Portal Fator Brasil 
Página Inicial
PORTAL MÍDIA KIT BOLETIM TV FATOR BRASIL PageRank
Busca: OK
CANAIS

12/03/2014 - 07:28

Panalpina em 2013: rumo à recuperação do EBIT

A Panalpina, uma das empresas líderes em agenciamento de carga internacional e logística, teve um progresso constante em 2013. O Grupo registrou um EBIT de CHF 48 milhões - ou CHF 108 milhões quando ajustado por itens não recorrentes, resultado que é mais que o dobro do obtido em 2012, e supera o crescimento do mercado tanto em frete aéreo quanto em frete marítimo.

"Recuperamos os resultados de 2012 e ganhamos participação de mercado em um ambiente de baixo crescimento em 2013", diz Peter Ulber, CEO da Panalpina, que está à frente da empresa desde junho. "Estou feliz em dizer que superamos o mercado tanto em frete aéreo e marítimo, mas ainda há muito espaço para melhorias de rentabilidade, especialmente em logística e transporte marítimo".

As despesas de pessoal e as despesas de imposto de renda em 2012 foram reapresentados devido à aplicação retroativa da IAS 19 revisado. | * Proposta para a Assembleia Geral Anual.

O EBIT (ajustado) mais do que duplicou-Em 2013, a receita líquida de agenciamento de carga aumentou 2 % para CHF 6,757.6 milhões (2012 : CHF 6,616.6 milhões). O lucro bruto do Grupo aumentou 7 % para CHF 1,561 milhões (2012 : CHF 1,465.0 milhões), impulsionado pelo forte crescimento em Logística, frete Marítimo, e nos setores de Petróleo e Gás e Projetos.

A Panalpina atingiu um EBIT ajustado de CHF 108,0 milhões em 2013, em comparação com um resultado ajustado de CHF 49,3 milhões em 2012. A margem de lucro EBIT bruta ajustada aumentou para 6,9%, contra 3,4% em 2012.

Frete Aéreo - Em um mercado que cresceu cerca de 1% em 2013, o volume de frete aéreo da Panalpina aumentou em 3%, com 825.100 toneladas de carga aérea no ano passado (em 2012 foram 801.400 toneladas). O lucro bruto por tonelada diminuiu 2% para CHF 765 (2012: CHF 784), como resultado de aumentos nos valores de frete, particularmente durante a peak season do quarto trimestre. Isto levou a uma ligeira expansão da margem bruta de frete aéreo para CHF 631,4 milhões (2012: 628,1 milhões), apoiado por dois dígitos de crescimento de lucro bruto nos setores de Petróleo e Gás e projetos, bem como o setor Automotivo e Manufacturing. Em um nível de lucro operacional, o Frete Aéreo alcançou um EBIT ajustado de CHF 119,3 milhões (2012: CHF 79,8 milhões ) . A margem de lucro ajustado EBIT - bruto em 2013 aumentou para 18,9% (2012: 12,7%), graças à contenção de custos e aumento da produtividade.

Frete Marítimo - Os volumes de frete marítimo da Panalpina cresceram 8% ano ano, enquanto o mercado cresceu cerca de 3% . A empresa transportou 1.495.300 TEUs (unidade equivalente a vinte pés) em 2013 ( 2012: 1.388.300 TEUs ). O lucro bruto por TEU de Frete Marítimo permaneceu quase estável em CHF 329 (2012: CHF 331), o que resultou em um aumento de lucro bruto de 7% para CHF 491,9 milhões (2012: CHF 459,8 milhões). Mais uma vez, o setor de petróleo e gás e projetos mostrou um desenvolvimento muito dinâmico, com forte crescimento do lucro bruto de dois dígitos. Frete Marítimo apresentou um EBIT ajustado de CHF 28,0 milhões em 2013 (2012: CHF 8,9 milhões ). A margem de lucro EBIT bruta ajustada aumentou para 5,7% em 2013 (2012: 1,9%).

Logística - A Logística do grupo registou um forte crescimento do lucro bruto de 16% para CHF 437,7 milhões em 2013 (2012: CHF 377,1 milhões). A Panalpina expandiu ainda mais suas atividades de armazenagem e distribuição, incluindo os Serviços de Valor Agregado (VAS), especialmente para as indústrias de Tecnologia e Moda. A Logística encerrou o ano com uma perda de EBIT de CHF 39,3 milhões (2012: perda de CHF 39,4 milhões), causada principalmente por algumas instalações e atividades rodoviárias deficitárias.

Dividendos - Alinhada com uma posição de caixa saudável, o conselho de administração irá propor um pagamento de dividendos de CHF 2,20 por ação durante a Assembléia Geral Ordinária, que será realizada no próximo dia 9 de maio. Isso equivale a um yield de 1,5% (com base no preço da ação no final do ano 2013).

Perspectivas - “Em 2014, vamos nos concentrar na estabilização do nosso desempenho em frete Aéreo e em melhorar a produtividade e a margem operacional em frete Marítimo", diz Peter Ulber. Em Logística, a prioridade da empresa é reverter com as instalações deficitárias.

A Panalpina também buscará eliminar alocações fixas de capacidade de frete rodoviário, ao mesmo tempo em que desenvolve seus Serviços de Valor Agregado (VAS). "Enxergamos a Logística como um diferencial importante para complementar a nossa oferta de soluções de ponta a ponta", acrescenta Ulber. Outra prioridade é expandir ainda mais os setores de Petróleo e Gás, e Projetos Especiais, nos quais Panalpina tradicionalmente tem um profundo conhecimento.

A Panalpina estima um crescimento de mercado entre 2 e 3% para o frete Aéreo e entre 4 e 5% para o mercado de frete Marítimo em 2014. A empresa tem como objetivo superar o mercado em todos os segmentos.

O Grupo Panalpina é um dos líderes mundiais em soluções para a cadeia de suprimentos, combinando fretes Aéreo e Marítimo Intercontinentais, com Serviços de Valor Agregado em Logística (Value Added Services). Graças ao seu profundo conhecimento industrial e sistemas customizados de TI, a Panalpina oferece soluções integradas de ponta a ponta, de acordo com as necessidades da cadeia de suprimentos de seus clientes. O grupo Panalpina opera uma rede global com aproximadamente 500 escritórios próprios em mais de 70 países. Em outros 90 países, trabalha em cooperação com empresas parceiras. A Panalpina emprega aproximadamente 16.000 pessoas em todo o mundo.

No Brasil, a Panalpina possui 37 anos de história, com atuação em todo território nacional. Localizada em São Paulo, desde 1977, a empresa possui, atualmente, 14 escritórios próprios.

Enviar Imprimir


© Copyright 2006 - 2020 Fator Brasil. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Tribeira

 Consulta inválida: