IMPRIMIR

22/06/2018 - 07:44

Dor pélvica na relação sexual, como tratar?


Aumenta número de mulheres se queixando do problema

A má qualidade da vida sexual feminina nem sempre decorre de aspectos psicológicos, pois pode estar associada a fatores eminentemente físicos como as dores pélvicas durante as relações. O problema muitas vezes tem origem ginecológica, abrangendo miomas e cistos nos ovários; infecção pélvica ou endometriose. Mas pode também ser de fundo urinário, renal, intestinal ou até mesmo ortopédico, em função de uma hérnia de disco, por exemplo.

Segundo o ginecologista Alexandre Guilherme Rossi, o diagnóstico quase sempre é trabalhoso, por requerer a exclusão progressiva de várias possíveis causas. “Precisamos fazer uma ampla investigação, muitas vezes envolvendo mais de uma especialidade”, afirma o médico. Por isso, a conduta recomendada por ele é procurar inicialmente o ginecologista para confirmar ou não a existência de anomalias nesse campo específico e também de ordem urinária.

Igualmente justifica o tratamento multidisciplinar de boa parte desses casos o fato de uma dor em determinada região do corpo poder ser reflexo de outra, e nem sempre tão próxima, circunstância que deve gerar o encaminhamento da paciente para a devida área médica.

Embora os avanços da medicina sejam o principal motivo da relativa facilidade com que esse assunto já é resolvido hoje em dia, o Dr. Rossi considera a mudança cultural da mulher igualmente importante nesse cenário, “pois ao invés de omitir suas dificuldades e fazer do tema um tabu, ela o aborda no consultório com frequência cada vez maior”, observa.

. Por: Alexandre Guilherme Rossi, Especialista em Ginecologia e Obstetrícia; Mestre em Ginecologia pela Universidade Federal de São Paulo - Escola Paulista de Medicina (Unifesp-EPM), Doutor em Ginecologia pela Unifesp-EPM e Diretor da Clínica Rossi.

Copyright 2006 Fator Brasil. Todos os direitos reservados.