Página Inicial
PORTAL MÍDIA KIT RSS BOLETIM TV FATOR BRASIL LINKS PageRank
Busca: OK
CANAIS

27/03/2010 - 08:02

Indústria Naval brasileira em exposição


Instalações do estaleiro Mauá, Niterói, maio de 1962

Maquetes de embarcações pioneiras de estaleiros, vídeos e painéis sobre a história naval e offshore do Brasil e, em especial, de Niterói. Essas são algumas das atrações da I Exposição da Indústria Naval e Offshore que será inaugurada no dia 6 de abril (terça-feira), às 14h, na Estação Hidroviária de Charitas, Niterói. O evento, que poderá ser conferido até 1º de maio, contará com a participação de cerca de 20 estaleiros, das Barcas S.A, da Transpetro e do projeto Grael.

As Barcas S.A vão expor embarcações do tipo “Barca Ferry”, de 1862. Para a época, elas representaram bastante inovação, pois possuíam duas proas e não precisavam manobrar no atracadouro, reduzindo o tempo de viagem. Além disso, eram mais rápidas, confortáveis e seguras. A “Barca Ferry” tinha capacidade para carregar até 300 passageiros e era movida por uma roda lateral. O projeto Grael também marca presença no evento. No dia da abertura, as aulas do projeto, que acontecem nas proximidades Clube Naval, vão poder ser observadas pelos visitantes da exposição. Já no dia do encerramento da exposição, 1º de maio, a tripulação do projeto vai ministrar uma aula de vela prática e gratuita aos interessados na enseada de São Francisco.

A indústria naval brasileira em resumo - A história da indústria naval brasileira tem em Irineu Evangelhista de Souza, o Barão de Mauá, um dos seus personagens principais. Foi ele quem fundou na Ponta d´Areia, em Niterói, em 1847, o primeiro estaleiro do país, que chegou a lançar 72 navios. De lá para cá, essa indústria só cresceu, chegando em 1974 a atingir o segundo lugar em escala mundial. O aquecimento do mercado offshore começou a exigir barcos e supernaus, plataformas e navios gigantes para escoar petróleo e gás.

Hoje, a amplitude e a velocidade da indústria em curso podem ser observadas por projetos como o Prominp – Programa de Mobilização da Indústria de Petróleo; o Promef – Programa de Modernização e Expansão da Frota da TRANSPETRO - que prevê a construção de 46 navios. O programa da Petrobras para construção de 146 embarcações de apoio, 40 navios-sonda e plataformas de perfuração, 23 petroleiros, FPSOs, plataformas fixas e semi-submersíveis, afretamentos de 21 petroleiros e o retorno da Vale à navegação são fatos que refletem a demanda offshore.

Há ainda os novos estaleiros instalando-se, ampliando-se, fundindo-se e inovando tecnologias, como acontece com o Aliança, o STX Brazil Offshore, o Navalship e o São Miguel. Na área dos melhoramentos, o Eisa e o Mauá, com destaque para a implantação do Atlântico Sul – o maior do Hemisfério Sul - para navios mercantes, e o Galvão-Alusa em Pernambuco; o Bahia e o Paraguaçu, na Bahia, fecham o círculo pioneiro aberto com Thomé de Souza há meio milênio.

.[I Exposição da Indústria Naval e Offshore, de de 6 de abril a 1º de maio, no horário de funcionamento da estação, de segunda a sexta, das 6h30 às 20h30, na Estação Hidroviária de Charitas, Avenida Quintino Bocaiúva, s/nº) .Finais de semana: o público poderá conferir as maquetes expostas na área externa da estação]. A exposição será realizada pela Prefeitura de Niterói e o Sinaval.

Enviar Imprimir
© Copyright 2006 - 2014 Fator Brasil. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Tribeira