Portal Fator Brasil 
Página Inicial
PORTAL MÍDIA KIT BOLETIM TV FATOR BRASIL PageRank
Busca: OK
CANAIS

11/09/2010 - 07:51

Complexo de Itajaí se aproxima dos 800 mil TEU´s movimentados


Uma pequena retração no número de navios full-containers atracados em agosto não impactou na redução do volume de cargas operado no mês. Foram 90 atracações entre 1º e 31 de agosto, ante as 95 atracações registradas em julho, movimentando um total de 86,52 mil TEU´s (Twenty-foot Equivalent Unit – unidade internacional equivalente a um contêiner de 20 pés) em agosto, ante 84,13 mil TEU´s em julho. Já o volume de cargas acumulado nos oito primeiros meses deste ano soma 594,41 mil TEU´s.

“O volume operado nos oito primeiros meses de 2010 sinaliza que o Complexo Portuário do Itajaí está a caminho de superar a meta de 800 mil TEU´s estimados para serem movimentados em 2010”, destaca o diretor comercial do Porto de Itajaí, Robert Grantham. O diretor ressalta que as exportações apresentaram uma moderada retração no período, de 2,64 mil TEU´s, entre todos os terminais.

“Já as importações ficaram praticamente estáveis e a maior variação se deu nas operações com containers vazios, que aumentaram em 4,11 mil TEU´s entre os dois terminais, em partes quase iguais”, complementa Grantham. Ele explica que esse grande número de contêineres vazios operado está relacionado a reposição de contêineres vazios, principalmente para a Ásia, devido ao grande volume de cargas que Itajaí importa daquele continente.

Balança Comercial – A balança comercial brasileira registrou um avanço nas exportações e recuo nas importações em agosto, o que é considerado atípico no atual cenário econômico. “A tendência natural é de que ocorra avanço nas importações e recuo ou estabilização nas exportações. Entretanto, com o fim da crise internacional e o aumento do poder aquisitivo dos mercados consumidores da produção brasileira, abrem-se novas perspectivas para as exportações brasileiras”, explica Grantham, destacando que esse superávit registrado no oitavo mês do ano foi atípico, alavancado pelas exportações de commodities.

A realidade verificada em Itajaí no último mês não condiz com a realidade nacional no período. Entre julho e agosto a média diária de exportações no Brasil cresceu três vezes mais que a de importações [8,8% e 2,9%, respectivamente]. As exportações foram as maiores desde setembro de 2008, mas, segundo análise da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), é provável que seja apenas uma melhora episódica, influenciada pelos resultados de uma única semana, em que a média diária cresceu 13,4% mais do que nas outras semanas. Tanto que nos últimos 12 meses, as importações aumentaram muito mais do que as exportações.

“Embora o Porto de Itajaí tenha apresentado uma vocação exportadora na última década, a realidade muda conforme o cenário econômico brasileiro e mundial”, acrescenta o superintendente Antonio Ayres dos Santos Júnior. Segundo as estatísticas, observa-se que as exportações representaram 72,62% em 2000 e responderam pela fatia de 45,26% em 2009. “Isso mostra que ocorre mudança do nosso foco conforme as economias global e nacional”, diz Ayres. Vale destacar que o volume global teve significativo avanço, com aumentos nas cargas desembarcadas e retração nas taxas de crescimento das exportações.

Carga Geral – “É importante destacar também as atracações dos navios de carga geral registradas em agosto nos terminais, em número de nove, contra quatro no mês anterior. Fica claro que há enormes possibilidades de uma retomada deste segmento, liderado agora pela demanda de produtos siderúrgicos, tanto na importação quanto na exportação”, diz Grantham. Segundo Ayres, a liberação das alíquotas de importação [0%] para a importação de até 200 mil toneladas de aço para ser emprega na produção da linha branca é outro fator que tende a ampliar a movimentação de navios de carga geral no Complexo Portuário do Itajaí, juntamente com o anúncio da instalação da empresa IESA em Navegantes, na área portuária, para produzir módulos para plataformas de petróleo.| João Henrique Baggio

Enviar Imprimir


© Copyright 2006 - 2019 Fator Brasil. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Tribeira

 Consulta inválida: