Página Inicial
PORTAL MÍDIA KIT BOLETIM TV FATOR BRASIL PageRank
Busca: OK
CANAIS

17/03/2011 - 11:45

BP anuncia expansão de sua atuação em biocombustíveis no Brasil


A empresa pagará aproximadamente US$ 680 milhões (cerca de R$ 1,1 bilhão) para adquirir 83% das ações da CNAA e refinanciar 100% das dívidas de longo prazo da CNAA.

São Paulo - A BP anunciou no dia 11 de março (sexta-feira), acordo firmado para a aquisição do controle majoritário da Companhia Nacional de Açúcar e Álcool (CNAA), produtora brasileira de etanol e açúcar. Quando os ativos da CNAA estiverem em plena operação, a capacidade de produção brasileira de etanol da BP deverá atingir aproximadamente 1,4 bilhão de litros de etanol por ano (nove milhões de barris).

De acordo com a direção da BP, a empresa pagará aproximadamente US$ 680 milhões (cerca de R$ 1,1 bilhão) para adquirir 83% das ações da CNAA e refinanciar 100% das dívidas de longo prazo da CNAA.

Após a aquisição, que está sujeita à aprovação de órgãos reguladores e condições suspensivas, a BP se tornará operadora de duas usinas localizadas nos Estados de Goiás e Minas Gerais. Uma terceira usina da CNAA está atualmente em desenvolvimento no Estado de Minas Gerais.

"Combustíveis de baixa emissão de carbono serão cada vez mais importantes para atender à demanda global de energia. A BP está comprometida em produzir biocombustíveis para ajudar a atender esta demanda. O acordo de hoje também está alinhado com a estratégia da BP de ampliar nossa presença nos mercados de energia que mais crescem", afirma Carl-Henric Svanberg, presidente do Conselho de Administração da BP.

De acordo com o estudo recém-publicado BP Energy Outlook 2030, que avalia o futuro do cenário mundial de energia, o setor de energia alternativa deverá ser o de maior crescimento nos próximos vinte anos, sendo que a produção mundial de biocombustíveis deve mais do que triplicar.

"Esta aquisição estratégica confirma o comprometimento da BP em desenvolver grandes negócios em mercados emergentes e a expansão contínua no Brasil, por meio de exploração e produção de petróleo, bem como investimentos em biocombustíveis", diz Bob Dudley, presidente executivo do grupo BP. "Até o momento, esta é a maior aquisição da divisão de Energias Alternativas da BP em nosso caminho para atingir uma posição de liderança no negócio de combustíveis de baixa emissão de carbono."

Ao comentar o negócio, Philip New, vice-presidente da BP Biofuels, declarou: "A aquisição da CNAA é um marco fundamental para nossa estratégia de nos tornarmos um dos líderes no desenvolvimento de biocombustíveis sustentáveis e em grande escala. Este acordo servirá como uma base consistente de crescimento para nossos negócios."

"Como operadores, estamos focados em atividades seguras, com confiabilidade, sustentáveis e rentáveis. Nós traremos investimentos, tecnologias e competências que complementam o conhecimento e a experiência já existentes", completa New.

Principais informações sobre a aquisição- A BP pagará aproximadamente US$ 680 milhões (cerca de R$ 1,1 bilhão) para adquirir 83% das ações da CNAA e refinanciar 100% das dívidas de longo prazo da CNAA.

Os vendedores são: Açúcar e Álcool Fundo de Investimento em Participações e Açúcar e Álcool II Fundo de Investimento em Participações.

A BP irá adquirir duas usinas em operação e uma terceira em desenvolvimento. Todas as usinas estão localizadas na região Centro-Sul do Brasil, nos Estados de Goiás e Minas Gerais.

Cerca de 2,5 mil pessoas trabalham atualmente nas três usinas.

A produção de etanol destas usinas poderá suprir tanto o mercado brasileiro quanto o internacional.

A área agrícola para o cultivo de cana-de-açúcar relacionada a estes projetos está de acordo com o Zoneamento Agroecológico da Cana-de-açúcar.

A capacidade combinada de moagem das três usinas, quando em plena operação, está estimada em 15 milhões de toneladas de cana-de-açúcar por ano ; e a capacidade de produção anual de cada usina será de cerca de 480 milhões de litros de etanol equivalentes;

Cada usina poderá comercializar por ano cerca de 340 GWh de energia elétrica para o SIN (Sistema Interligado Nacional). Desde 2008, a BP possui participação de 50% na Tropical BioEnergia S.A., que opera uma usina em Goiás, com a capacidade de produção de 435 milhões de litros de etanol por ano. A estrutura societária e a operação desta unidade não será afetada por este novo negócio.

Perfil-A BP é uma das maiores companhias de energia do mundo, oferecendo a seus clientes combustível para transporte, energia elétrica e para aquecimento, serviços de vendas e produtos petroquímicos para itens de uso no dia-a-dia.

Desde 2006, a BP anunciou investimentos de mais de US$ 1,5 bilhão em pesquisas, desenvolvimento e operações com biocombustíveis, além de investimentos em unidades produtoras na Europa, Brasil e Estados Unidos. A companhia possui um centro global de tecnologia para biocombustíveis, localizado em San Diego (EUA), e está investindo US$ 500 milhões em 10 anos no Energy Biosciences Institute (EBI), onde biotecnólogos estudam aplicações de biotecnologia em energia.

Criada em novembro de 2005, a BP Alternative Energy, divisão de Energias Alternativas da BP concentra todo o interesse da BP em energia de baixa emissão de carbono. A BP Alternative Energy investirá US$ 8 bilhões nos crescentes mercados de biocombustíveis, energia eólica e energia solar, enquanto desenvolve opções de longo prazo para a captura e estocagem de carbono e tecnologias limpas. Destes, US$ 5 bilhões já foram investidos.

Enviar Imprimir


© Copyright 2006 - 2021 Fator Brasil. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Tribeira