Página Inicial
PORTAL MÍDIA KIT BOLETIM TV FATOR BRASIL PageRank
Busca: OK
CANAIS

21/01/2010 - 06:59

40ª. edição da reunião de Davos desafia tomadores de decisões a “repensar, redefinir e reconstruir”

40º aniversário da reunião anual do World Economic Forum, em Davos, atrai 2.500 líderes corporativos, governamentais e da sociedade civil. O Forum oferece uma plataforma aos tomadores de decisão de todos os setores da sociedade para se reunir e debater questões importantes da agenda global. O tema da reunião será “Melhorar a Situação do Mundo: Repensar, Redefinir e Reconstruir”.

Genebra, Suíça - O 40º aniversário da reunião anual do World Economic Forum marca um momento decisivo para os líderes globais que se reúnem sob o tema “Melhorar a Situação do Mundo: Repensar, Redefinir e Reconstruir”. Durante cinco dias, mais de 2.500 líderes oriundos de mais de 90 países, representando empresas, governos, sociedade civil e as áreas acadêmicas e culturais, trabalharão em conjunto para enfrentar os desafios mais urgentes e os futuros riscos.

“A missão do Forum, de melhorar a situação mundial, é baseada em cooperação global entre várias partes interessadas”, comenta o Professor Klaus Schwab, Fundador e presidente executivo do World Economic Forum. Na coletiva de imprensa, realizada na sede da instuição em Genebra, o professor Schwab afirmou: “Devemos repensar nossos valores – estamos vivendo juntos numa sociedade global e multicultural. Temos que redefinir nossos processos – a maneira de abordar questões e os desafios na agenda global. Além disso, precisamos reconstruir nossas instituições. Devemos analisar a reunião anual de Davos em um contexto mais amplo... e vemos claramente que o atual sistema de cooperação global não atende nossas necessidades. Por isso, devemos examinar todas as questões da agenda global de uma maneira sistêmica, integrada e estratégica e, especialmente, a cooperação global. Por isso o encontro desse ano está focado na necessidade de repensar, redefinir e reconstruir".

A agenda de discussões também inclui o futuro do Haiti após o terremoto devastador que atingiu aquele país: “Esperamos apresentar para a comunidade global um trabalho cooperativo de grande porte, demonstrando a real cidadania corporativa global de Davos”, enfatizou o Professor Schwab.

Mais de 1.400 executivos das maiores empresas globais estarão presentes no encontro desse ano, oriundos principalmente das companhias membros do Forum – as mil maiores empresas do mundo de todos os setores econômicos.

Praticamente a metade dos participantes da conferência vem de áreas não-empresariais, entre as quais 30 chefes de estados ou governos, pelo menos 60 ministros, mais de 100 chefes ou executivos de organizações internacionais e ONGs, mais de 200 dos maiores acadêmicos e mais de 200 líderes da mídia.

O discurso de abertura será realizado pelo presidente da França, Nicolas Sarkozy. Entre os líderes globais da África que estarão presentes: Jakaya Mrisho Kikwete, Presidente da Tanzânia, Morgan Tsvangirai, primeiro ministro do Zimbábue, e Jacob Zuma, presidente da África do Sul; das Américas: Felipe Calderón, presidente do México, Stephen J. Harper, primeiro ministro do Canadá (presidente da Cúpula do G8, 2010), Luiz Inácio Lula da Silva, presidente do Brasil, e Álvaro Uribe, presidente da Colômbia; da Ásia: Lee Myung-Bak, Presidente da República da Coréia (presidente da Cúpula do G8, 2010), e Li Keqiang, vice-premiê executivo, Conselho de Estado da República popular da China; e da Europa: José Luis Rodríguez Zapatero, primeiro ministro da Espanha.

Mais de 30 empreendedores sociais estarão presentes em Davos - A reunião contará com a presença de mais sindicalistas do que executivos de bancos centrais, com mais de doze representantes em cada uma dessas categorias.

Os participantes da reunião anual são convidados pelo Forum e seus membros de acordo com sua função e posição. As mulheres representam cerca de 15% dos participantes, um percentual que o Forum tem o compromisso de aumentar apesar da barreira externa do número muito menor de mulheres em posições de liderança no mundo inteiro. Das mil empresas listadas pela Fortune, menos que 2,5% são dirigidas por mulheres; 15% dos ministros governamentais de todo o mundo são mulheres.

O Arcebispo de Canterbury, Reino Unido, Rowan Williams, está entre mais de 12 líderes religiosos que presentes no encontro de Davos, e encerrará a reunião com o debate “Se Responsabilizando pelo Futuro” em conjunto com jovens selecionados no programa Agentes de Mudança Global do Conselho Britânico.

O programa da Reunião Anual 2010 examina seis áreas:· Como Criar uma Estrutura de Valores | · Como Fortalecer a Assistência Social e Econômica | · Como Mitigar Riscos Globais e Enfrentar Falhas Sistêmicas | · Como Garantir a Sustentabilidade | · Como Aumentar a Segurança | · Como Construir Instituições Eficazes

Os Co-presidentes da Reunião 2010 são: · Josef Ackermann, presidente do Conselho e do Comitê Executivo do Grupo, Deutsche Bank, Alemanha; Membro do Conselho Fundador do World Economic Forum | · Melinda French Gates, presidente Conjunta, Bill & Melinda Gates Foundation, EUA | · Azim H. Premji, presidente, Wipro, Índia | · Peter Sands, Principal Executivo do Grupo, Standard Chartered, Reino Unido | · Eric Schmidt, presidente do Comitê Executivo e CEO, Google, EUA | · Ronald A. Williams, presidente e chief executive Officer, Aetna, EUA | · Patricia A. Woertz, presidente e CEO, Archer Daniels Midland (ADM), EUA.

Todos os trabalhos realizados durante Davos, continuarão depois da Reunião Anual. Por meio da WELCOM, uma plataforma de colaboração integrando a tecnologia Web 2.0, os líderes participantes poderão construir conhecimento, compartilhar experiências e atingir as principais partes interessadas ao longo do ano. [www.weforum.org/annualmeeting]

Enviar Imprimir


© Copyright 2006 - 2021 Fator Brasil. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Tribeira