, tais como: instalação de medidores eletrônicos, desenvolvimento de redes inteligentes (smart grid) e investimentos em comunidades pacificadas. Parte destas ações resultou na regularização de 24.467 clientes neste 1º trimestre, 26% acima dos três primeiros meses de 2010, e recuperou 50,0 GWh de energia, o que corresponde a 39,5% a mais do montante reavido no mesmo período do ano anterior. Ao longo deste ano, a empresa vai beneficiar mais de 50 mil clientes nas comunidades pacificadas ou em processo de pacificação, seguindo a esteira de atuação do Governo do Estado na implantação das UPPs.

Apesar da temperatura no 1º trimestre de 2011 ter sido menor quase 1ºC em relação a igual período de 2010, a distribuidora do Grupo Light registrou um crescimento do consumo de 3,4% maior que trimestre semelhante do ano passado. Tal aumento foi observado em todos os segmentos (residencial, comercial e industrial), com destaque para o comercial (4,6%) e residencial (3%), reflexo do crescimento estrutural da economia na área de concessão da Light.

O aumento no consumo total influenciou positivamente a receita líquida consolidada do trimestre, totalizando R$ 1,834 bilhão, 7,4% acima da receita registrada no 1º trimestre de 2010. O resultado foi alavancado especialmente pelo crescimento de 7% da receita do segmento de distribuição, de maior participação no Grupo. O aumento da receita da Light Energia, empresa de geração, foi de 13,7%, e o das empresas de comercialização e serviços foi de 25,3%, entre os trimestres.

O Ebitda consolidado dos primeiros três meses de 2011 foi de R$ 434,9 milhões, apresentando uma redução de 8,9% em relação ao 1º trimestre de 2010. A variação pode ser explicada principalmente pelo aumento nos custos de energia comprada, decorrente dos reajustes ocorridos nos contratos vigentes, compensado parcialmente pelo crescimento de 5,6% da receita líquida. Os custos de compra de energia aumentaram 18,9% se comparado ao 1º trimestre de 2010, decorrentes dos reajustes dos contratos vigentes e também em função da entrada de novos produtos contratados entre os dois períodos e do aumento no volume de compra de energia para atender ao mercado da distribuidora. A margem Ebitda do trimestre foi de 25,8%, em comparação com 29,9% a igual período do ano passado. O menor Ebitda, devido principalmente ao aumento dos custos de energia, impactou o lucro líquido da Light, que foi de R$ 166,3 milhões no trimestre, 26% inferior ao registrado no 1º trimestre de 2010

A Light continua investindo fortemente na melhoria da qualidade do fornecimento de energia e no aumento de sua capacidade de distribuição e de geração. No 1º trimestre de 2011 foram investidos R$ 149,5 milhões, com destaque para os direcionados ao desenvolvimento de redes de distribuição (novas ligações, aumento de capacidade, e manutenção corretiva) no valor de R$ 45,4 milhões; melhoria de qualidade e manutenção preventiva no valor de R$ 31,4 milhões; blindagem de rede; sistema de medição eletrônica e regularização de fraudes no montante de R$ 26,7 milhões. Na rede de distribuição aérea, por exemplo, foram substituídos 38 km de redes de baixa tensão por cabos multiplexados e efetuada a substituição de rede aberta por spacer-cable em 39 km de rede de média tensão. Foram inspecionados 304 circuitos de média tensão, substituídos 2.304 transformadores e podadas 75.608 árvores. Na rede de distribuição subterrânea houve inspeção em 3.019 câmaras transformadoras e 4.521 caixas de inspeção. A empresa também realizou manutenção e inspeção de 115 transformadores e de 1.170 protetores do sistema reticulado.

Em maio, ocorreu o encerramento da 1ª e da 7ª emissões de debêntures, da Light Energia SA e da Light Serviços de Eletricidade SA respectivamente, nos montantes de R$ R$ 170 milhões e R$ 650 milhões com o objetivo de financiar os investimentos realizados pelas empresas do Grupo Light.

Comercialização- As comercializadoras do Grupo Light - Light Esco e LightCom - conseguiram uma alavancagem significativa nos três primeiros meses de 2011 ao comercializarem diretamente energia elétrica a partir de fontes convencional e incentivada em percentual 48,5% superior ao mesmo período de 2010, passando de 209,7 GWh para 306,9 Gwh.

Geração- Sempre atenta ao mercado de geração, o Grupo Light analisa a participação do grupo em diversos projetos visando assegurar o crescimento da capacidade de seu parque gerador e atendimento a novas demandas. Neste sentido, foram investidos R$ 17,8 milhões no 1º trimestre no segmento de geração de energia, sendo R$ 8,6 milhões na construção da PCH Paracambi, por meio da empresa Lightger, R$ 6 milhões na construção da PCH Lajes e R$ 3,1 milhões referentes à manutenção do parque gerador existente. Nos três primeiros meses de 2011, a companhia obteve importante avanço no projeto da Usina Hidrelétrica de Itaocara. Em abril de 2011, o IBAMA aceitou o Check List do EIA/RIMA (Estudo e Relatório de Impacto Ambiental) de Itaocara I e II e estão previstas para junho próximo as realizações de audiências públicas - etapa fundamental para a continuidade do processo de licenciamento e emissão das licenças prévia e de instalação.

Os dois projetos de energia eólica adquiridos no ano de 2010, localizados no município de Aracati/CE, com 30 MW de potência instalada, estão cadastrados nos dois leilões de energia que vão ocorrer no segundo semestre de 2011 (Leilão A-3 e o Leilão de Energia de Reserva). Após a realização da audiência pública na cidade de Fontainha-CE, em 01 de março, o Grupo Light está aguardando a emissão da licença de instalação pela SEMACE (Superintendência Estadual do Meio Ambiente do Ceará).

Enviar Imprimir


© Copyright 2006 - 2020 Fator Brasil. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Tribeira

 Consulta inválida: