Portal Fator Brasil 
Página Inicial
PORTAL MÍDIA KIT BOLETIM TV FATOR BRASIL PageRank
Busca: OK
CANAIS

08/10/2010 - 08:50

Grupo Nexans estreita laços comerciais no Brasil


Depois da França em 2005, China em 2007 e Gana em 2008, a Nexans escolheu o Brasil para sediar a 12ª edição do 'Cabfe Fórum', uma plataforma única de informações e debates dedicada a 300 profissionais de todo o continente sul-americano. Uma empresa com liderança mundial em tecnologia de cabos, está presente em todos os níveis de produçõa de óleo e gás, fornecendo ampla gama de cabos de energia e de comunicação e umbilicais para a exploração offshore, produção, processamento, armazenamentro e transporte.

A Nexans, líder mundial na indústria de cabos, realizou no dia 7 de outubro (quinta-feira), a 12ª edição de seu fórum sobre cabeamento. Pela primeira vez, ele foi sediado no continente sul-amerícano, em São Paulo, Brasil. A empresa contou com a presença de 300 profissionais sul-americanos que trabalham no mercado industrial, de infraestrutura ou de construção.

Aumento das oportunidades no mercado da América do Sul - A Nexans decidiu sediar o Cable Fórum na América do Sul, pois, a região está passando por um período de crescimenfo prolongado, no que se refere ao mercado de infraestrutura energética, bem como nos setores industriais e de construção. Atualmente, uma grande quantidade de projetos está a caminho na América do Sul e a Nexans já está envolvida em muitos.

No que concerne às infraestruturas energéticas, a Nexans está comprometida com grandes projetos. No Brasil, a Nexans ganhou 20% do projeto de infraestrutura elétrica de US$ 210 milhões, para conectar o Tucuruí ao Amazonas por meio de l .810 km de cabos. Na Argentina, de acordo com o Pían Federal, a Nexans oferece cabos elevados de alta tensão para a geração de energia, ligando duas províncias. O projeto representa US$ 15 milhões para a Nexans, que oferecerá 3.000 km do total de 15.000 km de cabos.

“Se nos próximos dois ou três anos, houver picos de demanda por cabos nas áreas de transmissão de energia, transportes e de óleo e gás, haverá expansão das fábricas no país. A companhia prevê crescimento de 10% neste ano, em 2009 a empresa atingiu o faturamento de US$ 380 milhões, e acreditamos em uma forte expansão até 2014, visando os grandes projetos de infraestrutura, da exploração do petróleo do pré-sal, petroquímica, usinas como a Belo Monte, construção civil, energia eólica, e de investimentos industriais”, frisa o vice-presidente comercial e de marketing da Nexans para América do Sul, Chaim Tencer.

“Se as três fábricas em operação no país [cidade do Rio de Janeiro, Lorena e Americana em São Paulo] seguir o ritmo de 2010, em 2011 chegaremos à plena capacidade, então, bem antes, haverá necessidade de investimento", lembra Tencer.

“Grande parte da nossa operação está dedicada à construção de cabos para as linhas de transmissão de energia, com destaque para as das usinas do rio Madeira. Na primeira fase, dos 2.375 km em linhas colocados em concorrência, a Nexans Ficap garantiu o fornecimento de 30% dos cabos, já no projeto de interligação das subestações com as usinas, serão 1.822 km, dos quais 70% dos cabos com a marca da multinacional. O segmento deve alcançar uma participação de 35% na receita em 2011", diz Chaim.

“O setor de óleo e gás, indústria naval também deve colaborar para as receitas da Nexans Ficap, que fabrica no Rio de Janeiro cabos especiais para navios e plataformas que manterão picos de consumo entre 2012 e 2013, então, poderemos ampliar a unidade, tudo depende do andamento dos programas”, reflete Chaim ,que tem Aglaé Meirelles cuidando do segmento mercante.

“Os vários mercados atendidos pela Nexans é decidido conforme competitividade de suas fábricas e questões aduaneiras, facilidade de intercambios de produtos entre as fábricas , então o país ou o estado possui a preferência, como exemplo a Nexans Ficap no Rio de Janeiro, com uma excelente logística”, conclui o executivo.

“De acordo com levantamentos do governo federal há necessidade de ampliação de 38% na malha nacional de transmissão de energia, que em 2009 chegava a 95,6 mil km, números de linhas, que podem ter mais de um cabo, então, com um forte potencial de crescimento”, adianta. A Nexans acredita que pdoerá cuidar de 35% desse mercado, uma garantia de liderança frente à concorrência.

Cabos de transmissão de energia- “A Ampla no Rio de Janeiro vai investir R$ 6 milhões em linha subaquática, quatro quilômetros de cabos que a Nexans deve entregar instalado até o fim do ano.Tensão de 25Kv que será enquadrada no programa Luz para Todos. A linha será instalada na Restinga Marambaia [zona Oeste do Rio de Janeiro], próxima à Barra de Guaratiba. Na esteira está a Light, também no Rio de Janeiro, que já terá um projeto piloto sendo isntalado a partir de janeiro de 2011, -são cabos de transmissão de energia com fibra de carbono em 50% mais resistente e tem 25% da densidade do aço, mais leve, ele evita a formação de flechas [Lo-Sag] ou baixas flechas”, destaca o gerente de engenharia e aplicações e coordenador do centro de competência de linhas de transmissão aéreas, engenheiro Sidnei Ueda..

“A tecnologia foi desenvolvida com participação de pesquisadores brasileiros da Nexans e dos centros de competência da Bélgica e França. O cabo de 138kV será implantado em um quilômetro da linha Cascadura-Grajaú 2, localizada na zona norte da cidade. O produto está sendo testado há cinco anos e podemos produzi-lo em tensões de até 600kV", adianta Ueda.

“Este novo equipamento é apropriado para recapacitação de linhas, com transmissão de até 100% mais energia que os cabos comuns, e o custo é 30% inferior também aos cabos comuns”, frisa o especialista.

O investimento na tecnologia chegou a 1 milhão de euros e apesar de já ter sido desenvolvida por outros fornecedores, nunca foi instalada no Brasil. Produto que poderá ser fabricando na unidade de Americana, interior de São Paulo.

A Nexans também é bastante atuante no setor industrial. Ela fornece, por exemplo, uma linha completa de cabos e sistemas de cabeamento para empresas nacionais e internacionais da área de Petróleo e Gás, que precisem construir plataformas para perfuração, extração e transporte de petróleo e gás nesta região. A companhia já desenvolveu soluções personalizadas para a próspera indústria mineradora.

No Chile, por exemplo, a Nexans está divulgando seus cabos fluorescentes inovadores, com valor agregado, para mineração. Seus cabos tipo SHD-GC patenteados em vários países, com revestimento em poliuretano transparente e fita fluorescente, absorvem energia solar durante o dia e a liberam à noite, tornando-os visíveis e, com isso, menos sujeitos a danos.

Um local único para troca de informações entre profissionais do setor - O Cable Fórum consiste em várias fases, primeiramente, os clientes do Nexans são recebidos em uma área de exposição particular, desenvolvida para divulgar os produtos paro soluções e serviços da empresa, fornecidos por unidades de produção sul-americanas ou por indústrias localizadas ao redor do mundo. Após a abertura oficial, os participantes foram convidados a conferir um dos oito workshops propostos, dedicados aos desafios no setor de cabeamento de redes elétricas, redes de metro e ferrovias de alta velocidade, petróleo e gás, construção naval, mineração, material rodante e setor de construção bem como o setor de Redes de Área Local (LAN).

Esses workshops oferecem uma oportunidade única, não só na obtenção de informações detalhadas e atualizadas, como também para realizar um debate aberto entre especialistas do setor industrial. Por fim, o dia terminou com um toque de entretenimento, -um jantar e uma apresentação ao vivo de Paula Lima, cantora da música popular brasileira.

Para o presidente da Embraer, Ozires Silva, [presente na coletiva de imprensa], empresa como a Nexans é importante estar no Brasil num momento de ouro do país, em que há muito que desenvolver, principalmente a infraestrutura. E chamou atenção para que a empresa atente para a colaboração na formação de recursos humanos, -formação de novos talentos para os grandes desafios tecnológicos, por exemplo o pré-sal.

A Nexans na América do Sul - Com a aquisição do indústria de cabos Madeco, em 2008, a Nexans se tornou a maior fabricante de cabos do continente. Em 2009, a Nexans gerou uma receita de US$ 830 milhões [ US$ 560 milhões em venda-padrão) na América do Sul, ou cerca de 11% da receita global. É a líder da indústria de cabos no Brasil, Peru e Chile, com índice de participação de mercado de 35% (infraestruturas elétricas], 66% e cerca de 33% respectivamente.

Ela possuí indústrias de fabricação em cinco países - as três supracitadas, bem como na Argentina e na Colômbia. Também desfruta de uma ampla presença comercial na Bolívia, Uruguai, Paraguai, Verfezuela e Equador. Quando a Nexans adquiriu a indústria de cabos Madeco (fundada em 1944), ela não só comprou a empresa mais compatível com a estratégia de diversificação e globalização, como adquiriu 70 anos de experiência.

Essa experiência abrange a presença marcante no mercado de cada país, uma rede de distribuição única e extremamente forte, uma imagem histórica de marcas locais confiáveis e de boa qualidade, indústrias de produção de alta tecnologia, equipes de vendas treinadas e especialistas no setor de operação e fabricação, relacionamento próximo corn cliente e excelentes equipes de gerenciamento local e funcionários qualificados e confiáveis. Aíualmente, a Nexans possui 2.340 funcionários trabalhando na América do Sul, o que representa 10% do total global.

Perfil da Nexans - A Nexans, líder mundial da indústria de cabos, faturou € 5 bilhões em 2009, e atingiu receita de US$ 830 milhões, na América do Sul, onde possui oito fábricas [ três no Brasil, duas na Argentina, uma no Chile, uma no Peru, outra na Colômbia, e escritórios na Venezuela, Bolívia, Paraguai e Uruguai). As exportações a partir do Brasil respondem por 5% a 7% do faturamento. A Nexans oferece uma ampla variedade de cabos e sistemas de cabeamento, tendo a energia como base de seu desenvolvimento. O Grupo é um player global nos mercado industrial, de infraestrutura, de construção e de Redes de Área Local. A Nexans se dedica a uma série de segmentos do mercado: desde o segmento energético, de transportes e redes de telecomunicações até o de construção naval, petróleo e gás, energia nuclear, automotivo, eletrônico, aeronáutico, de manuseio de materiais e automação.

Com a energia como base de seu desenvolvimento, a Nexans, líder mundial na indústria de cabos, oferece uma ampla gama de cabos e sistemas de cabeamento. O Grupo tem presença global nos mercados de infraestrutura, indústria, construção e de redes de área local. A Nexans atua em uma serie de segmentos de mercado: desde energia, transporte e redes de telecomunicação ate construção naval, petróleo e gás, eólica, automotivos, eletrônico, aeronáutica, uso móvel e automação de materiais. A Nexans é uma empresa industrial responsável que se preocupa com o desenvolvimento sustentável como parte integral de sua estratégia global e operacional. A continua inovação nos produtos, em soluções e serviços, no desenvolvimento e comprometimento dos funcionários, e a introdução de processos industriais seguros com o mínimo de impacto ambiental estão entre as principais iniciativas tomadas pela Nexans com o objetivo de obter um futuro sustentável. Com presença industrial em 39 países e atividades comerciais por todo o mundo, a Nexans conta com 22.700 colaboradores e, em 2009, registrou vendas de 5 bilhões de euros. A Nexans está listada na Bolsa NYSE Euronext Paris, seção A. [www.nexans.com.br].

Enviar Imprimir


© Copyright 2006 - 2020 Fator Brasil. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Tribeira

 Consulta inválida: