Página Inicial
PORTAL MÍDIA KIT BOLETIM TV FATOR BRASIL PageRank
Busca: OK
CANAIS

04/11/2009 - 08:29

Petrobras comemora três anos do Projeto Redes Temáticas


A Petrobras comemora três anos do projeto Redes Temáticas em conjunto com reitores de universidades e diretores de institutos de pesquisa que participam do projeto. Nesse período a Petrobras terá investido cerca de R$ 1,8 bilhão em instituições brasileiras de pesquisa e desenvolvimento. A Companhia acredita que o domínio tecnológico é fator crítico de sucesso em seus negócios. E, desde a sua fundação, trabalha em parceria com universidades e institutos de pesquisa brasileiros, contribuindo para o avanço da tecnologia nacional na área de petróleo, gás e energia.

O valor destinado pela Companhia às instituições nacionais de P&D vem crescendo ano a ano: em 2004, foram R$ 89 milhões; já em 2008, estes investimentos totalizaram R$ 443 milhões. Implantada em 2006, a estratégia das redes visa a otimização desses recursos e persegue dois objetivos principais: - Alinhar esforços, capacidades e conhecimentos em torno de temas estratégicos para a Petrobras e para a indústria, em sintonia com as metas de negócio da companhiam| - e fortalecer potencialidades regionais, reforçando a capacitação de instituições científicas nos estados onde a Petrobras opera.

Partindo desses princípios, foram estabelecidos, em 2006, convênios com 71 instituições de P&D de 19 estados, organizadas em 38 redes temáticas. Os temas de cada rede estão relacionados às metas tecnológicas da Petrobras, definidas a partir de seu Plano de Negócios e Planejamento Estratégico. O modelo evoluiu e hoje já são 50 redes dedicadas a diferentes temas, reunindo 80 instituições.

Na estratégia das redes, o primeiro passo é dotar o país de um parque tecnológico de padrão mundial de excelência na área de energia. O modelo prevê, inicialmente, um maior volume de recursos destinado à construção de infraestrutura física e à qualificação de recursos humanos. "Partimos do princípio que, a partir de investimentos fortes em infraestrutura física e capacitação são criadas condições de excelência para desenvolver, no país, projetos de P&D arrojados e gerar uma quantidade significativamente maior de inovações", explica o gerente executivo do Centro de Pesquisas & Desenvolvimento da Petrobras (Cenpes), Carlos Tadeu da Costa Fraga.

Assim, de 2006 até o final de 2009, a companhia terá investido cerca de R$ 1 bilhão na construção de infraestrutura experimental de ponta em instituições nacionais de pesquisa & desenvolvimento, com os mais avançados equipamentos para ensaios complexos ligados à indústria do petróleo. "São laboratórios compatíveis com os melhores do mundo. Com eles a Petrobras passa a fazer em instituições nacionais ensaios que antes tinha que contratar no exterior", explica Fraga.

A maior parte da infraestrutura necessária já está instalada ou em construção; a partir de agora, os investimentos em instalações passam a ser feitos de forma mais seletiva. Com laboratórios avançados e pessoal qualificado, as instituições estão preparadas para receber recursos crescentes em projetos de P&D. "Tendo gente capacitada, motivada e instalações experimentais de qualidade, os resultados já começam a aparecer. Estamos criando centros de referência de conhecimento no Brasil, em temas estratégicos para a Petrobras", afirma o gerente executivo do Cenpes.

O modelo também está voltado para o incremento da indústria brasileira na área de energia. A estratégia das Redes Temáticas tem entre seus objetivos fomentar a interação entre as universidades brasileiras e os fornecedores de bens e serviços, tanto nacionais como internacionais. A cooperação entre instituições brasileiras e institutos de P&D de outros países também está prevista nesse modelo, sempre em alinhamento com a estratégia de negócios da Petrobras. "O objetivo é ver o Brasil reconhecido como líder mundial em inovação no setor de petróleo, gás e energia. Na nossa visão, isso é tão possível quanto foi tornar o Brasil reconhecido mundialmente como líder em águas profundas, ou como está sendo tornar o Brasil referência internacional pela sua capacidade de descobrir reservas significativas de óleo no pré-sal", afirma Fraga.

Além da Petrobras e das instituições nacionais de P&D, o modelo das redes conta com outros importantes atores, como a Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP), a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e os ministérios da Ciência e Tecnologia (MCT) e de Minas e Energia (MME). "A ANP crê que este modelo vai trazer um grande salto para o país no que se refere ao seu desenvolvimento científico e tecnológico", considera Florival Carvalho, superintendente de pesquisa e planejamento da ANP. "O aporte de recursos e a importância da Petrobras para a etapa da pesquisa na cadeia produtiva do petróleo e gás é extremamente significativa. Essa visão integrada tem certamente um fator decisivo para elevar a capacidade de inovação no país", diz o secretário executivo do MCT, Luiz Antonio Rodr igues Elias.

Redes Temáticas.: Exemplos de laboratórios inaugurados recentemente: Setembro 2009 - Laboratório para captura de CO2 e estação para monitoramento marinho – INPE: No Instituto de Pesquisas Espaciais (INPE), o Laboratório de Captura de Gás Carbônico, da Rede de Mudanças Climáticas, tem como foco o desenvolvimento das tecnologias Chemical Looping Reforming (CLR) e Chemical Looping Combustion (CLC), promissoras na captura de CO2 a serem utilizadas como uma das formas de redução da emissão de gases do efeito estufa.

Estação de Sensoriamento Remoto Marinho – INPE: Também no INPE, a Estação de Sensoriamento Remoto Marinho, da Rede de Monitoramento Ambiental Marinho, é uma iniciativa pioneira no país e visa a recepção, processamento e armazenamento de dados de satélite para monitorar a costa brasileira.

Agosto 2009.: Centro de Estudos e Ensaios em Risco e Modelagem Ambiental (CEERMA) – UFPE: Na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), o Centro de Estudos e Ensaios em Risco e Modelagem Ambiental (CEERMA), da Rede de Monitoração, Controle e Automação de Poços, é um dos mais modernos laboratórios do mundo para ensaios de confiabilidade e análise de risco na engenharia de poços. Tem como objetivo realizar testes virtuais de degradação de equipamentos, testes de procedimentos operacionais com foco em confiabilidade humana, visualização de poços e de situação de emergência.

Julho 2009.: Laboratório para caracterização de petróleo - Unicamp - Na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), o Laboratório de Petroleômica, da Rede de Geoquímica, tem como objetivo a investigação detalhada de novos indicadores moleculares do petróleo e seus derivados. Tais dados são fundamentais para minimizar o risco exploratório na perfuração de poços.

Julho 2009.: Laboratório de Corrosão e Proteção – IPT: No Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), o Laboratório de Corrosão e Proteção (LCP), da Rede de Materiais e Controle de Corrosão, é um dos mais avançados do mundo na área de materiais e controle de corrosão. Entre as pesquisas realizadas estão novas tecnologias para transporte de etanol e biodiesel e ensaios para avaliar a corrosividade do petróleo e derivados.

Junho 2009 .: Laboratório de Metrologia de Grande Escala – UFSC: Na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), o Laboratório de Metrologia de Grande Escala, da Rede de Metrologia, contribuirá para diversas atividades como arqueação de tanques que armazenam o petróleo e seus derivados, posicionamento do robô no processo de soldagem das membranas internas de navios gaseiros e processos de calibração de grandes máquinas e robôs por multilateração (medição das distâncias de diferentes pontos).

Maio 2009.: Supercomputador Netuno - UFRJ : Na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), o supercomputador Netuno é considerado a mais poderosa máquina HPC (High Performance Computing) para o uso acadêmico na América Latina, e faz parte das Redes de Geofísica Aplicada e de Modelagem e Observação Oceanográfica.

Abril 2009 .: Laboratório de Corrosão e Ensaios não Destrutivos (LNDC) – COPPE/UFRJ: Na COPPE (UFRJ), o Laboratório de Corrosão e Ensaios não Destrutivos (LNDC), da Rede de Tecnologia de Materiais e Controle de Corrosão, é um dos mais avançados do mundo para ensaios de corrosão, inspeção de materiais e soldagem, com especial importância para os testes e pesquisas necessários à produção no Pré-sal.

Agosto 2008.: Centro de Excelência em Tecnologia de Automação Industrial (CETAI) – USP: Na Universidade de São Paulo (USP), o CETAI - Centro de Excelência em Tecnologia de Automação Industrial, da Rede de Instrumentação, Automação, Controle e Otimização de Processos, tem objetivo favorecer atividades de pesquisa e desenvolvimento, além do ensino de tecnologias de automação industrial visando produtividade, qualidade e segurança dos processos dentro das refinarias da Petrobras.

Julho 2008.: Laboratório de Pesquisas Oceanográficas – Marinha: No Centro de Hidrografia da Marinha, o laboratório, destinado à realização de pesquisas oceanográficas na área de desenvolvimento de estudos de correntes marítimas e previsão de ondas do mar, faz parte da Rede de Modelagem e Observação Oceanográfica. Os resultados dos modelos numéricos permitem maior agilidade para a indústria de petróleo em informações para caracterização ambiental e disponibilidade de dados para projetos em águas profundas.

Enviar Imprimir


© Copyright 2006 - 2021 Fator Brasil. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Tribeira