Portal Fator Brasil 
Página Inicial
PORTAL MÍDIA KIT BOLETIM TV FATOR BRASIL PageRank
Busca: OK
CANAIS

20/03/2010 - 10:29

Carnaval do Rio pode ter recorde mundial de banheiros químicos em 2011

O carnaval de rua da cidade do Rio de Janeiro, no ano que vem, poderá entrar para a história como o evento com o maior número de banheiros químicos do mundo. A previsão foi feita pelo coordenador de blocos de rua da Riotur, Alex Martins, durante audiência pública realizada no dia 18 de março (quinta-feira), pela Comissão de Cultura da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), no Palácio Tiradentes. Segundo Martins, serão instalados, no mínimo, cinco mil banheiros, podendo chegar a mais de seis mil, quantidade registrada somente na posse do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, em 2008. Apesar das previsões otimistas, o presidente da comissão, deputado Alessandro Molon (PT), acredita que a necessidade vai além da simples instalação destas estruturas durante os quatro dias em que ocorre a festa de Momo. "É preciso garantir também a manutenção desses banheiros químicos, que ficam imundos, inclusive do lado de fora, após menos de um dia de uso. Além disso, há necessidade de a prefeitura se mobilizar para construir banheiros públicos definitivos na cidade. Se o prefeito se antecipar, essa urgência na construção de banheiros, que ocorre todo ano, pode se transformar em apenas mais um detalhe do evento", afirmou o petista, que lamentou a ausência das secretarias de Cultura do estado e do Município do Rio.

A diversidade de blocos e bairros envolvidos com o Carnaval pode ser o único empecilho para a instalação do número de banheiros citado pelo coordenador da Riotur, assim como para a manutenção, uma das principais reclamações dos foliões e dos moradores. De acordo com Alex Martins, seria preciso a criação de uma empresa específica para a limpeza rápida das estruturas espalhadas pela cidade. Mas, mesmo assim, Martins se comprometeu a fazer um estudo que possa agilizar a manutenção dos banheiros. Segundo a apresentação do representante da "Desliga dos Blocos", grupo de blocos que se juntaram para ir contra as exigências feitas pela prefeitura, Luis Otavio, seria necessária uma fila de 20 horas para que todos os presentes no bloco Cordão do Boitatá, que desfila no Centro da Cidade, pudessem utilizar os banheiros químicos durante o desfile.

Outra reclamação feita por Luis Otavio foi relativa ao aumento do número de blocos que obrigam seus foliões a comprar camisas para se juntar ao desfile, cujo espaço fica delimitado por uma corda e diversos seguranças. O coordenador da Riotur, Alex Martins, afirmou que esta prática será proibida a partir de 2011. Ele ainda afirmou que a prefeitura manterá o decreto determinando que os blocos apresentem, até 30 de agosto do ano anterior, a solicitação para desfilar. "Até 2009 só tínhamos informações desencontradas sobre os blocos. Agora pudemos fazer um mapeamento do horário exato e de onde eles saem e também tentar alterar alguns locais para facilitar atendimentos de emergência de ambulâncias, por exemplo, que já ficaram presas no meio de tantas pessoas bloqueando ruas", explicou Martins, garantindo também que a propaganda de patrocinadores será diminuída e terá de se adaptar a normas do município.

Também estiveram presentes à audiência o representante da Associação Carioca de Bandas e Blocos Folia Carioca, Ricardo Rabello, além de integrantes de blocos de rua como o "Largo do Machado, mas não largo do copo" e "Quem não agüenta, bebe água". | Colin Foster

Enviar Imprimir


© Copyright 2006 - 2019 Fator Brasil. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Tribeira

 Consulta inválida: