IMPRIMIR

02/03/2010 - 11:25

Nova sede do governo de Minas inova em sustentabilidade


A Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves, nova sede do Governo de Minas, será a única no Brasil com características de sustentabilidade. Prédios tradicionais como o Palácio da Liberdade em Belo Horizonte, o Palácio dos Bandeirantes em São Paulo, o Palácio das Princesas em Recife e até mesmo o Palácio do Planalto em Brasília foram construídos em outro tempo, quando não existiam as alternativas atuais. Todos os edifícios da nova sede possuem sistemas inteligentes para economizar recursos naturais.

Energia elétrica – Para evitar o desperdício, são usados sensores fotossensíveis, que controlam o acendimento de luzes de acordo com a presença de pessoas no ambiente. Os 60 elevadores dos prédios onde ficam as secretarias são controlados por uma central automatizada que racionaliza o uso de acordo com a demanda. Os “elevadores inteligentes” são usados em todo o complexo: o usuário indica o andar ainda fora do veículo, cabendo ao sistema determinar qual elevador irá ao andar desejado. O mecanismo otimiza o uso, reduz o número de viagens e contribui para a organização e diminuição de filas.

Ar condicionado - Alimentado por uma central de água gelada, o sistema de ar condicionado da Cidade Administrativa tem capacidade de gerar aproximadamente oito mil toneladas de ar refrigerado por hora. O palácio tem central própria e a Central de Água Gelada serve como backup (apoio) da edificação. O ar-condicionado é controlado por um sistema central que evita que ambientes desocupados sejam refrigerados ou recebam iluminação desnecessariamente.

Além disso, a fachada dos prédios é revestida com vidro de máximo desempenho, que propicia a redução de gastos com refrigeração, já que 70% da passagem de calor são bloqueados pelo material.

Água - O sistema de esgoto sanitário a vácuo possibilita a redução de 85% do consumo de água em relação à descarga convencional e elimina o desperdício de 55 mil litros por dia. Para se ter uma ideia, uma pessoa gasta em torno de 200 litros de água diariamente. A rede de esgoto, que parte da Estação de Tratamento (ETE Onça) foi estendida até a Cidade Administrativa, o que permitirá a despoluição do Córrego Floresta, que fica nas imediações da CA.

Além disso, haverá coleta de água de chuva para irrigar os jardins. Direcionadas por meio de drenos, a água das chuvas vai alimentar as duas lagoas existentes na sede do governo, as nascentes e os lençóis freáticos. As lagoas funcionarão como reservatórios naturais.

Preservação da área verde - Será criado o Parque Estadual Serra Verde, o segundo maior da cidade, localizado em uma área rica em nascentes, animais e espécies vegetais. O parque que será gerido pelo Instituto Estadual de Florestas (IEF), está em uma das regiões da sub-bacia do Rio das Velhas e abriga diversas nascentes de água doce, fundamentais para o abastecimento do território. Entre as melhorias feitas no espaço, destacam-se a recuperação das nascentes, a despoluição do rio e a recomposição da área destinada ao motocross, anteriormente degradada e com focos de erosão. Móveis - Os móveis licitados contêm itens em MDP (medium density particleboard) e MDF (medium density fiberboard), todos oriundo de madeiras certificadas de reflorestamento com selo FSC (Forest Stewardship Council), certificação suportada no Brasil, pelo Conselho Brasileiro de Manejo Florestal – FSC Brasil.

Estima-se que para a produção dos itens mobiliários licitados, mais de 1450 árvores foram poupadas com a utilização de madeiras certificadas de reflorestamento com selo FSC.

Coleta seletiva – Ao lado de cada estação de trabalho, há lixeiras coloridas para a coleta seletiva, permitindo que o lixo seja selecionado já na origem. A Cidade Administrativa seguirá as diretrizes do Programa AmbientAÇÃO, iniciativa de comunicação e educação socioambiental criada em 2004 pelo Governo do Estado e que, atualmente, já é aplicada em mais de 30 instituições governamentais.

Acessibilidade - O projeto arquitetônico da Cidade Administrativa cumpre todos os critérios de acessibilidade para Portadores de Necessidades Especiais (PNE). Os espaços, edificações, mobiliário e equipamentos atendem totalmente aos requisitos legais de acessibilidade contidas na legislação dos Estados, Municípios e do Distrito Federal.

Entre os parâmetros do projeto para contemplação e inclusão desse público estão: do total de vagas, 2% são reservadas para os portadores de necessidades especiais, ou para quem os transporta. Está assegurada, no mínimo, uma vaga em locais próximos à entrada principal ou ao elevador, de fácil acesso à circulação de pedestres.

Rampas  próximas às vagas reservadas para portadores de necessidades especiais e em todos os acessos aos prédios com inclinação adequada (8,33%), corrimões em ambos os lados e com patamares do início ao final das rampas.

Rampa de acesso ao auditório com guarda-corpo de altura mínima de 105 centímetros e corrimões em ambos os lados.

Rebaixamento de calçadas com rampa acessível.

Desníveis das áreas de circulação internas ou externas transpostos por rampas.

Sanitários acessíveis destinados exclusivamente ao uso por portadores em todos os andares das edificações.

Elevadores com cabines que permitam acesso e movimentação cômoda de portadores de necessidades especiais. Sinalização visual e sonora para orientação de pessoas portadoras de deficiência auditiva e visual.

Botoeiras externas ao elevador sinalizadas em braile e em altura acessível ao manuseio por pessoas em cadeira de rodas.

Acesso garantido ao auditório para pessoas em cadeiras de rodas. Espaços reservados devidamente sinalizados e distribuídos pelo recinto em locais diversos, de boa visibilidade, próximos aos corredores e ao lado de assentos para acompanhantes.

Instalação de piso tátil direcional e de alerta.

Desenvolvimento Social – Para identificar as carências das comunidades vizinhas à nova sede do  governo, foi feito um estudo que levou em conta a sustentabilidade não só ambiental como  econômica, social e histórica. 

Há quatro anos, são desenvolvidos e implementados pelo Governo de Minas, 20 programas voltados para o desenvolvimento da região onde está localizada a Cidade Administrativa. Foram realizadas reuniões com a comunidade, Câmara de Vereadores, igreja, associação comunitária e também foi criado o Centro de Referência do Cidadão, que desenvolve ações culturais, de comunicação e educação  ambiental.

Para revitalizar o entorno, o governo está reformando 20 escolas estaduais, duas praças (em convênio com prefeitura), um campo de futebol e a sede da associação comunitária.

No apoio ao desenvolvimento sustentável do Vetor Norte, o Estado criou a agência metropolitana para acompanhar, fiscalizar e normatizar o uso do solo. O crescimento planejado impedirá, inclusive, ocupações irregulares.

Com a inauguração da Cidade Administrativa, haverá ainda a otimização do metrô o que diminui a emissão de gases e combustível.

Copyright 2006 Fator Brasil. Todos os direitos reservados.