Portal Fator Brasil 
Página Inicial
PORTAL MÍDIA KIT BOLETIM TV FATOR BRASIL PageRank
Busca: OK
CANAIS

22/03/2011 - 10:12

Receita Bruta da Energisa atinge R$ 3,15 bilhões em 2010

Resultado representa aumento de 10,3% em relação a 2009. Companhia apura lucro líquido de R$ 194,6 milhões.

Cataguases (MG) – A Energisa S/A (BM&F Bovespa: ENGI3, ENGI4 e ENGI11), companhia responsável por cinco distribuidoras de energia localizadas nos estados de Sergipe, Paraíba, Minas Gerais e Rio de Janeiro, registrou em 2010 receita bruta de R$ 3,15 bilhões, que representa incremento de 10,3% em comparação ao valor atingido no exercício de 2009. Já a receita líquida apresentou avanço de 7,9% na mesma base de comparação, atingindo R$ 2,15 bilhões.

Como reflexo do cenário macroeconômico favorável e do aumento do poder aquisitivo da população brasileira, a companhia apurou crescimento de 11,3% no consumo total consolidado de energia elétrica, sendo que o mercado cativo cresceu 8,2%. “Todas as classes de consumo apresentaram incremento, entretanto o destaque foi para a residencial, com variação positiva de 10,2%”, afirma Maurício Botelho, vice-presidente de Finanças e Relações com Investidores do Grupo Energisa.

A eficiência energética foi outro fator que contribuiu para os resultados da companhia. Em 2010, as perdas consolidadas de energia elétrica da Energisa caíram 0,54 ponto percentual (p.p.), situando-se em 12,48%, contra 13,02% em 2009. “A diminuição de perdas representa o planejamento, a qualidade na execução do trabalho e a gestão de processo adequada das distribuidoras do Grupo”, destaca Botelho.

Em 2010, a companhia apurou lucro líquido de R$ 194,6 milhões contra R$ 276,9 milhões em 2009. Os principais fatores para a redução no resultado foram as mudanças das práticas contábeis bem como a maior apreciação cambial em 2009 em relação a 2010, o que resultou na redução das despesas financeiras liquidas, que em 2009 totalizaram apenas R$ 3,9 milhões, contra R$ 99,5 milhões em 2010. O EBTIDA (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) Ajustado atingiu R$ 552,8 milhões representando uma queda de 5,6%. “A mudança de prática contábil, notadamente com a exclusão das CVAs, incrementou resultado de 2009 e reduziu o de 2010. Acrescenta-se a esse fato o efeito pleno das revisões tarifárias ocorridas em 2009, associado à valorização mais intensa do real, o que beneficiou naquele ano a marcação a mercado dos derivativos de proteção cambial”, explica o diretor de RI do Grupo.

Consumo de energia por região- O consumo de energia acompanhou o aquecimento da economia interna. As cinco distribuidoras do Grupo apresentaram crescimento nas vendas em seus mercados de consumo cativo. A Energisa Paraíba, que comemorou dez anos de privatização em 2010, registrou a maior alta no seu mercado cativo, registrando 13,7%, seguida pela Energisa Borborema (8,3%), Energisa Minas Gerais (5,3%), Energisa Nova Friburgo (4,8%) e Energisa Sergipe (2,8%).

Investimentos- Em 2010, os investimentos do Grupo Energisa somaram R$ 366 milhões. A subsidiária Energisa Paraíba foi responsável por 35,8% deste valor, seguida pela Energisa Geração Rio Grande, com 28,2%.

Um dos focos dos investimentos da companhia foi a construção das três Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs) na Bacia do Rio Grande (RJ): Caju, São Sebastião do Alto e Santo Antônio. As obras com as PCHs demandaram R$ 103 milhões ao longo do ano.

O Programa Nacional de Universalização e Uso de Energia Elétrica demandou R$ 40,3 milhões de investimentos em 2010. Durante o ano, a companhia realizou mais de 12,4 mil ligações de energia elétrica em toda a sua área de atuação. Desde o início do Programa, em 2004, já foram efetuadas mais de 130 mil ligações. O investimento neste período totalizou R$ 569 milhões, dos quais o Grupo Energisa recebeu subvenções da ordem de R$ 493 milhões do Governo Federal e de governos estaduais.

Energia Eólica- A Energisa ingressou no ano passado no setor de geração de energia elétrica por fonte eólica no Brasil. Seguindo o propósito de desenvolver projetos de energia renovável, a empresa foi uma das vencedoras da concorrência do 2º Leilão de Fontes Alternativas 2010, que estabelece a venda de energia para o mercado regulado por um período de 20 anos. A companhia vai construir cinco parques eólicos no estado do Rio Grande do Norte, com potência instalada de 150 MW.

Energisa Comercializadora- A Energisa Comercializadora ampliou seu portfólio em 2010 e fechou o ano com um volume de vendas de 51,4 MW médios, um crescimento de 108% em relação a 2009, o qual já havia registrado aumento de 109% sobre 2008. A empresa, criada em 2005, tem foco em serviços de comercialização de energia elétrica no ambiente de contratação livre, tanto para os projetos próprios do Grupo Energisa, quanto para de terceiros. Com este crescimento em vendas, a receita bruta subiu 197% em comparação a 2009, enquanto a geração de caixa apresentou crescimento de 148%, passando de R$ 2,7 milhões, em 2009, para R$ 6,6 milhões, em 2010. No mesmo intervalo, o lucro líquido atingiu R$ 4,3 milhões, um crescimento de 126%.

Perfil-O Grupo Energisa tem na distribuição de energia elétrica a principal base de seu negócio. Com cinco distribuidoras no Brasil – Energisa Sergipe, Energisa Paraíba, Energisa Borborema, Energisa Minas Gerais e Energisa Nova Friburgo – o grupo abrange 91.180 km² de área coberta, atendendo a 2,3 milhões de consumidores e beneficiando 6,5 milhões de habitantes em 352 municípios. Mais de 5 mil colaboradores diretos e indiretos fazem parte das suas empresas. As ações da Energisa são negociadas na Bolsa de Valores Mercadorias e Futuro de São Paulo (BM&F Bovespa) sob os códigos ENGI3, ENGI4 e ENG11 (este último é o código recentemente constituído para as Units).

Enviar Imprimir


© Copyright 2006 - 2020 Fator Brasil. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Tribeira

 Consulta inválida: