Portal Fator Brasil 
Página Inicial
PORTAL MÍDIA KIT BOLETIM TV FATOR BRASIL PageRank
Busca: OK
CANAIS

21/03/2014 - 06:21

Log-In: capturando as melhorias da infraestrutura brasileira


A Log-In acelerou a velocidade de crescimento dos volumes de cabotagem em 2013, evidenciado pelo recorde histórico de movimentação de contêineres, atingindo 109,8 mil TEUS, superior 25% em relação a 2012.

No dia 20 de março (quinta-feira), a Log-In Logística Intermodal S/A, apresentou os resultados de 2013 e quarto trimestre do mesmo ano. De acordo com a empresa, a receita líquida teve alta de 11% na mesma base de comparação, totalizando R$ 227,5 milhões. A geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) somou R$ 20,3 milhões no quarto trimestre, queda ante os R$ 21,6 milhões registrados um ano antes. Já o lucro líquido consolidado caiu 60% no quarto trimestre de 2013, e apresentou os seguintes resultados: R$ 6,6 milhões em 2013 e de R$ 4,1 milhões no 4T13.

Segundo a empresa, a navegação costeira teve recordes, atingindo em 2013 volumes transportados de 242,3 mil TEUS (+22% vs 2012). E no quarto trimestre atingiu crescimento de 19,8% dos volumes de cabotagem. Os volumes em 2013 = 109,8 mil TEUS (+25,2% vs 2012) 4T13 = 31,0 mil TEUS (+19,8% vs 4T12). Feeder: 2013 = 88,8 mil TEUS (+52,3% vs 2012) 4T13 = 19,8 mil TEUS (+5,4% vs 4T12) 

O Ebitda consolidado ajustado atingiu R$ 159,8 milhões em 2013 (+41% vs 2012). A margem Ebitda consolidada foi de 19,5%. No 4T13 Ebitda ajustado foi de R$ 27,6 milhões (+26% vs 2012 ). O indicador de Ebitda da Navegação Costeira totalizou R$ 135,0 milhões em 2013 (+90% vs 2012). No 4T13 atingiu R$ 30,6 milhões no 4T13 (+ 27% vs 4T12 ).

Sobre o Ambiente de Negócios 4T13/2013 - “ A Log-In acelerou a velocidade de crescimento dos volumes de cabotagem em 2013, evidenciado pelo recorde histórico de movimentação de contêineres, atingindo 109,8 mil TEUS, superior 25% em relação a 2012. Nos últimos sete anos os volumes movimentados pela Log-In na cabotagem de contêineres cresceram à uma taxa média de 22% a.a. A cabotagem já representa 45% dos volumes de contêineres movimentados pela Log-In na Navegação Costeira.

Especialmente no Porto de Santos, o crescimento em 2013 foi ainda mais expressivo, atingindo 33,8 mil TEUS embarcados. O potencial de crescimento da cabotagem no Porto de Santos tomou patamar superior com as novas condições operacionais dos terminais Embraport e BTP. Até a entrada em operação da Embraport no 3T13, a Log-In utilizava terminais na margem direita do Porto de Santos, de menor produtividade na movimentação de contêineres, operando na Embraport foi possível multiplicar a performance, obtendo melhor tempo de operação dos navios e planejamento nas coletas e entregas rodoviárias, proporcionando uma otimização de custos quando avaliados na operação como um todo.

O aspecto mais relevante desta nova realidade no Porto de Santos é o potencial de captura de volumes de cabotagem com origem e destino ao Estado de São Paulo. Em recente estudo realizado pelo ILOS (Instituto de Logística e Supply Chain) foi mapeado que São Paulo representa o maior volume de cargas transportadas pela Cabotagem (35%), ainda assim, existe um potencial de conversão de cargas que hoje são transportadas via modal rodoviário em longas distâncias na ordem de 8 TEUS para cada TEU hoje transportado na cabotagem com origem e destino ao Estado de São Paulo (no Brasil este potencial é da ordem de 6,25 TEUS para cada TEU atualmente transportado pelo modal marítimo).

No Mercosul os volumes do 4T13 apresentaram queda de 38,3% em relação ao 4T12, e em relação a 2013 o recuo foi de 16,9%. As sucessivas quedas refletem as dificuldades nas relações comerciais entre o Brasil e a Argentina, consequentemente, a Log-In tem ajustado seu schedule operacional, reduzindo e otimizando o número de atracações dos navios nos portos daquela região.

Os volumes de Feeder apresentaram crescimento representativo em 2013, expansão de 52,3% contra 2012. O ambiente de negócios para esta linha foi muito positivo em função dos volumes com destino ao Porto de Vitória, especificamente no TVV, onde a Log-In implementou um feeder-shuttle service, proporcionando escalas de conexões semanais com os portos do Rio de Janeiro, recebendo e enviando cargas para e do mercado internacional. Novos serviços dedicados feeder-shuttle services estão em estágio final de análise de viabilidade e serão anunciados ao longo de 2014, proporcionando acréscimo de volumes para a Navegação Costeira e especialmente para o TVV.

Ainda na navegação costeira, destaque para o Serviço de Granel, que apresentou expansão em toneladas movimentadas no trimestre e no ano, de 25,6% e 1,2% respectivamente em comparação a 2012. O aumento de volumes no 4T13 ocorreu em função do bom desempenho operacional do navio Log-In Tambaqui que atingiu disponibilidade do equipamento de 100% e das condições de navegação nos rios na bacia amazônica que em 2013 não foram afetados por escassez de chuvas na região. No TVV, durante todo o ano de 2013, as operações sofreram restrições operacionais em decorrência dos atrasos na execução das obras de dragagem e derrocagem do canal de acesso do Porto de Vitória, obras estas de responsabilidade da autoridade portuária. Tal situação conjugada com o rearranjo de escalas dos armadores internacionais e condições climáticas adversas nos portos do Sudeste no 3T13 resultaram em queda dos volumes. No entanto, no 4T13 foi possível verificar um início da recuperação de volumes; as perspectivas para 2014 são positivas em decorrência da dragagem e homologação do novo calado do Porto de Vitória, saindo dos atuais 10,7 metros para 12,5 metros (previsão para o primeiro semestre). Em janeiro de 2014 um novo armador iniciou escalas regulares diretas no TVV e há previsão de outro armador ser anunciado em breve, proporcionando o retorno dos fluxos marítimos de longo curso ao Espírito Santo”, observa Vital Jorge Lopes, diretor-presidente e de relações com investidores da Log-In Logística Intermodal S/A.

Plano de Investimentos -Do plano de investimentos de R$ 1,3 bilhão, iniciado em 2007, foram previstos em 2013 desembolsos de R$ 242,0 milhões. No 4T13 foram executados R$ 21,7 milhões nos projetos de investimentos de capital, sendo que a maior parte dos valores aplicados na construção dos três últimos navios porta-contêiner no montante de R$ 15,2 milhões. Para os navios bauxiteiros foram desembolsados R$ 3,0 milhões. No ano de 2013 foram desembolsados R$ 106,2 milhões em projetos de capital, 56% menor do que o planejado, basicamente em função dos atrasos na construção dos navios. Em relação aos desembolsos com investimentos correntes no 4T13 foram desembolsos R$ 4,9 milhões e em 2013 R$ 12,4 milhões.

A construção dos navios em andamento das obras e dos marcos contratuais estabelecidos entre a Log-In, o estaleiro construtor (EISA) e o BNDES. As datas de entregas das embarcações estão previstas até 2016, mediante cronograma indicado pelo estaleiro EISA. As mesmas são acompanhadas, e atualizadas trimestralmente conforme andamento das obras.

Enviar Imprimir


© Copyright 2006 - 2020 Fator Brasil. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Tribeira

 Consulta inválida: