Página Inicial
PORTAL MÍDIA KIT BOLETIM TV FATOR BRASIL PageRank
Busca: OK
CANAIS

28/08/2007 - 08:00

Plano de negócios da Petrobras prevê investimentos US$ 40,52 bilhões no Estado do Rio de Janeiro


O presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli de Azevedo, apresentou dia 27, no Teatro Sesi, Rio de Janeiro, o Planejamento Estratégico 2020 e o Plano de Negócios 2008 - 2012, para membros da Federal das Indústrias do Rio de Janeiro - Firjan, do Instituo Brasileiro do Petróleo - IBP e da Organização Nacional da Indústria do Petróleo - ONIP.

Do total de US$ 112,4 bilhões de investimentos previstos no Plano de Negócios da Petrobras para o período 2008 - 2012, US$ 40,52 bilhões (36%) serão destinados a projetos no estado do Rio de Janeiro, entre os quais se destacam o Comperj (Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro), o Terminal de GNL (gás natural liquefeito) da Baia de Guanabara, projetos do Plangás, obras na Reduc e o desenvolvimento dos campos de Roncador, Marlim, Marlim Sul, Marlim Leste e Papa-Terra, na Bacia de Campos. Os investimentos terão conteúdo nacional de 65%.

O Plano mantém as metas agressivas de crescimento da Companhia e reforça os desafios nos mercados de gás natural e biocombustíveis. Do total de investimentos previsto no plano, 87% serão aplicados em projetos no Brasil e 13% no exterior. A produção total de petróleo e gás natural (Brasil e exterior) em barris equivalentes por dia será de 3.494.000, em 2012, e 4.153.000 em 2015.

O Planejamento Estratégico 2020, que estabelece a missão, a visão, as estratégias e objetivos corporativos da companhia para o futuro, ampliou a visão da Petrobras de uma empresa líder na América Latina para uma das cinco maiores empresas integradas de energia do mundo. O Plano mantém a estratégia de expandir a atuação nos mercados de petróleo, derivados, petroquímico, gás, energia, biocombustíveis e distribuição com rentabilidade, responsabilidade social e ambiental e crescimento integrado.

No Brasil, o Plano de Negócios 2008-2012 estabelece as metas de produção de petróleo e gás natural de 3.058.000 barris de óleo equivalente por dia (boed) em 2012 e 3.455.000 boed em 2015. No refino será mantido o equilíbrio entre o crescimento da produção e a capacidade das refinarias no País. A carga processada nas refinarias da empresa no Brasil em 2012 será de 2.061.000 barris por dia (bpd), com 90% de participação do petróleo nacional.

As metas internacionais também refletem o crescimento integrado da Companhia com estimativas de produção de 436.000 boed de óleo e gás em 2012 e processamento de 348.000 bpd nas refinarias no exterior.

O Plano destaca também a atuação com excelência operacional, em gestão, recursos humanos e tecnologia de acordo com as seguintes estratégias:

. Exploração e Produção: crescer produção e reservas de petróleo e gás, de forma sustentável, e ser reconhecida pela excelência na atuação em E&P;

. Downstream e distribuição: expandir, no Brasil e exterior, a atuação integrada em refino, comercialização, logística e distribuição com foco na Bacia do Atlântico;

. Petroquímica: ampliar a atuação em petroquímica no Brasil e na América do Sul , de forma integrada com os demais negócios do Sistema Petrobras;

. Gás e Energia: desenvolver e liderar o mercado brasileiro de gás natural e atuar de forma integrada nos mercados de gás e energia elétrica com foco na América do Sul;

. Biocombustíveis: atuar, globalmente, na comercialização e logística de biocombustíveis, liderando a produção nacional de biodiesel e ampliando a participação no negócio de etanol. O novo Plano apresenta novos desafios de gestão, que incluem:

. Disciplina de Capital: Busca de maior eficiência na implantação de projetos (prazos e custos); Gestão de Estoques; Redução de Custos Operacionais e Administrativos e Gestão de Portfólio;

. Recursos Humanos: ser referência internacional, no segmento de energia, em gestão de pessoas, tendo seus empregados como seu maior valor;

. Responsabilidade Social: ser referência internacional em responsabilidade social na gestão dos negócios, contribuindo para o desenvolvimento sustentável;

. Mudança Climática: atingir patamares de excelência, na indústria de energia, quanto à redução da intensidade de emissões de gases de efeito estufa nos processos e produtos, contribuindo para a sustentabilidade do negócio e para a mitigação da mudança climática global;

. Tecnologia: ser referência mundial em tecnologias que contribuam para o crescimento sustentável da Companhia nas indústrias de petróleo, de gás natural, petroquímica e de biocombustíveis.

A estimativa de produção total da Petrobras (Brasil e exterior) para 2012 foi revisada para 3.494.000 barris diários e a meta para 2015 fixada em 4.153.000 boed.

A integração se estende também à petroquímica, onde a Companhia prevê a ampliação da atuação no Brasil e na América Latina, capturando sinergias com os demais negócios do Sistema Petrobras.

Metas Corporativas - O plano prevê investimentos de US$ 112,4 bilhões, até 2012, representando uma média de US$ 22,5 bilhões por ano, sendo 87% (US$ 97,4 bilhões) no Brasil e 13% (US$ 15,0 bilhões) no exterior. Este montante representa um aumento de 29% em relação ao Plano anterior.

Dos investimentos no Brasil, destaca-se o crescimento nos segmentos de Exploração e Produção (aumento de 32%), Downstream (aumento de 35%) e Petroquímica (aumento de 30%), além da ênfase nos biocombustíveis que receberão US$ 1,5 bilhão.

Na atividade internacional, os investimentos serão aplicados principalmente na área de Exploração e Produção, com foco na América Latina, Oeste da África e Golfo do México.

O crescimento dos investimentos deve-se a: US$ 13,3 bilhões referentes a novos projetos, US$ 10,9 bilhões referentes a aumento de custos devido ao aquecimento do mercado de equipamentos e serviços do setor, US$ 4,2 bilhões em razão da valorização cambial e o restante referente a outros fatores tais como mudança no escopo dos projetos, no modelo de negócio, etc.

Investimentos (US$ bilhões) - No Plano 2007-2011 contemplava os investimentos em biocombustíveis.

Nos investimentos acima estão incluídos US$ 18,2 bilhões a serem aplicados, pelas diferentes áreas, na cadeia brasileira de gás natural, visando desenvolver, liderar e garantir o suprimento confiável de gás natural ao mercado brasileiro. Os parceiros da Petrobras no setor deverão investir US$ 1,0 bilhão adicional no mesmo período.

A revisão do plano incorpora, de forma realista, os aumentos do preço do petróleo no mercado internacional. Este aumento gerou reflexos em toda a cadeia produtiva, principalmente no que concerne aos custos de serviços, manutenção, equipamentos e operações especializadas do setor petrolífero, com impactos nos custos de extração e de refino de todas as empresas do setor. O aquecimento da economia mundial também teve reflexo direto em diversos segmentos industriais que compõem a cadeia de fornecedores de insumos e materiais básicos para a indústria.

Sem participação governamental - A Companhia está mantendo, em seu Plano de Negócios 2008-2012, uma política de preços alinhada ao mercado internacional. A Petrobras estima obter uma geração própria de caixa de US$ 104,4 bilhões no período (líquido do pagamento de dividendos), recurso suficiente para cobrir 93% do Plano de Investimentos. As captações no mercado financeiro serão de US$ 19,4 bilhões e a amortização das dívidas de US$ 11,4 bilhões.

Financiabilidade do plano de investimentos (US$ bilhões) - A Petrobras continuará com sua política de alongamento do prazo da dívida e redução da alavancagem de forma que, apesar do aumento dos investimentos, o índice de alavancagem financeira média será inferior ao do plano anterior.

Indicadores de retorno e alavancagem financeira - Algumas premissas quantitativas relacionadas ao crescimento da economia mundial, à taxa de câmbio e aos preços e margens do petróleo e derivados, foram reavaliados para estarem alinhados ao cenário econômico atual.

Premissas macroeconômicas: PPP - Paridade do poder de compra - Com relação aos biocombustíveis, a companhia visa tornar-se uma empresa global na comercialização e logística de biocombustíveis, liderando a produção nacional de biodiesel e ampliando a participação no negócio de etanol. Em linha com esta estratégia, o H-BIO representa uma alavanca para o crescimento deste mercado.

Metas Corporativas de Segurança, Meio-Ambente e Saúde - A Petrobras está comprometida com o desenvolvimento sustentável baseado na rentabilidade, crescimento integrado e responsabilidade social e ambiental.

Enviar Imprimir


© Copyright 2006 - 2021 Fator Brasil. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Tribeira