Página Inicial
PORTAL MÍDIA KIT BOLETIM TV FATOR BRASIL
Busca: OK
CANAIS

05/06/2014 - 09:03

Região Sudeste lidera casos de câncer de pulmão no Brasil, com três capitais entre as que mais "fumam"

Estudo da Orizon relacionou maior incidência de câncer do pulmão em regiões com maior número de tabagistas.

A Orizon – empresa líder em serviços para os segmentos de saúde, seguros e benefícios – elaborou um levantamento, pela passagem do Dia Mundial Sem Tabaco, comemorado em 31 de maio. Pelo cruzamento com os dados mais recentes do Vigitel - Ministério da Saúde, a incidência de câncer de pulmão é mais frequente em regiões com maior número de pessoas que fumam.

O levantamento da Orizon constatou que a região sudeste lidera o estudo com 30 casos de câncer de pulmão para cada grupo de 100 mil pessoas. A região nordeste do país tem 28 por 100 mil, seguida muito de perto pelo sul com 26,2, o centro-oeste tem 16,2 e por último, com a menor proporção, está o norte com apenas 7,8 casos por 100 mil.

Os números são bastante significativos, já que as cidades de Belém e Manaus, segundo o Vigitel, têm um dos mais baixos índices de tabagismo no Brasil (Belém com 7,7% da população adulta e Manaus com 7%). Em contrapartida, a região sudeste, que lidera o levantamento da Orizon, tem três capitais entre as dez mais tabagistas do país: São Paulo em segundo lugar com 14,9%, Belo Horizonte em quarto com 12,8% e Rio de Janeiro com 11,7%.

A região sul que, pelo levantamento da Orizon tem um índice elevado de incidência de câncer do pulmão, tem as três capitais entre as mais tabagistas: Porto Alegre em primeiro com 16,5%, Curitiba em terceiro com 13,7% e Florianópolis com 12,4.

O estudo da Orizon ainda concluiu que 29,6 por 100 mil pessoas com câncer de pulmão eram mulheres e 27,9 por 100 mil eram homens. A faixa etária com maior número de câncer foi constatada entre os que tinham entre 60 e 89 anos (237,4 por 100 mil), seguida dos que tinham mais de 90 anos (186,9 por 100 mil). Entre os 30 e 59 anos, foi de 27,9 por 100 mil e menos de 29 anos apenas 3,8 por 100 mil.

O superintendente de Negócios Corporate da Orizon, Leopoldo Veras da Rocha, conta que a base de dados para o levantamento foi de 3,9 milhões de pessoas, onde 1.119 casos foram tratados no ano passado com câncer de pulmão. Segundo a Organização Mundial da Saúde, o câncer de pulmão é o terceiro mais comum, apenas atrás do de mama e de próstata e em cerca de 90% dos casos a doença está associada ao cigarro.

Perfil - A Orizon trabalha há mais de dez anos para simplificar o setor da saúde, gerando mais eficiência e resultados para os clientes através de suas soluções em: Transformação de Processos, Conectividade, Benefícios em Saúde e Inteligência em Saúde.

Hoje, um em cada três usuários do sistema de saúde privado se beneficia com as soluções da Orizon. São mais de 18 milhões de pessoas, conectadas a 130 mil prestadores e a 9.000 farmácias, efetuando mais de 140 milhões de transações por ano. Além disso, são processados mais de 40 milhões de sinistros e contas médicas neste mesmo período, trazendo importante ganho operacional para os clientes.

Devido a esse grande volume de dados, a Orizon é capaz de gerar informações estratégicas para o mercado, e assim auxiliar na tomada de decisão das empresas e agregar valor na gestão de saúde da população do país.

Enviar Imprimir

© Copyright 2006 - 2016 Fator Brasil. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Tribeira