Portal Fator Brasil 
Página Inicial
PORTAL MÍDIA KIT BOLETIM TV FATOR BRASIL PageRank
Busca: OK
CANAIS

13/11/2010 - 07:56

Wilson, Sons registra receita líquida recorde de US$ 153,5 milhões no 3T10


Valor é 18,4% maior ao registrado no mesmo período de 2009.

Rio de janeiro - A Wilson, Sons (BM&FBovespa: WSON11), que por meio de suas subsidiárias é uma das maiores operadoras integradas de serviços marítimos, portuários e de logística do Brasil, registrou no terceiro trimestre deste ano receita líquida recorde de US$ 153,5 milhões, o que corresponde a um aumento de 18,4% em relação ao mesmo período de 2009. No comparativo dos nove primeiros meses de 2010 com igual intervalo do ano passado, o crescimento apurado foi de 19,5% (US$ 416,4 milhões).

“Esse recorde na receita é reflexo da contínua demanda por nossa plataforma integrada de serviços portuários, marítimos e logísticos terrestres. Os elevados níveis de cabotagem, além do aumento das atividades de importação, ajudaram a amenizar o impacto da apreciação do Real e o seu subsequente efeito negativo nos volumes de exportação, ratificando a força e a consistência do nosso modelo de negócios”, afirma Cezar Baião, CEO das Operações no Brasil da Wilson, Sons.

A subsidiária Brasco, terminal de apoio à indústria de óleo e gás, apresentou aumento de 85,4% na receita durante o terceiro trimestre de 2010, em reflexo dos novos contratos e da expansão dos serviços auxiliares prestados.

“Além da Brasco, registramos resultados positivos nos terminais de contêineres. O incremento das receitas em Terminais Portuários é resultado direto do expressivo crescimento das atividades da Brasco, além dos maiores níveis de movimentação de cabotagem e transbordo em Rio Grande e Salvador, ambos auxiliados pelo melhor mix de preços”, aponta o CFO (Chief Financial Officer) da subsidiária brasileira e Relações com Investidores da Companhia, Felipe Gutterres.

Entre os meses de julho e setembro, a Wilson, Sons anunciou a assinatura do termo de expansão do Tecon Salvador. “Essa medida permitirá a continuidade de nossos investimentos no terminal e possibilitará a evolução da logística comercial do nordeste do país, deixando-a com a infraestrutura portuária adequada para o crescimento econômico na região”, completa Cezar Baião.

Os investimentos da Wilson, Sons no terceiro trimestre de 2010 totalizaram US$ 36,4 milhões. O valor foi voltado principalmente à expansão da frota de PSVs e rebocadores, além da aquisição de novos equipamentos para Terminais Portuários.

O lucro líquido da Companhia atingiu US$ 24,6 milhões, enquanto o EBITDA (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) alcançado no terceiro trimestre foi de US$ 25,2 milhões.

Destaques por negócio - A receita líquida dos Terminais Portuários da Wilson, Sons aumentou 31,7% no terceiro trimestre de 2010, chegando a US$ 64,4 milhões contra US$ 48,9 milhões registrados no mesmo período de 2009. Na comparação dos nove primeiros meses de 2010 com igual intervalo do ano passado, o valor subiu 29,7%, e atingiu R$ 164,6 milhões.

A cabotagem permanece em forte crescimento. No terceiro trimestre, os volumes operados cresceram 27,4%, no Tecon Salvador, e 9,6%, no Tecon Rio Grande, sobre o mesmo período de 2009. No acumulado de janeiro a setembro de 2010, a ampliação foi de 20,4% e 9,2%, respectivamente, em relação aos primeiros nove meses do ano passado.

O negócio de Rebocagem registrou incremento de 2% na receita líquida, na comparação entre os terceiros trimestres de 2010 e 2009, chegando a US$ 40,9 milhões. O desempenho positivo é resultado da maior demanda por operações especiais e ao aumento de 3,7% nos volumes de manobras portuárias no terceiro trimestre de 2010.

Os resultados de Offshore incluem os efeitos da formação da joint venture Wilson, Sons UltraTug Offshore. Após a formalização da parceria, os resultados passaram a ser reportados proporcionalmente, com 50% de participação da Wilson, Sons. Desta maneira, o negócio de Offshore apresentou receita de US$ 4,7 milhões no terceiro trimestre de 2010, uma redução de 47,6% em relação ao mesmo período de 2009.

O negócio Estaleiros, que engloba os serviços de construção naval da Wilson, Sons, apresentou acréscimo de 53,3% nas receitas do terceiro trimestre de 2010 sobre igual intervalo de 2009, atingindo US$ 11,9 milhões. O resultado é reflexo do reconhecimento contábil da construção e entrega de PSVs durante o período.

A receita líquida do negócio de Agenciamento Marítimo subiu 9,1% na comparação ao terceiro trimestre de 2009, totalizando US$ 4,7 milhões, como reflexo dos fortes volumes.

Na área de Logística, o crescimento de 31,5% no EBITDA e de 37,5% na receita líquida durante o terceiro trimestre de 2010 é resultado dos novos contratos e das ótimas performances nos segmentos de mineração, siderurgia, farmacêutica e petroquímica. As operações in-house nas indústrias de mineração que tiveram início no terceiro trimestre de 2010 estão em linha com o crescimento do negócio. Após o fim desse período, a Companhia adicionou um contrato na indústria de papel e celulose ao seu portfólio de operações.

Perfil - A Wilson, Sons, por meio de suas subsidiárias, é um dos maiores operadores integrados de logística portuária e marítima no mercado brasileiro. Com mais de 170 anos de história, a Companhia oferece completa linha de serviços, em âmbito nacional, a participantes dos setores de comércio nacional e exterior, bem como à indústria de óleo e gás. As principais atividades da Wilson, Sons estão divididas nos seguintes segmentos: Terminais Portuários, Rebocagem, Offshore, Logística, Agenciamento Marítimo e Estaleiros.

Enviar Imprimir


© Copyright 2006 - 2019 Fator Brasil. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Tribeira

 Consulta inválida: