Página Inicial
PORTAL MÍDIA KIT BOLETIM TV FATOR BRASIL PageRank
Busca: OK
CANAIS

18/08/2021 - 09:11

Transformação digital e competitividade do Varejo


Torna cuidados com segurança física e digital fundamentais.

O setor varejista vem passando por uma verdadeira revolução nos últimos anos, com fortes investimentos em transformação digital e na diversificação do portfólio de negócios para, não só garantir sua competividade, mas sobrevivência e crescimento no mercado. A pandemia acelerou este processo, com grandes varejistas buscando conciliar estratégias de atuação em lojas físicas e on-line, um forte movimento de fusões e aquisições para complementar e ampliar suas ofertas, inclusive com iniciativas para atuar em outros segmentos de mercado ou mesmo setores, como o financeiro e de serviços.

Bons exemplos empresas que oferecem serviços financeiros, fazem parcerias com startups e concorrentes ou vão às compras para expandir o portfólio de clientes e diversificar portfólio não faltam. São os casos do Magazine Luiza, que comprou a Netshoes; Arezzo, que adquiriu a Reserva para ingressar na área de vestuário; e da aquisição da Hering pelo Soma, entre muitos outros.

Outro movimento interessante foi a iniciativa do GPA e da RaiaDrogasil de fazer uma joint venture para criar a Stix, plataforma de pontos de recompensa, que visa reunir, não só seus programas de fidelidade, como de outras empresas de varejo e do Banco Itaú, parceiro financeiro da iniciativa. A ideia é unir forças para oferecer melhores benefícios aos clientes, com o intuito de oferecer experiências mais satisfatórias, integradas e interessantes. Além disso, outro fator que vem impactando a transformação do varejo é o surgimento de novos meios de pagamentos, como cartões de financiamento próprios, aplicativos financeiros e o PIX, entre outros.

Toda esta movimentação se justifica pela grande adesão dos consumidores ao comércio digital, que vem crescendo ano após ano e assim deve continuar. Segundo dados da consultoria EbitNielsen, divulgados em dezembro de 2020, as vendas do comércio on-line no Brasil devem crescer 26% em 2021, atingindo R$ 110 bilhões. Não é à toa, que as varejistas estão apostando em unificar as operações das lojas físicas com o ambiente digital para tornar as operações mais ágeis e seguras, além de mais econômicas.

Com o avanço do e-commerce se amplia também a exigência dos consumidores em relação às jornadas de consumo mais eficientes, agradáveis e seguras. Isso, por sua vez, exige sofisticadas estratégias de marketing, vendas, logística, segurança e privacidade, que só podem ser colocadas em prática com a adoção de tecnologias eficazes, ágeis e disruptivas, que geram volumes gigantescos de dados a serem armazenados, processados e analisados, com total segurança física e cibernética, além de garantia de privacidade para respeitar a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), seja nas lojas, centros de distribuição, portos e fábricas, entre outros espaços.

Entre todas as tecnologias exigidas as de segurança parecem ser as menos glamurosas e muitas vezes são consideradas custos pelas organizações, mas deveriam ser avaliadas como investimentos que asseguram não só a integridade de seu patrimônio, mas a confiabilidade e fidelidade de seus clientes e usuários no geral. Existem hoje no mercado soluções unificadas, que auxiliam os varejistas, além de ter uma segurança e monitoramento efetivos e em tempo real de bens, usuários, clientes e dados gerados, na gestão cotidiana dos negócios e tomada de decisões. O mais surpreendente é que as modernas plataformas de segurança podem ter um investimento equivalente a 30% do orçamento gasto atualmente na área e propiciam reduções de perdas dos varejistas de até 50%.

Estas plataformas unificadas podem ajudar a manter o isolamento social nos espaços, a monitorar quais departamentos ou gôndolas concentram a atenção dos clientes, protegendo suas identidades e garantindo sua privacidade, em conformidade com a lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). Indo muito além do muito além do monitoramento por câmeras, podem controlas as transações nos caixas e agilizar processos de auditoria ou de levantamento de dados sobre produtos específicos, além de reduzir perdas nas lojas e contribuir para o controle dos estoques.

Outra vantagem destas soluções é o fato de, por serem unificadas em uma única plataforma, são acessíveis na central de segurança da rede varejista, na própria loja e até mesmo pelo celular do gestor, o que possibilita o monitoramento e controle integral da segurança em toda uma rede de lojas e assegura a agilidade e qualidade das informações obtidas para os negócios.

Em outras palavras, estas soluções de segurança são aliadas dos negócios, pois conseguem ser integradas aos sistemas de gestão, contribuindo com informações para as mais variadas áreas, como Marketing, Vendas, Recursos Humanos e Logística, entre outras. O objetivo é proteger a companhia e oferecer informações inteligentes e estratégicas para os negócios. Portanto, investir em tecnologias de segurança física e cibernética hoje é essencial para garantir que todos os demais processos da companhia funcionem em perfeita harmonia, com o máximo de produtividade e eficiência. Seja estratégico e observe quais são as melhores opções no mercado para o seu negócio.

. Por: Denis Cote, vice-presidente de Genetec para América Latina e Caribe.

Enviar Imprimir


© Copyright 2006 - 2021 Fator Brasil. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Tribeira