Página Inicial
PORTAL MÍDIA KIT RSS BLOGS BOLETIM TV FATOR BRASIL LINKS
Busca: OK
CANAIS

28/07/2012 - 08:11

Comgás: aumento dos custos e valorização do dólar faz lucro e margens caírem

Apesar de apresentar receitas maiores.

Destaques para o lucro líquido da Comgás no 1S12 31,3% menor que o apresentado no mesmo período de 2011. Já na comparação T/T, a queda foi de 60,2%, chegando a R$ 36,7 milhões trimestre também foi abaixo do registrado anteriormente, atingindo R$ 168,8 milhões (-23,7% T/T). As margens bruta, 5,1 p.p. e 3,7 p.p., respectivamente, no 1S12 em relação ao reajustes de preço realizados em dezembro de 2011 e em maio de 2012, o da companhia foi impactado, principalmente, pelo aumento dos custos serviços vendidos (+42,9% T/T), causado pelo aumento do custo do gás importado e pela valorização do dólar, comentário de analistas do BB Investimentos.

Segmentos -O segmento residencial continua como foco estratégico da companhia que, com um consumo de 3,6% do gás distribuído, margem de contribuição total. O segmento apresentou crescimento venda de gás e de 8,3% no número de medidores na comparação segmento industrial, o maior em termos de volume comercializado, diminuição no consumo (-3,8% T/T), fato justificado brasileira ainda em recuperação.

Endividamento. -Se compararmos o final de 2011 com o 2T12, a dívida líquida da empresa aumentou 13,2%, sendo que o endividamento de curto praz duplicou (+90,8%) e o de longo prazo caiu 7%. A pela relação dívida líquida/Ebitda aumentou, passando de 2,6x para 3,0x. Investimentos. No último semestre, a companhia investiu cerca de R$ 268 milhões, sendo que 70% desse volume foi aplicado na expansão d O objetivo é aumentar a capilaridade, atingir regiões ainda não atendidas e crescer através de projetos integrados como o das cidades de Guarulhos, Mogi da e Taubaté.

Reajuste tarifário -Em 31 de maio de 2012, a Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo (Arsesp) autorizou o reajuste tarifário anual, considerando a elevação do custo do gás natural, principalmente o importado, que foi influenciado pelo dólar valorizado e pelo maior custo médio do barril do petróleo. Os reajustes nas tarifas para o segmento residencial variaram de 3,16% a 12,61%. Já para as indústrias, os reajustes foram entre 11,38% e 16,61%, volume consumido. O reajuste nas tarifas impactou companhia, que viu suas receitas aumentarem.

Perspectivas -Os altos custos do gás, tanto nacional como o importado, afetaram negativamente o resultado da Comgás. “Acreditamos que os preços internacionais do petróleo, que afetam o preço do gás e por consequência o resultado da companhia, permanecerão instáveis nos próximos meses. Durante o mês de julho, o Banco Central anunciou queda na projeção do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro para 2012, que pode causar impacto na demanda de gás e nos resultados da Comgás, na nossa opinião, esse impacto pode ser parcialmente compensado pelo período de alta sazonalidade, que ocorre entre os meses de abril e novembro. A expansão da da rede no segmento residencial também permitirá o avanço da companhia, contribuindo para melhores resultados. Por esses motivos, mantemos nosso preço alvo de R$ 60,00 para o CGAS5 até dezembro de 2012”, conclui o comentário dos analistas do BB Investimentos.

Enviar Imprimir
© Copyright 2006 - 2014 Fator Brasil. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Tribeira