Página Inicial
PORTAL MÍDIA KIT RSS BLOGS BOLETIM TV FATOR BRASIL LINKS
Busca: OK
CANAIS

12/11/2010 - 09:37

Sérgio Buarque de Holanda é o nome do terceiro navio do Promef com entrega no Estaleiro Mauá


A embarcação para transporte de produtos derivados claros de petróleo é mais um navio construído no estado do Rio de Janeiro, maior e mais tradicional polo naval brasileiro, cujas encomendas do Promef chega hoje aos R$ 2,2 bilhões em investimentos, com criação de cerca de 50 mil empregos no Estado. O evento terá presença do presidente Lula.

O terceiro navio do Programa de Modernização e Expansão da Frota da Transpetro (Promef) será lançado ao mar no próximo dia 19 de novembro (sexta-feira), no Estaleiro Mauá, em Niterói (RJ), com a presença do presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva. Trata-se de uma embarcação para transporte de produtos derivados claros de petróleo, com capacidade para 48,3 mil toneladas de porte bruto e 183 metros de comprimento, equivalente a dois campos de futebol. O navio será batizado Sérgio Buarque de Holanda, em homenagem ao historiador, jornalista e crítico literário, autor do clássico “Raízes do Brasil”.

A solenidade segue o cronograma de lançamentos previstos para este ano, que se iniciou no último dia 7 de maio, no Estaleiro Atlântico Sul (PE), com o Suezmax João Cândido, e no próprio Estaleiro Mauá, no dia 24 de junho, com o navio de produtos Celso Furtado. O estado do Rio de Janeiro, maior e mais tradicional polo naval do país, já conta com 16 navios encomendados pelo Promef, com R$ 2,2 bilhões em investimentos. O programa vai criar pelo menos 50 mil empregos no Estado, sendo 10 mil diretos e 40 mil indiretos.

Graças ao Promef, um dos principais projetos estruturantes do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), os estaleiros nacionais se modernizaram e novas unidades de produção, como o Atlântico Sul, surgiram no país. Após 13 anos sem lançar um único navio de grande porte, o ano de 2010 marca o renascimento do setor, com demanda crescente e novos investimentos.

Depois de ser a segunda maior fabricante mundial nos anos 1970, a indústria naval brasileira foi praticamente extinta nos anos 1990, até ressurgir nesta década. Hoje, com o Promef, o Brasil já possui a quarta maior carteira de navios petroleiros do mundo.

O programa de construção naval da Transpetro já gerou mais de 15 mil empregos diretos. Este número chegará a 40 mil. Em suas duas primeiras fases, o programa prevê a construção de 49 navios no Brasil, dos quais 46 já foram contratados, com investimento de US$ 4,8 bilhões.

Enviar Imprimir
© Copyright 2006 - 2014 Fator Brasil. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Tribeira