Página Inicial
PORTAL MÍDIA KIT RSS BOLETIM TV FATOR BRASIL LINKS PageRank
Busca: OK
CANAIS

18/05/2012 - 07:55

Dia Mundial de Alerta para Doenças Inflamatórias Intestinais

Especialista da Mayo Clinic esclarece dúvidas sobre Chron e colite ulcerativa, doenças que atingem mais de cinco milhões de pessoas em todo o mundo .

19 de maio é o Dia Mundial de Alerta para Doenças Inflamatórias Intestinais (DII), criado em reconhecimento à necessidade de apoio às pessoas que vivem com Doença de Crohn e Colite Ulcerativa, duas das mais frequentes DIIs. Existem mais de cinco milhões de pessoas no mundo que vivem com alguma DII. Não há cura, nem causa conhecida e é limitada a compreensão sobre a dor e o sofrimento crônico que os pacientes vivenciam todos os dias de suas vidas. Este é o segundo ano consecutivo em que o Dia Mundial de Alerta para as DIIs acontece.

Entrevista e Dr. Michael Picco, gastroenterologista e especialista em DII da Clínica Mayo, campus de Jacksonville, Flórida: “Há sempre uma razão para sermos otimistas em relação ao futuro.

As doenças de Crohn e Colite Ulcerativa têm sintomas que podem confundir os pacientes sobre suas reais condições?

Sim, os sintomas destas doenças são bastante semelhantes. Outras doenças como infecções intestinais e outras formas de colite também podem apresentar sintomas de diarreia e dor abdominal. Na doença de Crohn e na colite ulcerativa, os sintomas geralmente se prolongam por mais tempo e podem vir acompanhados por outros sinais.

Não existe nenhum exame que possa distinguir a colite ulcerativa da doença de Crohn. Apesar de disponíveis, determinados exames de sangue não são precisos. O diagnóstico é feito pela combinação de resultados de exames radiográficos, endoscopia e biopsia.

. Quais são os principais sinais que levam as pessoas a suspeitarem de que são portadores de uma doença inflamatória intestinal? -Diarreia e dor abdominal persistentes que podem vir acompanhadas por perda de peso. A dor pode ser resultado da inflamação ou obstrução intestinal. Os sintomas geralmente duram mais de um mês e podem ser agudos. Podem vir acompanhados por feridas na boca, inchaço e dor nas juntas ou problemas nos olhos, como inflamação da superfície externa do olho (episclerite) ou parte interna dos olhos (irite). Alguns pacientes com Doença de Crohn podem desenvolver fistulas. A fístula é uma espécie de túnel que aparece na pele, ou em alguma parte interna, por onde podem drenar fluidos intestinais ou pus. Um local comum em que a fistula acontece é ao redor do ânus (fístula perianal). Outros pacientes podem desenvolver uma obstrução no intestino causando dor, náusea e vômitos. Este quadro pode resultar em hospitalização e cirurgia. Também pode ocorrer desnutrição; e as crianças podem apresentar problemas de crescimento.

.A causa da DII é desconhecida. A Clínica Mayo tem algum estudo em andamento que pode ajudar os pacientes a compreenderem melhor a doença? . Estamos analisando diferentes aspectos destas doenças a partir de estudos sobre novas medicações, melhores formas de detectar complicações e riscos das doenças em vários grupos de pessoas. Temos um grande volume de informações disponíveis em nosso Web site (www.mayoclinic.org).

.Existem novas informações sobre os fatores genéticos para o surgimento da doença? -Sim, os principais avanços têm ocorrido em relação à doença de Crohn, em que certos marcadores genéticos foram identificados e podem ser encontrados em determinados pacientes com a doença de Crohn. Com base em estudos clínicos e genéticos, estamos verificando que a doença de Crohn é uma doença heterogênea. Os pacientes podem apresentar diferenças quanto à parte do intestino que é afetada, como também diferenças no curso da doença. Alguns pacientes têm a doença confinada somente ao intestino delgado; outros têm a doença envolvendo a parte mais baixa do intestino delgado (íleo) e o cólon, enquanto alguns pacientes têm a doença restrita somente ao cólon. Alguns pacientes têm a doença no revestimento do intestino, enquanto em outros pacientes, a doença pode avançar pelas paredes do intestino levando às fistulas ou gerando estreitamento. Esta condição leva a diferentes sinais e sintomas. Os marcadores genéticos têm sido associados a determinadas formas de progressão da doença, mas no momento são apenas objeto de pesquisa. A exata compreensão desses testes ainda não é clara, uma vez que os pacientes com doença inflamatória intestinal não têm a presença de um marcador genético identificado. Mais marcadores genéticos estão em pesquisa. Esta é uma área de bastante interesse para estudos.

.Os medicamentos que tratam outras doenças autoimunes podem ser usados para tratar DII? E, em caso positivo, quais os resultados? -A DII e outras doenças autoimunes resultam de uma super ativação do sistema imunológico. Medicamentos corticosteroides são eficazes em tratamentos de curto prazo para ambos os distúrbios, para tratar a doença em fase ativa, mas não são eficazes para tratamentos de longo prazo e apresentam importantes efeitos adversos. Existem duas outras classes de medicações usadas em ambas doenças. A primeira é a classe dos imunomoduladores como azatioprina, 6-mercaptopurina (6 MP) e metotrexato (MTX). Estes medicamentos suprimem a inflamação e são agentes eficazes para o tratamento de DII. Estudos clínicos têm demonstrado que a azatioprina, o 6 MP e o MTX têm eficácia comprovada no tratamento de Crohn; a azatioprina e a 6 MP são também eficazes em colite ulcerativa. A outra classe de medicamentos para ambas as doenças é a classe dos agentes biológicos que atuam diretamente contra o fator de necrose tumoral (TNF), que é um processo químico produzido pelas células do sistema imunológico que leva à inflamação do intestino. Estes agentes (infliximabe, adalimumabe e certiluzimabe) bloqueiam a TNF e tem se mostrado eficazes na doença de Crohn em vários estudos clínicos, sendo que o infliximabe e o adalimumabe também têm se mostrado eficazes também no tratamento de colite ulcerativa.

.Existe algum novo tratamento em estudos? -Sempre existem novos estudos sobre novos tratamentos para essas doenças. Estes estudos geralmente se concentram na supressão da inflamação, pelo bloqueio dos processos químicos que levam à inflamação, pelo bloqueio das células inflamatórias ou da migração dessas células para o local da inflamação.

. Recomendações da Clínica Mayo para os pacientes? -É muito importante buscar tratamento com um médico que tenha conhecimento e experiência em tratar pacientes com doença de Crohn e colite ulcerativa. É também importante estabelecer um bom relacionamento com este médico, para que o paciente se sinta confortável em fazer perguntas e participar de seu próprio tratamento. Cada uma das medicações usadas tem seus próprios riscos e benefícios e uma conversa aberta sobre o plano de tratamento é fundamental.

.Existe alguma diferença entre homens e mulheres na forma que a doença se manifesta? -Existem questões referentes à fertilidade e aos medicamentos que podem surgir no tratamento de mulheres com doenças inflamatórias intestinais. Enquanto algumas mulheres com DII apresentam gestações sem ocorrências especiais, existem questões importantes a serem discutidas antes da concepção, como o risco para a mãe e para o bebê com os surtos de atividade da doença, medicamentos e cirurgia. Os riscos provocados pelos medicamentos durante a gravidez devem ser analisados em relação aos riscos da ocorrência dos surtos da doença que podem levar a aborto, parto prematuro e outras ocorrências adversas. A cirurgia pode influenciar a fertilidade especialmente em mulheres que tenham a completa remoção do cólon e necessitem de colocação de uma bolsa coletora. O gastroenterologista e um obstetra especialista em partos de alto risco devem trabalhar em conjunto no tratamento de pacientes gravidas com DII.

.Algum comentário final sobre a DII? -O tratamento de pacientes com DII deve concentrar-se na pessoa como um todo. A DII é uma doença crônica. Podem surgir problemas fora do intestino que são importantes e que podem ser resultado da doença ou de sua medicação. É fundamental adotar cuidados preventivos, dando atenção especial a questões como risco de câncer de cólon em pacientes com colite, saúde óssea e administração adequada de certas vacinas para diminuir o risco de infecções. Nossa compreensão de DII e seu tratamento estão constante avanço. Há sempre uma razão para sermos otimistas em relação ao futuro.

Para mais informações sobre tratamento de doenças inflamatórias intestinais na Clínica Mayo de Jacksonville, Flórida, contate o departamento de Serviços Internacionais pelo telefone 1-904-953-7000 ou envie um e-mail para [email protected]

Perfil - A Clínica Mayo é o primeiro e maior centro de medicina integrada do mundo. Médicos de todas as especialidades trabalham juntos no atendimento aos pacientes, unidos por um sistema e por uma filosofia comum, de que “as necessidades dos pacientes vêm em primeiro lugar”. Mais de 3.700 médicos, cientistas e pesquisadores, além de 50.100 profissionais de saúde de apoio, trabalham na Clínica Mayo em Rochester (Minnesota), Jacksonville (Flórida) e Phoenix/Scottsdale (Arizona). Juntas, as três unidades tratam mais de meio milhão de pessoas por ano. [www.mayoclinic.or] |. Por: Equipe SPMJ

Enviar Imprimir
© Copyright 2006 - 2014 Fator Brasil. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Tribeira