Portal Fator Brasil 
Página Inicial
PORTAL MÍDIA KIT BOLETIM TV FATOR BRASIL PageRank
Busca: OK
CANAIS

14/06/2018 - 07:44

Crescimento projetado de 4,7% para o setor cerâmico em 2018


Cria ambiente propício para novas estratégias e parcerias.

A projeção de crescimento para o setor cerâmico em 2018, de até 4,7% das vendas totais em comparação com o ano anterior, divulgada pela Associação Nacional dos Fabricantes de Cerâmica para Revestimento, Louças Sanitárias e Congêneres(Anfacer) melhora o ambiente de negócios depois dos números ruins de 2017.

Ainda segundo relatório da Anfacer entre os principais fatores que embasam as projeções de crescimento está a estimativa de que a economia brasileira voltará a crescer, as baixas taxas de juros, a melhora do mercado de crédito, inflação sobre controle e um aumento da confiança das empresas e do consumidor.

Cenários positivos propiciam ajustes de planejamento, revisão de estratégias e estabelecimento de novas parcerias. Nesse contexto é fundamental atentar para os sinais emitidos pela demanda.

Como ensina Michael Porter, estudioso de competitividade, sobre as condições de demanda "a composição da demanda interna determina (ou deve determinar) a maneira pela qual as empresas percebem, interpretam e reagem às necessidades do comprador."

Retomando dados obtidos pela Pesquisa Nacional de Cerâmica, realizada em 2015 com projeções para até o ano de 2020, com 700 consumidores, 150 arquitetos e 150 gerentes de lojas e revendedores, publicada pela revista Mundo Cerâmico, tem-se que dos consumidores entrevistados 234 iam realizar alguma reforma e 126 iam construir proximamente. Isso é mais da metade da amostra ouvida e permite, combinado com outros dados, um bom mapeamento do consumidor e foco em ações.

Quanto ao local de compra preferido, 51,2% dos consumidores apontaram os home centers e destacaram a variedade de produtos e facilidades para o pagamento como vantagens principais desses locais de compra. Mas é também significativa a principal queixa dos entrevistados quanto a qualidade do atendimento. Reforçando esse aspecto revelado pela pesquisa, pode-se observar que as lojas especializadas (show rooms) foram apontadas por 9,8% como os melhores locais, em função do justamente do atendimento oferecido. As lojas especializadas são apontadas como preferidas sobretudo por consumidores das classes de renda A e B.

Sobre a escolha da marca e do produto, 87% e 94% respectivamente, responderam que isso acontece na loja. Os cinco principais motivadores da escolha são: beleza/estética (65%), fácil limpeza (55%), qualidade (50%), durabilidade (45%) e variedade (25%). Se a escolha acontece na loja, esse profissional do atendimento tem papel crucial na decisão do consumidor. Isso merece ação dirigida.

Nos últimos anos viu-se a expansão de lojas especializadas, de show rooms em grandes e médias cidades. Algumas das maiores empresas de pisos e revestimentos cerâmicos investiram bastante nesse canal de venda, inclusive desenvolvendo sistemas de franchising de suas marcas, apostando na força de lojas próprias para conquista do cliente e fidelização de marca (tão difícil nesse segmento). Se falamos de franchising, estamos no campo da cessão de direitos sobre capital intangível, tão difícil de construir e tão fácil de perder.

Ao se tratar de atendimento, está aí um campo no qual os investimentos e as parcerias precisam ser ampliados e melhorados, com o conhecimento e aprendizado do que já foi feito em outros países, como é o caso do Centro Cerâmico di Bologna, na Itália, com a parceria entre a Universidade de Bologna, a Confindustria Ceramica e a Legacoop Produzione e Servizi, visando a contínua modernização do setor e busca de ganhos de competitividade através de ações como a de oferecimento de cursos para formação de pessoal especializado em vendas de pisos e revestimentos cerâmicos e também para profissionais voltados aos serviços de instalação, tão importantes para a satisfação do cliente com o resultado final de sua compra.

A retomada do crescimento melhora o ambiente de negócios, entretanto, é o reconhecimento pelos tomadores de decisões das empresas de um setor, quanto à necessidade e oportunidade de empreender ações com efetivas condições de agregar valor a cada elo da cadeia produtiva é que vai definir o futuro do setor.

. Por: Arnaldo Francisco Cardoso, professor e pesquisador de comércio e negócios internacionais da Universidade Presbiteriana Mackenzie. Desenvolve pesquisa sobre a cadeia produtiva da cerâmica no Brasil. | E-mail: [email protected]

Enviar Imprimir


© Copyright 2006 - 2020 Fator Brasil. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Tribeira

 Consulta inválida: