Página Inicial
PORTAL MÍDIA KIT BOLETIM TV FATOR BRASIL PageRank
Busca: OK
CANAIS

28/12/2011 - 06:49

Previdência privada aberta arrecada R$ 41,4 bilhões, entre janeiro e outubro

Com crescimento de 19,66% frente a 2010.

Arrecadação dos planos empresariais é destaque e avança 23,08% no acumulado dos 10 primiero meses do ano. Necessidade de atração e retenção de mão de obra qualificada é um dos principais fatores que explica o crescimento dessa modalidade de previdência no período

A indústria de previdência privada aberta registrou arrecadação de R$ 41,4 bilhões entre janeiro e outurbo de 2011. O volume é 19,66% maior que o verificado em igual intervalo do ano anterior, informa a a Fenaprevi (Federação nacionla de Previdência Privada e Vida), entidade que reúne 64 seguradoras e 15 entidades abertas de previdência complementar no país

Os planos empresariais foram o destaque da expansão relativa no ano até outubro. No acumulado de janeiro a outubro de 2011, a arrecadação dos planos empresariais somou R$ 5,2 bilhões, registrando crecimento de 23,08% na comparação com o mesmo período do ano anterior.

Segundo Marco Antonio Rossi, presidente da Fenaprevi (Federação Nacional de Previdência Privada e Vida), a maior concorrência entre as empresas por mão de obra qualificada e pela retenção de talentos impulsionou os planos empresariais. “Os planos de previdência são um benefício importante para atração e retenção de funcionários”, explica o executivo.

Na avaliação por tipo de plano, o VGBL respondeu por 48,4% dos planos empresariais, no período, o PGBL por 40,7% e os planos tradicionais por 10,8%.

Na avaliação por tipo de produtos, os planos para menores e os individuais também tiveram crescimento expressivo no acumulado. Os planos para menores arrecadaram R$ 1,4 bilhão (alta de 22,39%) e os planos individuais receberam aportes de R$ 34,8 bilhões, expansão de 19,06%.

Ranking – Resultado acumulado de jan/out 2011-Entre as instituições, a Bradesco Vida e Previdência liderou o ranking de arrecadação no período com 31,66% do total arrecadado; BrasilPrev (22,77%); Itaú Vida e Previdência (22,59%); Caixa Vida & Previdência (7,62%); Santander Seguros (5,65%); HSBC Vida e Prev. (4,06%); Icatu Seguros (0,84%); Sul América Seg e Prev. (0,81%); Safra Vida e Prev. (0,76%); Porto Seguro Vida e Previdência S/A (0,57%). As demais entidades somam, no total, 2,69% da arrecadação.

VGBL e PGBL – Acumulado jan/out 2011-Na análise por tipo de plano, o VGBL, indicado principalmente para quem não declara imposto de renda pessoa física pelo modelo completo de declaração anual de ajustes, foi o produto com maior volume de arrecadação. A modalidade cresceu 22,49%, em relação ao mesmo período do ano anterior, e o volume de aportes totalizou R$ 33,8 bilhões. Já o PGBL, voltado para quem utiliza o modelo completo da declaração anual de ajustes do imposto de renda pessoa física, arrecadou R$ 4,9 bilhões, representando crescimento de 13,27% na comparação com o mesmo período do ano anterior. Os planos tradicionais totalizaram aportes de R$ 2,6 bilhões, apresentando leve alta de 0,94%.

Carteira de Investimentos-Com o desempenho da previdência complementar aberta no acumulado, a carteira de investimentos do sistema (conjunto de ativos oferecido em garantia das obrigações assumidas com os clientes) alcançou o patamar de R$ 260,3 bilhões, em outubro/2011, volume 22,20% maior que os R$ 213 bilhões registrados no mesmo mês do ano passado. De acordo com o balanço da FenaPrevi, a carteira de investimentos do VGBL obteve alta de 29,17%, passando de R$ 116,7 bilhões para R$ 150,7 bilhões. Já a carteira do PGBL cresceu 16,19% no período, tendo em vista ter passado de R$ 54,3 bilhões para R$ 63,1 bilhões. Por fim, a carteira de investimentos dos planos tradicionais passou de R$ 41,4 bilhões para R$ 45,8 bilhões, alta de 10,74%.

Provisões: as provisões – recursos acumulados pelos titulares dos planos do sistema de previdência complementar aberta – apresentaram saldo de R$ 251,1 bilhões e alta de 22,58% no período. No mesmo período do ano anterior, as provisões totalizaram R$ 204,9 bilhões. As provisões do VGBL tiveram o crescimento mais expressivo, no período, entre os planos de maior representatividade, 29,19%, passando de R$ 117 bilhões para R$ 151,2 bilhões.

As provisões dos planos PGBL cresceram 16,01%, no período, passando de R$ 54 bilhões para R$ 62,6 bilhões. As reservas de planos tradicionais, por sua vez, passaram de R$ 33,2 bilhões para R$ 36,8 bilhões, no período, alta de 10,77%.

Com relação a market share, os planos VGBL mantiveram a liderança no volume de provisões entre os planos de caráter previdenciário, com 60,21% do total, seguidos pelos PGBL, com 24,96% do volume total de provisões, enquanto os planos tradicionais contaram com 14,68% do volume total de provisões. Outros produtos – incluindo os FAPI - completam a equação, com 0,14%.

Resultado Mensal – Outubro 2011 : na análise mensal, o total de aportes em previdência complementar aberta foi de R$ 4,1 bilhões, 12,03% maior que o verificado no mesmo mês do ano passado. Em outubro de 2011, os planos para menores cresceram 38,87%, com R$ 186,6 milhões em aportes. Os planos individuais registraram R$ 3,4 bilhões, 8,81% superior a outubro do ano passado, e planos empresariais, por sua vez, arrecadaram R$ 502,7 milhões, representando expansão de 29,05%. [www.viverseguro.org.br].

Enviar Imprimir


© Copyright 2006 - 2021 Fator Brasil. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Tribeira